sábado, maio 12, 2007

O espectáculo triste da CML


Temos assistido a um espectáculo triste na CML, um espectáculo iniciado com as eleições, enquanto a liderança da autarquia sobreviveu e pelo que se vai sabendo o espectáculo vai prosseguir. A verdade é que nenhum partido concorreu à autarquia para a gerir em função dos interesses dos munícipes, para os partidos a autarquia da capital não é uma autarquia, é um mini governo.

Para o PSD a CML foi a solução par a falta de empregos, os dinheiros da autarquia serviram para empregar a tropa de choque de António Preto e Marques Mendes, para fazer alguns negócios agora que o partido estava afastado das receitas extraordinárias provenientes dos negócios governamentais.

O comportamento do PS foi vergonhoso, com um “líder da oposição” que se desinteressou ela representação dos que os elegeram, Carrilho candidatou-se para presidir e como não o conseguiu desprezou aqueles que depositaram nele a sua confiança. O resto foi o que se viu, a estrutura concelhia do PS revelou que não estava à altura de gerir uma junta de freguesia quanto mais a autarquia da capital.

O CDS tentou usar os seus votos para partilhar alguns negócios camarários para o PCP e BE a presença na CML visa unicamente o acesso privilegiado à comunicação social.

Por aquilo a que se tem assistido nestes dias o espectáculo vai prosseguir, com mais algumas personagens em busca de protagonismo ou da sobrevivência, os partidos a tratar as eleições como uma corrida de galgos e nem falta a mistura do mundo do futebol com o da política, um dos maiores indicadores do envolvimento de esquemas mafiosos na gestão das autarquias.

Em quem votar? Não sei, apesar de tudo e até saber qual o candidato e o programa do PS é Sá Fernandes, o único que estee na autarquia preocupado com a cidade, que está a ganhar a corrida no microcosmo da minha opção. Isto significa que se o PS apresentar um candidato mais preocupado com o projecto pessoal de Sócrates do que com a cidade a minha decisão está tomada.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Alqueva

IMAGEM DO DIA

[AP]

«A building collapses in Surat, India. The 35-year-old building, which started to tilt a day earlier, was evacuated before the collapse.» [Washington Post Link]

JUMENTO DO DIA

Estranha espontaneidade

Helena Roseta já tem sede de campanha e neste sábado já começa a recolha de assinaturas, para que se demitiu há dois dias do PS porque Sócrates não lhe respondeu à carta que mandou oferecendo-se para candidata do PS muito antes da autarquia cair, o mínimo que se pode dizer é que a arquitecta trabalhou muito depressa.

É mais do que evidente que esta candidatura tem pouco de espontânea e de independente, nem resulta sequer de qualquer divergência partidária. O futuro dirá quais são as verdadeiras intenções de Helena Roseta. Para já quererá ter um lugar na autarquia que lhe assegurará um acesso frequente à comunicação social.

SEJAMOS HONESTOS

Também eu gostaria que a criança desaparecida no Algarve apareça, da mesma forma que gostaria que nenhuma criança deste país ou do mundo fosse raptada ou maltratada. E neste caso além do desaparecimento de uma criança está também em causa a credibilidade externa de um país que tem no turismo um dos principais sectores económicos.

Compreendo o esforço desproporcional que as polícias estão a dedicar a este caso, tornar-se-á um padrão para casos futuros e é um aviso a potenciais raptores de que o país não é terreno fácil para as suas actividades como o tinha sido até agora.

Mas o queque move os jornalistas, é a preocupação pelo desaparecimento de uma criança bonita ou a esperança de serem os primeiros a encontrar algo mórbido que rapidamente possa ser transformado em manchete?

DEZ ANOS DE INÉRCIA

«Contudo, a porta de saída assim encontrada tem pelo menos o mérito de chamar a atenção para uma vulnerabilidade do sistema de governo das autarquias vigente entre nós. Uma crise política grave impõe o recurso a eleições intercalares através do expediente administrativo da falta de quórum de funcionamento! Na resolução da crise, a assembleia municipal é praticamente irrelevante, a ponto de a maioria do PSD nela existente ter decidido não acompanhar o executivo camarário no retorno à decisão soberana dos eleitores.

É verdade que assembleia e câmara são órgãos distintos e eleitos separadamente. Mas esse argumento formal não pode apagar o facto de a força dominante tanto na câmara como na assembleia ter sido sufragada com base no mesmo projecto político e na mesma liderança autárquica: o insucesso desse projecto e dessa liderança na câmara parece assim nada ter a ver com os eleitos sob a mesma bandeira na assembleia municipal...» [Diário de Notícias Link]

Parecer:

António Vitorino põe em evidência as fragilidades do modelo político das autarquias.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

MADELEINE OU OS INFORTÚNIOS DA DEMOCRACIA

«Num país totalitário, num sistema não democrático, a história de Madeleine nunca ocorreria assim. Não porque nos sistemas totalitários não haja crianças raptadas. Existem, claro: a ideia de que "agora há muito mais crime" é de uma ingenuidade que seria tocante se não fosse tão perigosa. A título de exemplo, uma das principais tarefas dos censores que funcionavam antes do 25 de Abril era cortar dos jornais tudo o que pusesse em causa a ideia de um país tranquilo, seguro, dirigido por uma autoridade competente e omnipresente - a começar pelos crimes. Crime que não é noticiado, sociedade que não o sente. Mas as diferenças não se esgotam aí, no controlo da informação. Nos sistemas totalitários, os aparelhos judiciais não têm como objectivo e referência primordial a ideia de verdade e de justiça, mas a defesa da imagem do sistema. Para a polícia de um sistema totalitário, a prioridade estaria no encontrar de um culpado, real ou fabricado. » [Diário de Notícias Link]

Parecer:

Um artigo bem escrito por Fernanda Câncio mas do qual discordo pois não só as comparações são absurdas como a jornalista sabe tanto quanto eu que nestes casos os jornalistas mais do que a informação querem vender. É lógico que os investigadores não queiram que os criminosos conheçam os seus passos, da mesma forma que o que os jornais sensacionalistas ingleses e quase toda a comunicação social pretendem é obter audiência divulgando pormenores que na sua essência não são informação.

Os argumentos de Fernanda Câncio farão sentido em muitas situações, mas não neste contexto pelo que só os entendo como uma defesa de valores corporativos. Não deixa de ser curioso que uma comunicação social que habitualmente informa mal os portugueses esteja agora tão preocupada com a necessidade de informar.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

O SALUTAR PRAZER DO RISCO

«O empreendimento de destruição do Estado Social (ou o que resta dele) irá continuar com tal denodo e violência que até sectores de Direita veementemente criticam. A "segurança ontológica", palavrão "politiquês" inventado por Anthony Giddens, que sustentou a flexibilização do trabalho, a fragilização dos laços sociais e que originou profusas debilidades psicológicas, determinará novas injunções. O PS afirmará, desenvolto, que aquele é mesmo o "socialismo moderno". E o patronato, protector da doutrina, desenvolveu-a de forma desapiedada. Dentro de quatro anos, o "Jornal de Negócios" dará notícia dos constrangimentos em que vivemos. Luís Delgado e João César das Neves escreverão acerca de "estabilidade e segurança", e continuarão, taciturnamente, a acusar o PREC de tenebrosas responsabilidades. Santana Lopes continuará a dizer coisas. Paulo Portas dissertará, colérico, sobre o "socialismo cristão", de que será, então, praticante e defensor arrebatado.» [Jornal de Negócios Link]

Parecer:

Vale a pena ler este artigo de Baptista Bastos onde este reflecte sobre o debate entre esquerda e direita na perspectiva da evolução da sociedade.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A HISTERIA DE LAGOS

«O PÚBLICO refere na primeira página, na passada quarta-feira, que todos os anos muitos milhares de crianças desaparecem na Europa e informa que, segundo a Unicef, 1,2 milhões de crianças serão anualmente traficadas. A criança que desapareceu em Lagos é o primeiro caso de um menor desaparecido em Portugal a ser incluído no site da polícia britânica que trata desse flagelo.

Estes os factos. O resto é pura e simplesmente histeria.Ponderei bastante antes de decidir dedicar a este tema a minha crónica semanal. Mas, confesso, acabei por decidir-me, baseado num movimento de revolta. Sou capaz de resistir a provocações e a sentimentos de revolta, mas, em regra, prefiro não o fazer. Creio que assim arranjo alguns inimigos, mas julgo que também evito alguns enfartes de miocárdio. E, se não gosto de enfartes, até aprecio ter inimigos; pelo que vamos a isto.

O que se está a passar por estes dias no Algarve é realmente um exemplo do estado a que chegaram as sociedades modernas e do papel profundamente nefasto que exerce a comunicação social quando decide explorar sentimentos para divulgação em prime time. O rapto de crianças é um horror, tudo o que se faça para o evitar é positivo, a consciência social tem de ser alertada para o problema. Mas, dito isto, o rapto de crianças aos milhares, o fenómeno das crianças guerreiras em África, o genocídio em Darfur, os carros-bomba no Iraque que matam inocentes todos os dias, os acidentes de viação que ceifam vidas à saída de discotecas são o lado horrível de um tempo em que, se comparado com outras épocas da longa história da Humanidade, vale a pena viver.

Nada tenho contra uma estratégia que alerte para perigos que resultam de estarmos vivos, utilizando para isso alguns acontecimentos que, em si mesmos, são capazes de fixar a atenção dos cidadãos. E, por isso, admito que o caso da criança desaparecida em Lagos possa ser usado para efeitos pedagógicos. Nada tenho contra o debate sobre este tema (por exemplo, será razoável que pais deixem filhos muito pequenos sozinhos num lugar estranho?), mas não é, obviamente, disso que se trata. Aquilo a que assistimos é a uma telenovela estruturada para captar a atenção dos espectadores, provocando neles uma sensação de receio e de empatia ("isto podia ter-me acontecido a mim"), que todos sabemos ser o segredo do sucesso nas audiências televisivas.Os órgãos de comunicação social gostam de valorizar o seu papel estruturante para a existência do Estado de direito. E baseiam na responsabilidade social a importância da sua actividade de denúncia de situações de corrupção e da legitimidade para resistirem a pressões políticas e económicas.

Podemos, cinicamente, afirmar que tudo isso não são mais do que tretas, má-fé, pretextos para justificar o injustificável e aumentar audiências. No meu caso, pelo contrário, afirmo que concordo com essa visão que os media gostam de dar de si próprios. Apenas exijo que, sendo assim, sejam capazes de viver de acordo com tão elevadas e meritórias ideias.A criança desaparecida é inglesa, branca, filha de médicos bem integrados na comunidade, seguramente pessoas estimáveis, que pagam impostos e contribuem para o progresso do seu país. Mas outras crianças oriundas de territórios menos favorecidos, com pais menos integrados, desaparecem, morrem ou são raptadas todos os dias aos milhares por esse mundo fora. Mesmo em Portugal, isso vem acontecendo, infelizmente, com alguma regularidade. Citando de novo o PÚBLICO, no meritório texto que divulgou, em 2006 desapareceram em Portugal 31 crianças, mais de metade das quais com idades entre 11 e 15 anos. Apesar disso, não vi helicópteros e aviões fretados por canais de televisão, centenas de polícias e de cães mobilizados, embaixadores a fazer declarações no meio de ambulâncias, o Presidente da República a ser solicitado para declarações públicas.

As sociedades modernas vieram dar oportunidades e condições de vida que as grandes massas ao longo dos séculos nem sequer suspeitavam que fossem atingíveis. Esse enorme salto em frente vem inevitavelmente associado a riscos e perigos novos, diferentes dos que dizimavam as sociedades tradicionais. O que se passou em Lagos é estatisticamente uma inevitabilidade que decorre da realidade que define o nosso tempo; e é estatisticamente irrelevante em Portugal. Pelo contrário, o que se passa noutros países, alguns dos quais atrás mencionei, não é estatisticamente irrelevante. Mas os media, britânicos ou portugueses, estão-se positivamente borrifando, é para o lado que dormem melhor, estão-se nas tintas, porque manifestamente é mais perigoso e dá menos audiências relatar a tragédia cósmica de Darfur do que descrever em directo os pormenores do drama familiar de Lagos. Estes são factos. Por muito que custem a engolir. Aqui ficam, por isso, relatados. Para que ao menos haja uma pessoa que escreva o que ouço dizer a muitas pessoas com que me tenho cruzado nos últimos dias. » [Público assinantes Link]

Parecer:

José Miguel Júdice escreve com coragem o que muita gente pensa. Vale a pena ler do princípio ao fim.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A EPUL TEM SERVIDO PARA TUDO

«No total, em 2004, a Câmara de Lisboa, liderada por Santana Lopes, adiantou a clubes desportivos, através da Empresa Pública de Urbanização de Lisboa (EPUL), 19,9 milhões de euros. Já que, conforme avançou ontem o CM, também o Benfica recebeu um adiantamento no mesmo valor do que o Sporting, relativo a 200 fogos no Vale de Santo António. Esta situação foi denunciada pelo vereador do BE, José Sá Fernandes, e confirmada por um relatório da Inspecção-Geral das Finanças (IGF), entregue anteontem à tarde aos vereadores na reunião camarária.» [Correio da Manhã Link]

Parecer:

Os favores são para serem pagos, é bom não esquecer que Santana Lopes foi promotor de um jantar onde o submundo do futebol apoiou o PSD nas legislativas ganhas por Durão Barroso.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Questione-se Santana Lopes se esta ajuda tem alguma coisa que ver com o apoio dado pelo futebol ao PSD.»

NEM TODOS CONCORDAM COM UM ACÓRDÃO EVIDENTE

«Vários juristas e especialista de Direito de Crianças e Família, assim como o psicólogo Luís Villas Boas, membro da comissão que reviu a lei da adopção, estão de acordo: o acórdão do tribunal da Relação de Coimbra que reduziu para metade a pena do sargento mas manteve a condenação por sequestro agravado, considerando que Luís Gomes agiu com especial censurabilidade e que só deve ser posto em liberdade para ajudar a desfazer "a ficção familiar que criou junto da sua vítima" é um acórdão "contra a ideia de adopção".» [Diário de Notícias Link]

Parecer:

Parece que os "especialistas" são defensores de adopções forçadas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ignore-se.»

PS ACUSA CARMONA DE QUERER ATRASAR AUTÁRQUICAS DE LISBOA

«O PS acusou esta sexta-feira o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carmona Rodrigues, de querer atrasar o processo eleitoral na autarquia, empurrando as eleições para o Verão e aumentando a probabilidade de uma elevada abstenção.» [Diário Digital Link]

Parecer:

Não deixa de ser curioso que o PS que até há dias pactuava com a gestão da CML, talvez em troca da nomeação de um dos seus presidentes de junta para um cargo de administração na EPUL, esteja agora com tanta pressa em realizar eleições, acusando Carmona de as atrasar.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se aos responsáveis do PS de Lisboa porque razão só agora lhes deu a pressa.»

QUE VÁ COM DEUS

«Catalina Pestana abandona hoje as funções de provedora da Casa Pia de Lisboa, ficando a actual responsável da comissão instaladora da instituição, Joaquina Madeira, à frente dos destinos do organismo. » [Diário Digital Link]

Parecer:

É uma personagem que não me deixou saudades

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Boa viagem.»

PS E GOVERNO AGITAM-SE COM EVENTUAL CANDIDATURA DE ANTÓNIO COSTA

«Junto do primeiro-ministro, há quem admita que o líder do partido encomendou não uma, mas duas sondagens internas, com nomes diferentes. E que em ambas se pode ler António Costa. A dúvida, garante uma fonte ao JN, é apenas uma a ser o candidato socialista, ficaria nas mãos do primeiro-ministro "um problema de orgânica no Governo". Traduzindo, uma remodelação governamental, com a saída do número dois - que é precisamente o único ministro de Estado que ainda sobra a Sócrates desde que foi eleito (Freitas saiu há um ano, Campos e Cunha há dois). Pior, o timing não podia ser mais assustador para o primeiro-ministro, com a presidência da União Europeia à porta.O cenário de uma remodelação assustava, ontem, várias pessoas dentro do próprio Executivo. Mas o tema foi motivo de centenas de telefonemas entre membros do Governo e do partido ao longo de todo o dia. Já o gabinete do ministro da Administração Interna é que parece estar preparado para tudo. Com Costa fora do país (em Marrocos, precisamente a preparar um tema da presidência portuguesa), os secretários de Estado Ascenço Simões e José Magalhães recusaram ontem prestar qualquer declaração ao JN sobre o assunto.» [Jornal de Notícias Link]

Parecer:

Tanto nervosismo por causa de um mau candidato.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Sócrates que faça a remodelação mesmo sem a saída de António Costa.»

CARMONA RODRIGUES: DE BESTIAL A BESTA

«Na hora da despedida, o até quarta--feira presidente da Câmara de Lisboa, Carmona Rodrigues, fez um balanço do seu mandato e chegou a uma conclusão: "Vi-me transformado de bestial em besta e no bode expiatório de todos os interesses que giram em torno desta câmara".

Foi ontem, em conferência de imprensa, que Carmona disse de sua justiça - já não como presidente da câmara mas como seu gestor temporário. E desferiu vários ataques, sem, todavia, nomear aqueles que atacava. Falou dos "entraves à governação" com que se confrontou, da "vergonha" que sentiu nas ocasiões em que se viu "envolvido em jogos de poder e sedução". Eram "jogos de tal forma bem arquitectados por certas mentes perversas que a sua desmontagem era impossível face ao ruído mediático entretanto conseguido".» [Público assinantes Link]

Parecer:

Carmona tem razão, foi exagerado terem começado por bestial já que agora se verificou que o autarca não evoluiu muito tendo começado como terminou.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Marques Mendes que da próxima trate-o desde o princípio como besta, pois só uma grande besta confiaria no líder do PSD.»

CAVACO SILVA TAMBÉM RECEBEU AJUDA DO "CÔNSUL HONORÁRIO"

«A sede da candidatura presidencial de Cavaco Silva em Oliveira de Azeméis foi cedida, a título gratuito, por Aníbal Araújo, um dos candidatos do PS nas legislativas de 2005 pelo círculo de Fora da Europa, em representação de Licínio Soares Bastos, um dos portugueses detidos no Brasil no âmbito da Operação Furacão. A fracção cedida faz parte do Edifício Camões, construído pela família do empresário preso e que é propriedade sua.

Licínio Bastos está envolvido no processo brasileiro designado por "máfia dos bingos", que levou à prisão vários juízes, advogados e empresários, entre os quais outro português, seu sócio, Laurentino dos Santos, por alegadamente negociarem sentenças em benefício do funcionamento de casas de jogo no Brasil.» [Público assinantes Link]

Parecer:

As voltas que a política dá.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se um comentário à Casa Ciil da Presidência da República.»

SEXO E TABACO TERÃO O MESMO TRATAMENTO NO CINEMA AMERICANO

«Érase una vez un símbolo de la madurez y la rebelión: el cigarrillo. Algunos actores de los 50 y los 60 los necesitaban en sus manos para representar sus papeles. Galanes como Humphrey Bogart y Bette Davis les ayudaba a parecer sofisticados una buena calada de su "negro o rubio" placer.

Sin embargo, en estos años el sentimiento acerca de los cigarrillos ha cambiado drásticamente. Desde siempre han sido malos para la salud, pero ahora es cuando se ha reconocido. » [20 Minutos Link]

BISPO GAY QUER CASAR

«Gene Robinson, Obispo de la Iglesia Anglicana, quién ha reconocido abiertamente su homosexualidad, dijo el pasado jueves que espera formalizar la relación con su novio el próximo año, lo que ha provocado un gran revuelo entre su Iglesia, según publica cnn.com [20 Minutos Link]

O JUMENTO NO "TECHNORATI" E NO "GOOGLE BOLG SEARCH"

  1. O "Vila de Paul" [Link] recomenda a leitura do post "Partidos e Independentes". De caminho aproveito para retribuir o link na coluna da direita.

  1. O "Nós somos capazes!" [Link] cita um post onde se defende que a Ota é uma decisão política e não de engenharia ou dos engenheiros. De caminho aproveito para retribuir o link na coluna da esquerda.

SPHINXSO [Link]

CIGARRO ELECTRÓNICO

«Cigarrillo electrónico. Demostración de cómo funciona el nuevo e-cigarette en Hong Kong, destinado a que los fumadores que quieren dejarlo tengan un sustituto lo más parecido a un cigarrillo de verdad. El humo es en realidad vapor de agua, y lo que parece estar encendido es una luz que funciona con baterías; cuando el fumador inhala, el aparato libera nicotina.» [20 Minutos Link]

NASA APRESENTA SUCESSOR DO HUBBLE

«LA NASA ya está preparando el telescopio espacial James Webb, la próxima maravilla de la astronomía que supondrá además menos gastos que el Hubble, según han asegurado los expertos de la NASA.

El observatorio "obtendrá imágenes desconocidas" sobre la formación de las galaxias y responderá muchos interrogantes sobre el origen del universo y la humanidad, según han indicado los técnicos, en una conferencia de prensa para presentar una maqueta del telescopio a escala real.» [20 Minutos Link]

GYMGLISH [Link]

Para aprender inglês por e-mail.

OS MILAGRES DO PHOTOSHOP

SERVICE PLAN

[2][3][4]

DAIMLER CHRYSLER SMART

[2][3]

«Still looking for weapons of mass destruction. Not smart.Smart. Open your mind.»

sexta-feira, maio 11, 2007

Partidos e "independentes"


Com a aproximação eleições intercalares para a autarquia de Lisboa o debate em torno do funcionamento dos partidos vai regressar ainda os partidos não adiantaram nenhum candidato e já há três “independentes” (pintados de fresco) disponíveis para se candidatarem, Helena Roseta, Fontão de Carvalho e Carmona Rodrigues.

Mesmo sendo os piores exemplos de independentes, são gente que viveu à sombra dos partidos ou que beneficiaram deles para obterem protagonismo pessoal, não deixa de ser verdade que os partidos portugueses são cada vez menos partidos para passarem a ser organizações semi-secretas onde as teias de relacionamento pessoal e os interesses que giram à sua volta são mais importantes do que os vínculos ideológicos que unem os seus militantes.

Os partidos que têm estado no poder há muito que deixaram de ser partidos, são “Cavalos de Tróia” que servem para conquistar o poder e repartir o saque por aqueles que o empurram.

O PSD de Marques Mendes nada tem que ver com o de Santana Lopes e comparad com o de Sá Carneiro apenas tem ligeiras semelhanças, o que o caracteriza não é uma ideologia mas sim quem lá manda e os que os suportam, que serão os primeiros beneficiários caso o actual líder chegue ao poder.

O PS de Sócrates é muito mais próximo do PSD de Cavaco Silva do que o PS de Ferro Rodrigues, se o PS de Ferro fosse Governo o PS de Sócrates teria mais argumentos para fazer oposição do que o PSD de Sócrates tem para se opor ao actual governo.

Os aparelhos partidários há muito que deixaram de ter valores, princípios ou ideologia, unem-se em torno de capos (os homens do aparelho) a quem cabe partilhar os saques e apoiam aquele que as sondagens indicam como os mais fortes. Os mesmos que no passado ridicularizaram Marques Mendes são os seus actuais defensores, da mesma forma que os que diziam cobras e lagartos de Sócrates, quando este andava a mendigar concelhias, são os que agora promovem o culto da personalidade e quase agridem quem ouse criticar o chefe.Mais do que debater o que é ser esquerda ou o que é ser direita talvez mereça a pena discutir o que deve ser um partido no século XI e questionar porque razão num mundo de cada vez mais democracia os partidos são organizações cada vez menos transparentes.