segunda-feira, abril 23, 2018



 Jumento do Dia

   
Catarina Martins, BE

Catarina Martins acha que decide o que faz o PS só porque assinou um acordo que agora se sente no direito de reinterpretar ou adaptar em função da estratégia política do BE.

«A coordenadora do BE disse este domingo ter a expectativa de que o projeto de resolução sobre o Programa de Estabilidade possa ser aprovado, esperando o voto a favor do PS que “se manterá comprometido com a atual solução política”. Catarina Martins falava aos jornalistas, em Lisboa, na conferência de imprensa após a Mesa Nacional do BE, órgão máximo do partido entre convenções, recordando que na terça feira vai ser debatido o projeto de resolução do BE sobre o Programa de Estabilidade para que se “mantenham as metas já acordadas com Bruxelas para o défice” e se possa “utilizar a folga do crescimento económico para ter serviços públicos mais robustos”.

“Temos a expectativa que esse projeto de resolução possa vir ser aprovado pelos vários partidos e esperamos poder ter o voto do PS nesta matéria porque estamos certos de que o PS se manterá comprometido com a atual solução política e com a ideia fundadora do nosso compromisso, não entre partidos, mas com a população de que aqui estamos para dar prioridade às pessoas”, desafiou.» [Observador]

domingo, abril 22, 2018

SEMANADA


A ala pediátrica do Hospital de Santo António aprece a santinha da ladeira da nossa oposição, não há líder que não vá lá pedir uma esmolinha para ao Santo António. Foi o que fez Rui Rio, que foi de Lisboa ao Porto só para dizer que a culpa é do Santo António, só que no seu caso é ridículo, depois de estar tanto tempo no Porto, como autarca ou como político em sabática, nunca reparou no problema.

Depois de uns anos a ter sucesso com o queijo da serra, Jorge Coelho, Coelhone para o povo, volta às lides empresariais na sua Mota e Cia. É uma pena que empresas onde a competitividade se consegue com a qualidade de gestão não ponham os olhos neste gestor criado pela natureza, já que não tem habilitações académicas no ramo. Enfim, Coelhone e a Mota foram feitos um para o outro, ele foi ministro de obras públicas, a empresa vive de obras públicas.

Parece que Helena Roseta vai resolver o problema da habitação à custa das casas devolutas, senhorio que não explique a razão porque uma casa está sem utilidade está tramado. Esperemos que Helena Roseta consiga convencer o governo a fazer o mesmo com todas as formas de património, desde terras a depósitos, quem não usa está lixado, arrenda as terras a quem produza ou empresta o dinheiro a quem lhe der mais utilidade.

Depois de ser a TVI a concorrer com a CMTV, parece que é a SIC do Ricardo Costa a disputar o estatuto de TV mais populista de Portugal. A divulgação dos interrogatórios de alguém que está sendo acusado pelo Ministério Público foi um  dos momentos mais sujos da TV portuguesa. A borrada de Ricardo Costa justifica que o diretor da estação passe a usar fraldas, pois há um sério risco de o homem começar a cheirar a merda.



 Jumento do Dia

   
Ana Gomes, deputada endinheirada do PS

Talvez por recear ficar esquecida Ana Gomes decidiu dar um ar da sua graça e fê-lo como de costume desde que Sócrates chegou a primeiro-ministro, batendo no ex-governante, aliás, durante os governos presididos por José Sócrates a deputada rica do PS foi a principal voz da oposição, perseguindo o governo do seu partido com o problema dos prisioneiros que foram transportados pelos americanos, cujos aviões pararam nas Lajes para reabastecimento.

Desta vez e quando o país se indignou com a TVI e com a CMTV, a portentosa deputada endinheirada decidiu vir juntar-se à CMTV, SIC, Rosário Teixeira e Carlos Alexandre, condenado Sócrates sem qualquer julgamento e, pior do que isso, querendo envolver o PS numa condenação na praça pública, sem qualquer direito a julgamento e apenas com base nas peças difamatória vertidas na comunicação social.

Se não soubesse que é formada em direito nem acreditaria, ainda que seja óbvio que foi mais fácil tirar a Ana Gomes do MRPP do que tirar o MRPP, os seus valores, os seus métodos e o seu pensamento da Ana Gomes.

«Eurodeputada escreve no Twitter que o PS "não pode continuar a esconder a cabeça na carapaça da tartaruga". E admite ao DN que está a falar dos casos de Sócrates e Manuel Pinho.

"O @psocialista não pode continuar a esconder a cabeça na carapaça da tartaruga. Próximo Congresso é oportunidade p/ escalpelizar como se prestou a ser instrumento de corruptos e criminosos. Pela renegeração do próprio PS, da Política e do País."

A declaração foi feita esta manhã pela eurodeputada do PS Ana Gomes. Falando ao DN, Ana Gomes assumiu que a sua afirmação foi feita "obviamente à luz das revelações" das reportagens da SIC sobre José Sócrates - mas também sobre o que se soube nos últimos dias sobre o ex-ministro da Economia Manuel Pinho (suspeito de corrupção no processo EDP).

Embora criticando, no caso de Sócrates, a divulgação das imagens dos interrogatórios ("as fontes da Justiça que libertaram aquilo praticaram um crime"), a eurodeputada acrescenta que "por muito que condenemos a divulgação, a verdade é que há substância que não pode ser iludida".» [DN]
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «»

sábado, abril 21, 2018

MELHOR É POSSÍVEL

O ritmo do desenvolvimento tecnológico tanto pode resultar num atraso insuperável como num crescimento acelerado. Se no passado o desenvolvimento era uma longa escada em que se tinha de subir todos os degraus, nos dias de hoje é possível queimar etapas. Veja-se o caso do turismo, há vinte anos um crescimento de metade daquele a que se assiste em Portugal implicava um longo percurso e dispendiosas campanhas de marketing, hoje e muito graças à web, um país pode passar a ser moda de um dia para o outro.

Um bom exemplo destes “pulos” é-nos dado pelo setor do calçado, no passado era um sector de mão-de-ibra barata, hoje recorre às melhores tecnologias e requer pessoal cada vez mais habilitado, quer nos domínios tecnológicos, quer no do design. O mesmo sucede com outras indústrias, onde graças ao empreendedorismo de empresários capazes de terem vistas mais longas do que a dos dirigentes empresariais que se preocupam muito com o salário mínimo, assistimos ao mesmo fenómeno.

Outro Fenómeno a que assistimos e do qual Portugal pode tirar partido como poucos outros, é a da grande mobilidade do empreendedorismo. O fenómeno não é novo, sucedeu no passado nos EUA, com a concentração de muitas startups na Califórnia, é agora visível à escala mundial. 

Portugal tem condições para beneficiar desta oportunidade única, atraindo empreendedores, empresas e quadros qualificados. Temos qualidade de vida, temos um dos melhores climas dos países do ocidentais, temos boas universidades, temos um ambiente receptivo a estrangeiros. Mas isto não basta, é preciso abordar este problema sem a tacanhez de algumas das personalidades que disseram baboseiras imbecis quando a Google decidiu instalar-se em Oeiras.

É preciso apostar em regiões capazes de  criar concentrações de empresas tecnológicas e isso significa infraestruturas nas telecomunicações, a proximidade de aeroportos e estradas, custos acessíveis na habitação e menos oportunismo do sistema bancário, para não falar da matilha de burocratas, advogados e outros que não perdem uma oportunidade para se armarem em proxenetas.

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA



 Jumento do Dia

   
Ricardo Costa, jornalista sem lei

Esperemos que Ricardo Costa, diretor de informação da SIC, não se arme em sacerdote da democracia para exigir que António Costa se demita, com o argumento de que o país é uma bandalheira, com estações de televisão como a SIC a ganharem audiências promovendo o regabofe na justiça, não se importando de recorrer a práticas criminosas para usar abusiva e ilegalmente vídeos que não lhes pertencem, nem estão autorizados a fazer render através da sua divulgação.

É uma pena que a matilha ao serviço de Ricardo Costa, a começar pelo falso economista Jorge Ferreira, não sejam tão rigorosos com as ilegalidades e abusos da SIC, como o são com os outros.

«"Aquilo que está em causa é uma divulgação não autorizada de peças de um processo e, portanto, isso constitui crime e estou segura que o Ministério Público tomará as iniciativas necessárias para reprimir a ilegalidade, neste caso tal como faz em outras questões de matéria criminal", disse Francisca Van Dunem aos jornalistas, à margem da cerimónia de inauguração da exposição comemorativa dos 150 Anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal.

A SIC e a CMTV divulgaram vídeos de interrogatórios no âmbito do processo Operação Marquês, tendo na terça-feira o Ministério Público (MP) anunciado a abertura de um inquérito para investigar o sucedido.

"Embora o processo em causa já não se encontre em segredo de justiça, a divulgação destes registos está proibida, nos termos do art.º 88º n.º 2 do Código de Processo Penal, incorrendo, quem assim proceder, num crime de desobediência (artigo 348.º do Código Penal)", referiu o Ministério Público numa resposta à agência Lusa.

Questionada sobre o documento enviado ao parlamento sobre possíveis alterações à Lei da Reorganização do Sistema Judiciário (LOSJ) a ministra explicou que "é um estudo técnico, prévio elaborado pelos serviços sobre o qual o próprio ministério ainda não se pronunciou".» [Notícias ao Minuto]

 Grande líder da oposição!

Rui Rio armou.-se em oportunista e foi tirar proveitos políticos da ala pediátrico do Hospital de Santo António, no Porto, para dizer que a culpa é do Sócrates. É uma pena que Rui Rio, que estava tão perto quando Sócrates era primeiro-ministro, nunca se tenha lembrado de ir ao outro lado da rua na qualidade de autarca para visitar o hospital.

Isto não é fazer oposição, é servir-se dos problemas e ser oportunista.

      
 Terá sido culpa do Centeno?
   
«Chegou ao fim a colaboração entre o reconhecido especialista em políticas de Saúde Constantino Sakellarides e o ministro com a pasta, Adalberto Campos Fernandes. O professor catedrático jubilado da Escola Nacional de Saúde Pública liderava há dois anos um processo para modernizar os cuidados assistenciais e saiu por divergências com a governação.

"Demiti-me esta sexta-feira. Enviei a carta ontem ao ministro. Acordos e desacordos são naturais na vida. O ministro não ficou surpreendido e eu também não", disse ao Expresso na manhã desta sexta-feira. Constantino Sakellarides não quis revelar as razões concretas do seu afastamento, justificando que "não estaria a ser decente ao comentar". Ainda assim, explica que "o processo foi evoluindo e que foram surgindo limitações", tornando-se "difícil fazer coisas com utilidade" como era seu objetivo.

Nos últimos dois anos, Sakellarides coordenou a iniciativa SNS Saúde + Proximidade, um processo para modernizar a oferta pública de cuidados à população garantindo o acesso à assistência adequada e no momento certo. A integração de todos os níveis de cuidados, por exemplo entre o domicílio, o centro de saúde e o hospital; e o desenvolvimento da literacia em Saúde eram algumas das metas principais.» [Expresso]
   
Parecer:

Desde a trapalhada do INFARMNED que este "Aldraberto" anda a cair.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

sexta-feira, abril 20, 2018

PROPOSTA



Há uns anos, quando era candidato à autarquia de Lisboa, António Costa fez uma gracinha pouco original e promoveu uma corrida entre um burro. A ideia teve a sua graça e, como era de esperar, o burro ganhou. O elogio ao asinino eleitoralista não se deve a qualquer forma de solidariedade, já que na época este humilde palheiro ainda não tinha aberto as portas. Ganhou porque era óbvio e Costa sabia que não podia ganhar.

Nestas corridas com regras viciadas tivemos um programa televisivo que visava humilhar adultos comparando os seus conhecimentos com pequenos génios de 10 anos. O programa tinha como título "Sabe mais do que uma criança de 10 anos?" e foi apresentado em 2007 por Jorge Gabriel. As crianças levavam uma ensaboadela prévia e iam para o programa com as respostas na ponta da língua, invariavelmente sucedia o mesmo que aconteceu na corrida promovida pelo António Costa, os adultos eram enxovalhados.

A propósito destas duas brilhantes ideias do passando, que estão na linha de programas televisivos como a Cornélia, o programa mais idiota da história do país, que quase paralisava o país, para não referir o programa "agora ou nunca", onde um coitado ficou famoso a gritar "ponha, ponha, ponha", chorando baba e ranho, enquanto o mesmo Jorge Gabriel lhe metia uma iguana em cima da careca, também tive uma ideia.

Que eu saiba, Jorge Coelho e Paulo portas só poderão ter estudado gestão se ocasionalmente foram colegas do Miguel Relvas nalguma universidade virtual, nos seus currículos não constam cursos de direito. Também não me parece que emitir despachos, ir a jantares de lombo assado, assinar cartas de demissão e outras pesadas tarefas governamentais qualifiquem alguém para conhecer os letreiros de uma faculdade de gestão, daquelas onde o Passos Coelho não conseguiu entrar.

É por isso que proponho um programa televisivo que juntaria Paulo Portas e Jorge Coelho a estudantes do primeiro ano das diversas faculdade de gestão em testes de avaliação de conhecimentos de gestão empresarial. Sejamos honestos tanto um como o outro pareciam rezes mirandesas cheias da famosa posta a olharem para um palácio. Na política aprende de tudo, mas nada de gestão.

A ida de políticos para negócios em empresas empresas de obras públicas que investem em países que todos sabemos como funcionam, não se explica porque seguindo o esquema ridículo da Independente, os nossos governantes tenham direito a um PhD de Harvard em finanças. Poderão levar um PhD no que quiserem e onde quiserem, mas de finanças é que não acredito.

Estas promoções a grandes gestores ou a catedráticos não é só ridícula, é um atentado contra a democracia porque desprestigia o exercício da política aos olhos dos cidadãos. É por estas e por outras que a extrema-direita está a crescer e os políticos portugueses t~em cada vez menos prestígio.