sábado, setembro 08, 2007

PCP-BE: o campeonato da 2.ª Circular

(Festa do Avante, 2005)


Com a direita sem grandes propostas e a discutir qual o melhor entre os piores candidatos a primeiro-ministro, a luta política centra-se naquilo a que na gíria futebolística se designa por campeonato da 2.ª Circular. Uma luta silenciosa entre o PCP e o que restou da extrema-esquerda (ainda que o BE pareça mais o Atlético do que um Sporting) pela liderança comunista em Portugal.

Esta disputa já marcou as autárquicas de Lisboa, com o PCP e o BE a recusarem alianças porque pretendiam medir forças na capital. O PCP vendeu, usando mais uma vez a gíria da bola deu uma abada ao BE. Mas o BE respondeu com uma aliança com o PS que lhe permitiu partilhar o poder na capital, poder que Sá Fernandes está usando para convencer os portugueses que é possível fazer uma reforma agrária nos terrenos abandonados e nos jardins de Lisboa.

Terminadas as férias o BE regressou em força, enquanto o PCP montava os andaimes da Festa do Avante e preparava a agenda de manifs e greve dos profs, o BE imitou a universidade de Verão do PSD e montou o ATL do BE. Entretanto deu cabo de um hectare de milho, ainda que o tenha feito por interposta pessoa pois como quer dar ares de partido responsável, capaz de assumir funções governativas, não ficava bem nem a Louça ou a Miguel Portas andarem de cara mascarada no meio de um milheiral, ainda por cima o meio não é saudável para as suas roupas de marca.

Com o BE a fazer os possíveis para disfarçar o seu programa político, o PCP lança mais uma vez a Festa do Avante, uma demonstração de capacidade de organização e não tem vergonha de assumir o seu património histórico nem de assumir o seu programa político, enquanto o BE se disfarça nas batalhas contra os transgénicos o PCP celebra a Revolução de Outubro. Goste-se ou não o PCP assue aquilo que é e que quer, não se esconde por detrás de uma marca branca com uma embalagem apelativa, mas que nada tem que ver com o seu conteúdo.

Enquanto isso o BE deve estar na praia pois há muito que percebeu que os seus picniques pareciam ridículos, aliás, o BE disfarçou a sua pequenez organizativa ao promover o ATL pois desta forma esquivou-se a medir forças no plano da organização de eventos.

Goste-se ou não a Festa do Avante é uma grande demonstração de capacidade de organização do PCP, ainda que o partido não revele no resto do ano a criatividade e a tolerância dos três dias da festa. Por estas horas Louçã deve estar a roer as unhas de inveja enquanto muitos dos jovens que votam no BE estão na Festa do Avante.

A Festa do Avante encerra um ciclo do campeonato da 2.ª Circular em que o PCP marcou frente ao agrupamento das várias tendências da extrema-esquerda que desde os anos sessenta lhe disputam o estatuto do “partido do proletariado”.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Ponte Vasco da Gama

IMAGEM DO DIA

[Julian Abram Wainwright / EFE]

«Dedicado a Bush. Manifestantes se bajan los pantalones en un intento de batir el récord del mundo de personas que muestran sus nalgas en una iniciativa llamada Traseros para Bush, una acción de protesta contra la guerra en Irak en Sidney, donde se celebra el Foro de Cooperación Económica Asia-Pacífico (APEC).» [20 Minutos]

JUMENTO DO DIA

A alegria do ministro das Finanças

O ministro das Finanças não perdeu a oportunidade de dizer que a economia portuguesa está a crescer acima da média da zona euro, Só é pena que o ministro não tenha reparado que a diferença é milimétrica, nem considere o facto de o ciclo económico português ser diferente do das economias europeias. Como se isso fosse pouco a economia está a desacelerar.

Poucos motivos de alegria depois de os portugueses terem sido sujeitos a um apertar de cinto digno dos tempos duros do FMI e de se ter processado uma violenta alteração da distribuição dos rendimentos em favor dos mais ricos.

BASTARAM DOIS DIAS PARA VOLTAREM À RUA AUGUSTA

Dois dias depois da intervenção policial os habituais vendedores de louro disfarçado de haxixe já andavam outra vez a dominar a Rua Augusta incomodando todos os turistas que passam. Sinal de que não receiam a polícia, que, pelos vistos, nem sequer lhes terá aplicado uma multa por venda ambulante.

Todavia, a solução para o problema seria simples, bastaria identificar estes "vendedores" e cruzar a informação com a Segurança Social pois é muito provável que beneficiem do rendimento mínimo. Não é aceitável que os cidadãos paguem impostos para que depois de receberem o rendimento mínimo e, porventura, viverem em casas cedidas pelo Estado, venham para a rua exercer actividades ilegais e prejudicar o turismo de Lisboa.

Já é tempo de serem adoptadas medidas.

O MINISTRO É CULPADO?

Um ministro é culpado porque o cabo de Silves só mandou dois soldados da GNR para impedir os verde-eufémios de fazerem disparates? É responsável porque as polícias lhe deram uma informação errada a propósito de um incidente em Viana do Castelo. É evidente que não, o Governo pode ser responsável por não ter uma política de combate à criminalidade, se for caso disso, mas acusar um ministro de ser culpado do que sucedeu em Silves é ridículo.

Temos uma oposição pequenina e gandula, pequenina porque se preocupa com coisas menores e gandula porque prefere discutir o fait divers do que se preparar para debates sérios sobre as questões fundamentais.

OS VERDE-EUFÉMIOS E OS ASSALTANTES AOS BANCOS

A direita saiu do torpor em que estava graças a dois incidentes que lhes permitiu sair aos berros como se estivesse a combater a Revolução de Outubro que o PCP celebra na Festa do Avante. Graças aos verdes-eufémios e aos assaltos aos bancos foram ao frigorífico buscar duas das suas maiores causas, a defesa da propriedade e a segurança.

Mas criticar a actuação das forças policiais nos dois caos é um mau serviço prestado, ninguém esperaria que o cabo da GNR de Silves mandasse o agrupamento Alfa para o milheiral, da mesma forma que os assaltos aos bancos são imprevisíveis, tanto mais que neles têm participado criminosos vindo de outros países.

A AUTORIDADE AOS PONTAPÉS

«A primeira vez que escrevi sobre violência policial, era uma estagiária do Expresso e o caso o da morte de um adolescente, alvejado por um guarda fiscal. Ao seguir o julgamento, dei-me conta da forma determinada como a corporação cerrava fileiras para proteger o seu homem. Mas, também, da dificuldade de expressão do arguido, um indivíduo baixo e franzino, oriundo de uma aldeia do Norte e colocado em Lisboa, onde não conhecia ninguém, a quem entregaram uma pistola como "símbolo da autoridade" (e que entendeu usá-la ao sentir essa "autoridade" posta em causa por um grupo de miúdos). Em 20 anos de jornalismo e em várias reportagens sobre o tema ouvi muitas mais vezes esta expressão, a par com outra, a da "afirmação da autoridade", para justificar o "uso da força". Ouvi-as a polícias de giro, a graduados e a comandantes. E ouvi eminentes defensores dos direitos, liberdades e garantias, como Ângelo de Almeida Ribeiro - o provedor de Justiça que em 1986 denunciou a violência policial nas esquadras e exigiu que os agentes passassem a ostentar uma placa com a sua identificação -, contraditá-las incansavelmente. » [Diário de Notícias]

Parecer:

De Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

QUANTO PIOR, PIOR

«Várias vezes disse que eu seria tanto mais libertário quanto mais securitária for a estrutura político-legal do Estado. É, pois, em nome de uma vontade de liberdade e de um Estado cada vez mais garantístico que declaro que o que se passou neste Verão tem de acabar!Senhoras autoridades: cumpram o vosso dever, ataquem a criminalidade. Não ataquem a reforma do Código de Processo Penal que vai entrar em vigor dentro de dias. A criança ainda é inocente.» [Público assinantes]

Parecer:

O apelo de José Miguel Júdice às polícias ara que combatam a criminalidade.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A FILA NA SÃO CAETANO

«Segundo o dr. Luís Filipe de Menezes, numa conversa com a revista Visão, os comentadores são "tolos", porque o acham populista. Menezes acha que não é e apresenta provas: 1.ª Chegou ao fim do curso de Medicina com uma nota alta; 2.ª Foi um dos melhores do curso; 3.ª Também foi assistente aos 21 anos; 4.ª Teve uma carreira médica e profissional quando outros a não tiveram; 5.ª Esteve num governo do dr. Cavaco, "sem mácula e superelogiado"; 6.ª Conseguiu, aparentemente, ser um "bom deputado"; 7.ª Pegou num concelho que não existia e acabou por o transformar num "modelo de virtudes" para Portugal; 8.ª Escreve e pensa pela cabeça dele; 9.ª Fala sobre a Ota e sobre política europeia; 10.ª Gosta de arte e de literatura; e, 11.ª, lê "o Steinbeck" e "o Hemingway".

Uma pessoa fica sem saber que mais proezas no passado e qualidades no presente excluem taxativamente o dr. Menezes da categoria de "populista". Porque, tirando o episódio do dr. Cavaco, a descrição que ele fez de si mesmo (e que julga, suponho, iluminante) podia servir a um conservador, a um liberal, a um socialista, a um comunista, a um trotskista, e até, Deus meu, a qualquer barão do PSD. A vaidade ingénua do dr. Menezes não revela nenhuma particular propensão ideológica: revela (e já basta) o dr. Menezes, com o seu ridículo espírito de vingança (prometeu correr com Carlos Coelho, Silva Peneda e Graça Moura) e um pequenino ódio a Azevedo Soares, Miguel Macedo e Pedro Vinhas. Quanto ao populismo, a história é outra.

Na entrevista à Visão, o dr. Menezes pede aos "comentadores" que definam "populismo". Não percebeu talvez o que significa recomendar (como ele recomendou) que o presidente do PSD participe pessoalmente no mais preliminar protesto contra um despedimento colectivo ou o encerramento de uma fábrica. E não percebeu, de certeza absoluta, o que significa a sua ambição declarada de "tirar" a "hegemonia da rua à esquerda". O dr. Menezes não percebe e não se percebe. Na própria conversa com a Visão, em que se tentou a todo o custo portar bem, trata com enorme desprezo os "70 ou 80" "notáveis" do partido (antigamente "péssimos secretários de Estado e péssimos ministros") que andam agora por aí a defender um lugarzito. Ele, Menezes, só se interessa pelos 140 mil militantes. Como um verdadeiro chefe. E, com o cinismo de um verdadeiro chefe, não duvida que "não sai ninguém" e que no dia seguinte (a ele ganhar) "a fila na São Caetano dará a volta à Lapa". Quem não reconhece o tom? E quem se quer meter nas mãos deste homem? » [Público assinantes]

Parecer:

Vasco Pulido Valente continua a desancar a bom ritmo, desta vez a vítima da sua moca BIC foi Luís Filipe Menezes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A MELHOR DO DIA FOI DE JERÓNIMO DE SOUSA EM ENTREVISTA AO PÚBLICO

«Vão estar à venda os livros de Zita Seabra e de Raimundo Narciso?

Não costumamos fazer indexação de livros. Admito que não haja, por razões de relação comercial. Mas da parte da direcção e da minha parte não houve qualquer preocupação.» [Público assinantes]

Parecer:

Digamos que encontrar o livro de Zita Seabra na Festa do Avante é o mesmo que encontrar preservativos a serem sorteados numa quermesse da Igreja Católica.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Contenha-se a gargalhada.»

VÍRUS DE ORIGEM ISRAELITA DESTRÓI COLMEIAS NOS EUA

«Un virus que tuvo su origen en Israel podría ser la principal causa de la creciente extinción de abejas productoras de miel en todo Estados Unidos, según un estudio publicado hoy por la revista Science . La epidemia, identificada como Trastorno de Colapso de Colonias" (TCC), ya ha afectado a entre el 50 y el 90% de las colonias que producen miel en EEUU.

La investigación, realizada por científicos de la Universidad Estatal de Pensilvania, el Servicio de Investigaciones Agrícolas y la Universidad de Columbia, señala que el descubrimiento es un importante paso para resolver el problema. » [20 Minutos]

CHINA: 23 AGULHAS ESPETADAS NO CORPO POR TER NASCIDO MENINA

«Es bien sabido que en algunas zonas de Asia el nacimiento de las niñas se vive como una desgracia, ya sea por su menor fuerza física, por la obligación de concederles una dote o porque con ellas se pierde el apellido familiar, como sucede en China.

Éste fue la reacción de la familia de la joven Lue Cuiden, a la que los médicos han detectado 23 agujas que le fueron supuestamente insertadas por sus abuelos cuando nació, por la decepción que les causó el hecho de que no fuera una niña.» [20 Minutos]

FILIPPOV

LOMONOSOV KATERINA

DIMSON

NIKOS ROMANOV

ROMAN GORCHAKOV

A ÚLTIMA MORADIA

SONY VAIO

[2][3]

Advertising Agency: Jack Morton Worldwide, Australia
Creative Director: Philip McDougall
Art Direction: Marvin Joseph
Photographer: Marvin Joseph repped by Maynard Imaging
Additional credits: Rhonda May Hair & Make-up repped, Bianca Chong Fashion Stylist

WELEDA

[2][3]

Advertising Agency: TBWA\Hunt\Lascaris, Johannesburg, South Africa
Creative Director: Lapeace Kakaza
Copywriter: Festus Masekwameng
Art Director: Brent Singer
Photographer: Gerard Turnley
Retoucher: Rob Frew

EXTERMINEX

[2][3]

Agency: Saatchi & Saatchi, London, United Kingdom
Art Director: Steve Carlin
Copywriter: Joel Bradley
Illustrator: Steve Carlin

sexta-feira, setembro 07, 2007

Duas notícias curiosas


Ao ler a revista Sábado dou com duas notícias curiosas:

«Por favor, não apareça por cá
Gualter Baptista, porta-voz do movimento Verde Eufémia, era um dos oradores do debate Socialismo 2007, que o Bloco de Esquerda promoveu este fim-de-semana. O BE demarcou-se do movimento e Baptista foi desconvocado: “Ligaram-me a perguntar se me importava de já não for”, confirmou Gualter à SÁBADO”.

Lembram-se de ter visto Louçã indignado porque Jaime Silva, ministro da Agricultura ter insinuado a existência de uma relação entre os verde-eufémios e os tijolinhos da esquerda moderna? Loução até exigiu com ar todo inflamado que Sócrates tomasse uma posição pública.
O próprio Miguel Portas assegurou que não havia relação alguma do Gualter com o Bloco, etc., etc..

Bem, por falar em manipuladores de pacotilha aqui temos outro, o dr. Macedo achou que vboltava ao BCPO e podia continuar a usar a comunicação social para o seu engrandecimento pessoal, como fez na DGCI. Teve azar, um mero assessor de imprensa pô-lo no lugar, porque no Opus Millennium não é qualquer beato que reza homilias:

«Ó Paulo, fizeste algum acordo sem eu saber?
Estava combinado há três semanas com Paulo Macedo: a Sábado iria acompanhar o regresso do ex-director-geral dos Impostos ao BCP na segunda-feira dias 27 de Agosto. “Iria”, porque o assessor de imprensa do banco, Paulo Fidalgo, entrou em cena: “Não vai ser possível fazer isso que você inventou.” Primeiro, “chumbou” a reportagem e acusou a SÁBADO de “inventar” e, só depois, ligou a Macedo, a confirmar a veracidade do acordo: “Ele ligou-me a perguntar se eu tinha combinado alguma coisa”, confirmou Macedo à SÁBADO. Num segundo momento, voltou a ligar-lhe, esclarecendo que já tinha então falado com o presidente do BCP e que a reportagem não era possível “pela instabilidade que se vive”.»

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Castelo de Almourol

IMAGEM DO DIA

[Michael Reynolds / EFE]

«Lavado de carbón. Un trabajador lava carbón para eliminar impurezas e incrementar su valor en una mina en Rujigou, China. Aproximadamente el 70 % de la energía en China procede del carbón, lo que supone un enorme coste para el medio ambiente además de pérdidas humanas. China consumió aproximadamente 2.400 millones de toneladas de carbón en el 2006, lo que supera el consumo conjunto de Reino Unido, Japón y Estados Unidos, según se afirma en un reciente informe publicado por la revista Asuntos Exteriores.» [20 Minutos]

JUMENTO DO DIA

Não cometeu nada ilegal

Luís Filipe Menezes, candidato a candidato a primeiro-ministro, viaja num avião emprestado por um empresário de Gaia que, por coincidência, tem relações com a autarquia daquele cidade, mas não nisso nada de ilegal. É capaz de ter razão, tal como Durão Barroso no caso Somague não roubou nenhum papo-seco.

PAVAROTTI

Una furtiva Lagrima - Pavarotti

Em Pavarotti para além do canto apreciava a sua grandeza, Pavrotti era todo grande, grande na simplicidade, na alegria que transmitia, na generosidade, na preocupação pelos mais fracos. Aqui fica "Uma lágrima furtiva" de e por Luciano Pavarotti.

JÁ SOU "ALGUÉM"

Graças ao Macroscópio fiquei a saber que o jornalista José António Teixeira disse na TSF que houve "alguém" na blogosfera que afirmou que no caso Somague haveria uma "omertà" à portuguesa. Confesso que fiquei contente.

Mas não foi por saber que um jornalista que considero como dos que ainda merecem essa designação, porque cada vez que diz o que pensa não fico com a sensação que a seguir vai pedir a comissão ou a gorjeta (é o que está a dar) a alguém, se eu o leio é natural que também me leia e enquanto leitor do Jumento tem tanta consideração como qualquer outro leitor, da mesma forma que eu não passo de um leitor ou espectador anónimo. Foi antes porque se há algo que sempre desejei na vida foi ser "alguém".

A não ser para os já são alguém ainda antes de nascer o objectivo da educação é que as crianças venham a ser alguém foi isso que ouvi milhares de vezes à minha mãe. Ouvir a palavra de "alguém" da boca de um jornalista que prezo deixa-me orgulhoso, ainda que eu preferisse que se tivesse referido ao Jumento mesmo sendo evidente que isso não seria muito abonatório para as minhas pessoas. Mas também não seria ofensa, desde que me conheço que enquanto cidadão deste país os governantes e as elites da treta deste país me tratam pensando que o sou.

POR FALAR EM DURÃO BARROSO

«Era o Verão de 2001 e o PSD preparava a sua rentrée. A preocupação central de Durão Barroso era não se sair muito mal nas autárquicas que teriam lugar no fim desse ano, para conseguir segurar a liderança do partido. Não lhe passaria pela cabeça que no Verão seguinte já seria ele o primeiro-ministro. Muito menos que chegaria a presidente da Comissão Europeia dois Verões depois desse.

Para ir fazendo política, Durão Barroso tinha para apresentar um novo slogan e um logótipo. O slogan rezava "PSD 100% Consigo" e o logótipo era uma espécie de laranja estilizada. Mas estas coisas não saem baratas. Segundo o último Expresso, foi por este slogan e este logótipo que uma empresa chamada Novodesign, de Lisboa, cobrou ao PSD um pouco mais de 233 mil euros. Escrevo 233 mil euros e não 46 mil contos porque, embora o novo slogan e logótipo tenham sido apresentados no tempo em que ainda usávamos notas e moedas de escudos, a factura só foi paga em Março de 2002, após a introdução das notas e moedas de euro.

Entre uma coisa e outra, a política nacional tinha mudado: o PSD ganhara as câmaras municipais mais importantes do país, o Governo PS caíra, novas eleições legislativas estavam à porta. Ora, poucos dias antes destas eleições, as sondagens já davam como certo que Durão Barroso seria o primeiro-ministro seguinte. E foi nesse momento que a Somague, uma empresa de construção, se convenceu de que seria boa ideia pagar à Novodesign uma conta de 233.415 ?.

Como sabemos que a conta que a Somague pagou era, na verdade, do PSD?

Graças à mão de alguém da Novodesign que escreveu "por serviços prestados ao PPD/PSD" nas facturas correspondentes, na ignorância de que tal pagamento fosse ilegal. Quando se cobra uma fortuna para pensar em slogans manhosos, é inevitável, suponho eu, que nos tornemos um pouco desleixados. Mas, se não tivesse havido essa imprevidência, hoje os portugueses não saberiam que aquele "100% Consigo" foi pago a cem por cento por uma empresa.

Durão Barroso, que era o presidente do partido, diz que o assunto é cem por cento nada com ele: quem tratava das coisas era o secretário-geral. José Luís Arnaut, que era o secretário-geral, contradiz Durão Barroso: quem tratava das coisas era o secretário-geral adjunto, que está impossibilitado de falar por ter sofrido um acidente vascular cerebral.Nós acreditamos nisto porque Durão Barroso é um líder. Ora, como sabemos, liderar significa exibir novos logótipos e slogans sem querer saber de onde vem o dinheiro que paga essas coisas. Liderar significa achar normal que o partido pudesse receber presentes de duzentos mil euros sem que o seu presidente fosse informado de tal caridade. Liderar significa, em última análise, passar a batata quente para o fulano que teve um AVC. Não há dúvida: são grandes homens.» [Público assinantes]

Parecer:

Não há nada a acrescentar à opinião de Rui Tavares, fica tudo dito.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

SINDICATO MUITO EFICAZ

«António Ramos, presidente daquele sindicato, revelou ao DN ter visionado o vídeo e conseguido identificar a situação: "Já estive com os agentes que intervieram nessa acção e até tenho o expediente comigo". Segundo explicou, a "acção ocorreu na noite de 18 de Novembro de 2006. Os agentes foram chamados porque um grupo de cerca de dez jovens de Chelas, já alcoolizados, se envolveram em desacatos defronte do bar Havana, no Parque das Nações, por causa de uma rapariga".» [Diário de Notícias]

Parecer:

Mal a PSP tinha dito que ia investigar o vídeo colocado no Youtube já um sindicato dos polícias sabia de tudo e até está na posse do expediente. Enfim, o sindicato parece ser muito eficaz no esforço de ilibar os colegas, só não consegue explicar muito bem como os polícias usam o pontapé em legítima defesa. Estamos perante um caso de evidente parcialidade e desculpabilização dos agentes envolvidos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Investigue-se.»

LUÍS FILIPE MENEZES TAMBÉM RECEBE GORJETAS DE EMPRESÁRIOS AMIGOS

«A viagem eleitoral de Luís Filipe Menezes a cinco ilhas açorianas, feita num jacto privado, foi paga por um empresário do sector hoteleiro com interesses em Vila Nova de Gaia. Trata-se de Carlos Saraiva, patrão (e dono) do Grupo CS, cujo principal empreendimento é a Herdade dos Salgados, um investimento de 276 milhões de euros em Albufeira.

Em Gaia, os projectos de investimentos de Carlos Saraiva estão avaliados em 55 milhões de euros: 30 milhões na transformação dos antigos armazéns vinícolas Grã Cruz num condomínio habitacional; e 25 milhões num hotel, estando ambos os projectos ligados à recuperação da zona histórica.» [Diário de Notícias]

Parecer:

A reacção de Menezes é absolutamente ridícula, ele sabe muito bem que a lei não se mete no assunto, portanto, dizer que não cometeu uma ilegalidade é gozar com os portugueses.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Menezes que abandone a corrida.»

FINALMENTE

«Tratou-se de uma mega-operação, que começou pelas 15.00 e terminou às 17.00, e que envolveu cerca de cem polícias, começando com agentes da investigação criminal "à civil". Estes foram colocados estrategicamente na baixa lisboeta, nomeadamente na Rua Augusta e no Poço de Borratém (junto ao Martim Moniz) para detectar situações ilegais no âmbito da venda ambulante, da venda de droga e da prostituição.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Já era tempo de a PSP intervir na Baixa de Lisboa onde os turistas e todos os que por ali circulam são incomodados de dez em dez metros.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se a acção da PSP.»

OS ASSALTOS NÃO DEVEM PREOCUPAR APENAS OS BANCOS

«A Associação Portuguesa de Bancos (ABP) "não está preocupada" com a vaga de assaltos a instituições bancárias, garante João Salgueiro. Contudo, sublinha o presidente da APB, "o país deve estar preocupado", porque estamos perante "um problema público, um problema de polícia, um problema de criminalidade".» [Jornal de Notícias]

Parecer:

O curioso desta intervenção do presidente da APB é este sentir que não tem a solidariedade da população, como se esta achasse que ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a João Salgueiros que aconselhe os seus associados a roubarem menos os portugueses.»

MILAGRE!

«No fim do ano passado, Carlos Silva não tinha o 9.º ano. Actualmente, está a começar a formação que lhe conferirá o 12.º e já pensa na universidade. Com 50 anos, voltou à escola, no âmbito do programa Novas Oportunidades, e ficou surpreendido com o que a vida lhe tinha ensinado, agora devidamente certificado em termos académicos. Um computador portátil ligado a internet de banda larga móvel, por 150 euros, foi apenas um bónus. O verdadeiro prémio foi ter aberto novos horizontes à vida.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Acabar o 9.º ano e a caminho de concluir o 12.º ano é um verdadeiro milagre, o melhor será os alunos abandonarem a escola, tirarem umas férias de três ou quatro anos e voltar a estudar nas Novas Oportunidades, levam um canudo e ainda ganham um computador, se tiverem sorte até pode ser que recebam o aparelho das mãos do próprio Sócrates.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Sócrates que reabra a Universidade Independente e a ponha ao serviço das Novas Oportunidades., poderia designar-se UNO, Universidade das Novas Oportunidades.»

O ABANDONO ESCOLAR DIMINUIU?

«A ministra da Educação negou, ontem, que a taxa de abandono escolar precoce tenha crescido, anunciando mesmo uma diminuição do registo de 3 pontos percentuais em relação a 2006, situando-se agora em 36,3%. Maria de Lurdes Rodrigues salientou que "os dados do segundo trimestre de 2007", que reflectem os resultados escolares de 2006, apontam um decréscimo "muito significativo", tendo em conta a manutenção da mesma taxa, nos três últimos anos, em níveis perto dos 40%. Fonte do gabinete ministerial sublinhou mesmo, ontem ao JN, tratar-se "seguramente da maior redução da última década".» [Jornal de Notícias]

Parecer:

É uma pena que a ministra responda a dados oficiais com dados que só ela conhece.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelos resultados finais.»

UMA VERGONHA

«A Procuradoria-Geral da República (PGR) não irá investigar o chamado caso Somague, referente ao alegado financiamento ilícito daquela empresa de construção civil ao PSD, durante as eleições autárquicas de 2001. Segundo um despacho do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, "não se verificam, por ora, os pressupostos que, de acordo com o princípio da legalidade, fundamentam a abertura de um processo criminal".» [Jornal de Notícias]

Parecer:

nada que não se estivesse à espera.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Estudem-se todas as relações entre a Somague e o PSD ou os governos do PSD.»

CRIMINALIDADE, A EXPLICAÇÃO OPORTUNISTA DE MARQUES MENDES

«O líder do PSD, Luís Marques Mendes, afirmou hoje que a motivação e prestígio das várias forças de segurança constituem a única forma de Portugal ser um país cada vez mais seguro, escreve a Lusa.

«Só há uma forma de termos um país cada vez mais seguro, que é ter forças de segurança motivadas e prestigiadas e a agir no terreno com eficácia», adiantou Marques Mendes aos jornalistas, em Ponta Delgada, comentando os mais recentes incidentes registados em Portugal na área da segurança. » [Portugal Diário]

Parecer:

Isto é quase uma anedota, Marques Mendes explica uns quantos assaltos a bancos com a desmotivação da PSP.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Marques Mendes que se deixe de intervenções irresponsáveis.»

E ESTA?

«Neste encontro participou também o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, Martins da Cruz, que dirige actualmente a Agência Municipal de Investimento de Gaia (AMIGAIA), autarquia liderada por Luís Filipe Menezes.» [Portugal Diária]

Parecer:

O compadre de Durão Barroso e papá da Diana tem um tacho na Câmara Municipal de Gaia, um daqueles tachos que servem para se ganhar algum. O Pedro Santana Lopes ganha à conta de Vila Real de Santo António e omartins da Cruz encontrou a sua fonte de receita em Gaia. Quantos mais haverão a viver à conta dos nossos impostos?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se uma imensa gargalhada!»

AFINAL, QUEM PROIBIU A PUBLICAÇÃO DAS ESCUTAS

«A norma do novo Código de Processo Penal (CPP) que proíbe a divulgação, por qualquer meio, de escutas telefónicas integradas em processos judiciais sem o consentimento dos escutados apanhou quase toda a gente de surpresa: juristas, juízes, políticos que estiveram envolvidos no pacto para a justiça e mesmo muitos deputados que não estiveram envolvidos na redacção do novo Código.

Ao que tudo indica, o Governo enviou uma versão do projecto, sem a norma em causa, para as entidades auscultadas em fase de consulta, e depois apresentou outra no Parlamento, já com a proibição de divulgação ali contida.» [Público assinantes]

Parecer:

Compreende-se, o Governo jogou à defesa, protegeu-se a si próprio

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Sócrates o que tem contra a liberdade de informação.»

A REACÇÃO DO PSD NÃO PODIA TER SIDO MAIS HIPÓCRITA E RIDÍCULA

«Sociais--democratas reiteram que não houve qualquer comportamento criminoso no processo Somague a Recebida como uma "boa notícia" por Marques Mendes, a decisão do DIAP de Lisboa de não abrir um inquérito no caso de suspeita de financiamento ilícito do PSD faz a direcção social-democrata respirar de alívio, que se poderia ver compelida a ter de prestar contas sobre um processo que ocorreu sob a liderança de Durão Barroso. "O Ministério Público entendeu que não havia matéria-crime", sublinhou Marques Mendes, considerando que tal decisão significa que "não houve qualquer intenção, nem qualquer comportamento de natureza criminosa". Também José Luís Arnaut, que era secretário-geral do PSD à altura dos factos, se congratulou com a decisão por entender que "confirma a correcção de comportamentos" por parte do seu secretário-geral adjunto de então, Vieira de Castro. » [Público assinantes]

Parecer:

Pudera!

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a marques Mendes se já perdeu a noção do ridículo.»

QUASE ENTRARAM NO HOTEL DE BUSH DISFARÇADOS DE TERRORISTAS

«Un grupo de humoristas disfrazados de terroristas, uno de ellos caracterizado como Osama bin Laden, ha logrado pasar hoy por dos controles de seguridad Sydney, la misa ciudad en que se celebra la cumbre del foro de Cooperación Económica Asía Pacífico (APEC).

El grupo del programa televisivo The chaser's war on everything ha sido finalmente detenido cerca del hotel donde se está hospedando el presidente de EE UU, George W. Bush, y al que presuntamente pretendían llegar.» [El Pais]

TOPIARY

H. MORGEN

F. MONTEIRO

DANIELLE

NATALIE ADDAMS

MARIE ANTHONY

MILITARES [Imagens]

WILDAID

[2]

Advertising Agency: JWT Norlop Quito, Ecuador
General Creative Director: Mauricio Cuevas
Creative Director: Bryan Recalde
Art Director: Marcelo Tamayo
Copywriter: Bryan Recalde
Ilustrator and retouching: Marcelo Tamayo

MAPMYRIDE.COM

[2][3]

Advertising Agency: tda advertising & design, USA
Creative Director: Jonathan Schoenberg
Copywriter: Mike King, Justin Horrigan
Art Director: Alex Rice
Photography: Stock

CRUZ VERMELHA DO CANADÁ

[2]

Advertising Agency: Downtown Partners, Toronto, Canada
Creative director: Dan Pawych
Copywriter: Andy Linardatos
Art Director: Hylton Mann
Photographer: Frank Hoedl
Producer: Anne Marie Martignago
Production house: Westside Studios, Toronto
Account Director: Sheng Sinn