sábado, março 24, 2007

50 Anos de União Europeia


Quando Portugal entrou para a CEE conhecia os tratados, sabia quais eram os estados-membros, respeitava o presidente da Comissão e acompanhava o processo de transição. Hoje só a muito custo consigo enumerar todos os estados-membros, não sei bem quais são os tratados que vigoram, o presidente da Comissão não me inspira respeito e estou mais preocupado com os jogos da Divisão de Honra do que os conselhos europeus.

Algo está errado, ou sou eu como cidadão que deixei de me sentir envolvido na chamada “construção europeia” ou há menos Europa do que a que já houve noutros tempos. Ou, talvez, devido às sucessivas más governações somos cada vez mais Portugal e menos Europa.

A verdade é que quando se comemoram os 50 anos da União Europeia sinto-me afastado dessa mesma Europa, a geração que me seguiu vive o mesmo drama que a minha viveu quando entrou na vida activa, dantes era o défice da balança comercial e as exigências do FMI, agora é o défice das contas públicas e o Pacto de Estabilidade vigiado pelo Ecofin, ambas tiveram azar, entraram na história de avesso.

Pouco tenho a comemorar nestes 50 anos de União Europeia a não ser que seja cretino ao ponto de elogiar as auto-estradas. Naquilo que é essencial nada ou muito pouco mudou, as causas do nosso subdesenvolvimento são as mesmas, os nossos políticos são tão oportunistas e pacóvios como eram, os partidos e os sindicatos ainda vivem noutros tempos e a nossa postura enquanto cidadãos é quase a mesma.

Somos tão portugueses como éramos e muito menos europeus do que já fomos.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Azulejos de Vieira da Silva na estação de Metro da Cidade Universitária, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Ramzi Haidar - AFP]

«A Lebanese youth portraying a U.S. soldier guards hooded men representing arrested Iraqis during a symbolic ceremony in Beirut to mark the anniversary of the invasion of Iraq.» [Washington Post Link]

JUMENTO DO DIA


Um partido à consignação

Paulo Portas não abandonou a liderança do PP quando foi derrotado nas urnas depois de ter protagonizado o papel de membro mais poderoso do governo de Santana, limitou-se a entregá-la à consignação a Ribeiro e Castro na condição de a recuperar quando julgasse mais oportuno do ponto de vista das suas ambições pessoais. Portas não está a dar um golpe inesperado, o golpe a que se assiste no CDS foi iniciado do dia da escolha de Ribeiro e Castro para "liderar" este pequeno partido que mistura a direita envergonhada do velho CDS com a extrema-direita maquilhada por Portas.

HIPOCRISIA

O pedido de esclarecimentos do PSD e do CDS sobre a licenciatura de Sócrates é pura hipocrisia pois, tanto quanto se sabe, da candidatura a primeiro-ministro não consta qualquer exigência quanto a habilitações literárias. Pode-se dizer que Sócrates terá dado mais importância ao canudo do que aos conhecimentos de engenharia, pode-se questionar se são ou não as ordens a decidir quem pode usar ou não o título de engenheiro, pode-se suspeitar que Sócrates não serve de modelo para os nossos estudantes universitários, enfim, pode-se questionar muita coisa, o que não faz sentido é questionar a legitimidade política ou o desempenho enquanto primeiro-ministro.

O PAI QUE PERDEU AS GRAÇAS DO POVO

«Nessa altura, nada publiquei. Faltava o resto da história, o resto que veio depois, em Dezembro, quando o sargento Gomes foi preso e julgado. E porque as coisas do coração são assim, dadas as extraordinárias mutações, o carpinteiro da Sertã, que até ali fora o injustiçado, passou a vilão. Face ao sargento fardado que enfrentava seis anos de prisão "por amor", Baltazar era o estroina, o obstáculo à felicidade da família heróica. No reality show que a história de E. se tornou, Baltazar já foi expulso. Mas, seja qual for a decisão final dos tribunais, há coisas que não podem ser reescritas. Baltazar é o pai biológico de E. E, nesta história, com jeito, ainda se vai a tempo de um final (quase) feliz. » [Diário de Notícias Link]

Parecer:

Um artigo de Fernanda Câncio que sugiro aos que tratam o problema da "Esperança" como se fosse um protagonista de uma obra de literatura de cordel.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

MAIS UM BURACO TAPADO NA SAÚDE

«Odespacho da secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Carmen Pignatelli, conhecido nas última semana, vai pôr fim a contratações menos claras de médicos para assegurarem os serviços de urgência, pelos hospitais, para garantirem o funcionamento do serviço na ausência dos profissionais do quadro. A ideia é limitar as contratações a entidades que tenham como objecto social a prestação de cuidados de saúde e excluir de qualquer possível contratação um profissional que já trabalhe para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) que tenha pedido dispensa do trabalho extraordinário. Uma situação que, denuncia o Sindicato Independente dos Médicos, chegava a permitir um pagamento a dobrar face ao estabelecido.» [Jornal de Notícias Link]

Parecer:

Mais uma notícia que revela o estado de pouca-vergonha que se instalou no país.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se a medida.»

AUTARCA GENEROSO

«O presidente da Câmara Municipal de Elvas, José Rondão Almeida, foi na segunda-feira constituído arguido na sequência de um processo relacionado com a atribuição em Dezembro de 2002 de um subsídio de cinquenta mil euros a um clube local que na altura devia ao Fisco. O caso, denunciado por um anónimo, levou ainda o Departamento de Acção e Investigação Penal (DIAP) a constituir como arguido o chefe de divisão financeira da autarquia, Paulo Dias.» [Correio da Manhã Link]

Parecer:

Quantos votos terá conseguido graças a tanta generosidade? Na Madeira ou no "contenente" é tudo igual.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao autarca se não tem um subsídio ao Palheiro e ao PSD local se copiou o comunicado, em que se manifesta peocupado com a imagem da edilidade, com algum comunicado emitido pelo PSD de Lisboa a propósito dos seus vereadores arguidos.»

DEUS NOS LIVRE

«O presidente do Sindicato dos Professores da Região Centro que, entretanto, se está a candidatar à sucessão de Paulo Sucena à frente da Fenprof, além de ter sido cabeça de lista da CDU pelo círculo de Coimbra nas legislativas, foi o mandatário nacional da candidatura presidencial de Jerónimo de Sousa. Apesar do perfil operário de Arménio Carlos estar mais em sintonia com o imaginário comunista, a importância política do cargo de secretário-geral da CGTP pode jogar a favor de Mário Nogueira.» [Diário de Notícias Link]

Parecer:

O PCP não resiste à tentação de usar a CGTP como pelotão de choque e vai acabar por destruir o sindicalismo português em nome da sua luta pela sobrevivência.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Jerónimo de Sousa se não arranja alguém que dê ares de não ser tão quadrado e lerdo de cabeça.»

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO VÃO TER ACESSO AO PARLAMENTO?

«O pedido feito por duas agências de comunicação para que lhes seja atribuída uma acreditação permanente na Assembleia da República tem carácter de urgência para Jaime Gama. O presidente da AR só ainda não deliberou sobre o assunto porque espera pelo estudo comparado com outros parlamentos europeus para levar o assunto à conferência de líderes (que reúne os vários partidos) e se pronunciar sobre o assunto. Uma coisa é certa, depois das iniciativas da LPM (agência responsável pelas campanhas eleitorais de José Sócrates e de Cavaco Silva) e da YoungNetwork nada será como dantes. Ao DN, o gabinete de Jaime Gama defende que "a existir qualquer tipo de decisão, ela carece de uma regulamentação". Isto é, deve ficar bem definido na lei como e de que forma as agências de comunicação podem trabalhar junto do Parlamento e do poder político em geral.» [Diário de Notícias Link]

Parecer:

É evidente que estamos perante um formalismo pois ninguém acredita que a política esteja de fora da actividade destas agências. A sua ausência só favorece a falta de transparência.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

MAIS UMA VÍTIMA DE PAULO PORTAS

«"Entendo que o Conselho de Jurisdição se desvirtuou da sua natureza, porque não fundamentou a decisão de modo jurídico", disse Nuno Peres Alves à Lusa, adiantando que já apresentou "aos órgãos competentes do partido o seu pedido de demissão".» [Público Link]

Parecer:

Parece que para Paulo Portas tudo justifica a sua ascensão ao poder.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Elogiem-se os apoiantes de Paulo Portas, dentro de dois anos o PP vai ser o partido da bicicleta.»

A DIREITA E OS TORTOS

«O presidente da Nova Democracia arranjou dois motivos para chamar as atenções públicas, mas o motivo da escolha do momento não a escondeu ao PÚBLICO: "Num momento em que o centro está em crise, venho dizer que ainda há direita. A direita está aqui, os outros são tortos." É Manuel Monteiro de corpo inteiro, banca montada na Rua Garrett, em Lisboa, entre a tradicional Brasileira e as cores unidas da Benetton.

A causa da banca instalada em pleno Chiado é uma: a recolha de assinaturas para uma petição a enviar à Assembleia da República com o objectivo de levar todos os beneficiários do rendimento social de inserção aptos para o trabalho a prestarem serviço comunitário.» [Público Link]

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Assine-se.»

A DESBUNDA FINANCEIRA

«Alberto João Jardim, o presidente demissionário do Governo Regional da Madeira, mantém o calendário de inaugurações e intervenções políticas no período de pré-campanha. Deste modo ignora a advertência feita pelo Presidente da República, Cavaco Silva, quando marcou a data das eleições antecipadas, de que o executivo madeirense ficava "limitado à prática dos actos estritamente necessários para assegurar a gestão dos negócios políticos da região".Embora em gestão, o executivo madeirense mantém a sua actividade normal. Aliás, no conselho de governo em que Jardim transmitiu aos outros membros do executivo a decisão de se demitir, foram tomadas mais de uma centena de resoluções e a acta dessa reunião, realizada a 16 de Fevereiro, continua em aberto, como reconheceu o próprio presidente, para permitir a posterior inclusão de outras deliberações. » [Público Link]

Parecer:

A pouca vergonha do costume.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Coloque-se a Madeira sob administração da OUA até se encontrar uma solução definitiva para o problema colonial do território.»

PROFESSORES LUTAM CONTRA O FIM DA DISCIPLINA DE FILOSOFIA

«Isabel Matos Dias não tem dúvidas: "Estamos perante a iminência do desaparecimento da disciplina de Filosofia", alerta a docente da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (UL), que promove hoje, no Centro Nacional da Cultura, uma jornada de trabalho sobre a A Filosofia na escola, na sociedade, na cultura. A acção - que se junta a outras iniciativas recentes organizadas pelas universidades de Coimbra e de Lisboa - é uma resposta à decisão ministerial de "diluir a importância da Filosofia no ensino secundário" e pretende também desencadear "um movimento público de intervenção" em defesa da disciplina. A Sociedade Portuguesa de Filosofia já tem uma petição on-line.» [Público Link]

Parecer:

E depois da disciplina de filosofia qual a disciplina que se segue, será a de história?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Apoiem-se os professores.»

WDCS - LIFE SIZE WHALE [Link]

JUHA HELMINEN [Link]

RICHARD SCALZO [Link]

JOHN VIRTUE [Link]

LINDSAY CLAIRE TULLY [Link]

EURODEPUTADO JOSÉ MAIA

No que estaria a pensar o eurodeputado?

ADIDAS

[2][3]

PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS

[2][3]

OGMERT OPTICIAN

[2]

sexta-feira, março 23, 2007

Diplomas da treta

Não me parece que um primeiro-ministro deva ser escolhido em função do currículo académico, se assim fosse quase nenhum dos líderes partidários portugueses sobreviveria à primeira avaliação curricular, salvo o Francisco Louça qualquer um deles teria grandes dificuldades em conseguir o seu primeiro emprego. Ninguém votou em Sócrates por ser engenheiro, em Cavaco por ser economista ou em Sampaio por ser jurista, o único que chegou a primeiro-ministro ou, para ser mais preciso, a presidente do conselho em consequência das suas habilitações foi Salazar, mas nesse ninguém votou.

Por isso não me incomoda que licenciatura em engenharia seja uma manta de retalhos feita com tecidos de má qualidade e, ao que parece, com buracos mal preenchidos. Mas é um facto que Sócrates considerou importantes ter um canudo, não é por acaso que raramente alguém se refere, por exemplo, a Sampaio como o dr. Jorge Sampaio, enquanto em relação ao primeiro-ministro é raro ouvir alguém referir-se a ele como o José Sócrates, o eng. vem sempre atrás. Pelos vistos teremos que passar a tratá-lo por lic. José Sócrates já que a Ordem dos Engenheiros não lhe reconhece o canudo.

A democracia tem destas coisas, ao mesmo tempo que um funcionário público que se candidate ao mais baixo cargo de chefia tem que ser avaliado por um júri que integra um professor universitário, o primeiro-ministro que adoptou esta regra tem um canudo que pouco mais vale do que um diploma de um curso de formação profissional financiado pelo Fundo Social Europeu.

O problema não está nas habilitações do primeiro-ministro, a não ser que tenha que remendar alguma canalização na residência oficial de São Bento o desempenho das suas funções não lhe vai exigir grandes conhecimentos de engenharia. Também não foi para ser engenheiro que Sócrates fez as cadeiras em várias “carpintarias” baratas, e quanto a inteligência é a qb.

O que se questiona é a fórmula de sucesso que levou Sócrates dos devaneios na companhia de Armando Vara ao cargo de primeiro-ministro, fórmula tão eficaz que também serviu para o amigo chegar a administrador da Caixa Geral de Depósitos. O problema é que nem o cargo de primeiro-ministro escapa à fórmula de sucesso assente na vida fácil.

Que vou dizer a um filho? Aproveita a vida, namora e gasta as mesadas nos casinos que depois vais num instante à Univeridade Independente, sais dali engenheiro e ainda te arriscas a ser primeiro-ministro?