sábado, fevereiro 09, 2008

Nas próximas legislativas voto no LNEC!


Se as decisões políticas envolvendo os maiores investimentos públicos assentam nos preâmbulos dos relatórios do LNEC, sem sequer os lermos, faz todo o sentido votarmos no LNEC deixando a este questões menores com a escolha do primeiro-ministro. Mas como vivemos e democracia não faria sentido votarmos num laboratório único, a CIP poderia candidatar-se propondo o seu grupo de estudos e as próprias universidades poderiam apresentar as suas candidaturas. Teríamos a certeza de que o próximo governo actuaria de forma científica, não havendo o rico de alguém confundir o Tejo com o Estreito de Gibraltar, vendo camelos onde seria de esperar que pastassem vacas leiteiras.

Depois de eleito o LNEC procederia à avaliação curricular dos candidatos a governantes que poderiam ser contratados por concurso ou por nomeação directa do presidente do LNEC. Teríamos a certeza de que os doutores eram mesmo doutores e os engenheiros eram engenheiros para depois não andarmos a perder tempo com avaliações curriculares ou de carácter dos governantes. Da mesma forma que ninguém conhece os especialistas que elaboram os estudos do LNEC também não teríamos necessidade de saber quem era o primeiro-ministro ou os ministros, o que não seria novidade, ninguém sabe quem são os secretários de Estado, dois terços dos ministros raramente aparecem e o primeiro-ministro vai aparecendo e desaparecendo mis ou menos ao ritmo da Lua.

O Presidente da República é o exemplo da sapiência nesta matéria, enquanto foi jovem e primeiro-ministro decidiu tudo sozinho e nem para remodelar a sua vivenda Mariani recorreu ao LNEC, agora que chegou à idade da sabedoria confia cegamente no LNEC, decisão adoptada com base num estudo do LNEC tem mais força que os direitos constitucionais. Com o LNE a governar Cavaco Silva poderia dedicar-se tranquilamente aos seus roteiros e ainda lhe sobrava tempo para fazer uns carapaus alimados.

O país viveria tranquilo, os Litérios deixariam de mobilizar reuniões, o bastonário da Ordem dos advogados seria um homem feliz e mais elegante, a procuradora Maria José usaria menos rímel em busca de uma beleza utópica, Santana Lopes poderia voltar a andar por aí, Menezes regressaria à pediatria e Sócrates poderia voltar aos projectos pois com a vaga de portugueses que fogem para o estrangeiro não lhe faltariam projectos para assinar.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura -

FOTO JUMENTO

Ourique

IMAGEM DO DIA

[Jonathan Ernst / Reuters]

«George W. Bush se chupa los labios antes de comenzar un discurso en Washington, DC, EE. UU.» [20 Minutos]

JUMENTO DO DIA

Solidariedade

O folhetim das precipitações do director nacional da PJ teve hoje um episódio singular, passada uma semana desde que Alípio Ribeiro disse o disparate o número dois da PJ, seu subordinado e homem de confiança, veio esclarecer a comunicação social dando a sua interpretação das palavras do seu director. É evidente que se trata de um interpretação pessoal e o esclarecimento foi tão espontâneo que nenhum dos jornalistas presentes chegou a pensar que o director nacional estava a par deste esclarecimento.

Só que o mais grave da intervenção de Alípio Ribeiro não estava na afirmação mas sim no facto de ter feito afirmação sobre um processo em curso que está a ser conduzido pelo Ministério Público. Para esta precipitação do director o número dois da PJ não teve explicações.

Já quanto aos fracos resultado do combate ao tráfico de droga o homem teve uma explicação muito lógica, os traficantes deixaram de usar Portugal. Enfim, os traficantes são os únicos que deverão levar a sério a competência de Alípio Ribeiro e do seu número dois.

O APOIO AOS CLIENTES DA NETCABO

O atraso na publicação deste post resultou da interrupção do serviço da NETCABO, mas mais grave do que a avaria é a forma manhosa como a empresa atende os cliente. Fiz um primeiro telefonema e o operador chegou à conclusão de que o problema estava na minha máquina sugerindo-me que recorresse aos serviços de uma empresa associada. Experimentei um segundo computador e como o problema permitiu liguei de novo, desta vez chegaram à conclusão de que o problema estava no modem e informaram-me de que iria ser contactado pela assistência. Entretanto reparo que o modem estava a dar sinais diferentes denunciando mexidas ao nível do servidor, logo de seguida passei a ter acesso à net.

A NETCABO parece que não gosta de assumir as suas avarias e ainda sugere aos clientes que vão pagar serviços a terceiros só para encobrir as suas responsabilidades.

O QUE SE PASSA NA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL NO PORTO

Começa a ser óbvio que há demasiados crimes sem castigo no Porto, é conhecida a impunidade histórica dos senhores da bola, o espectáculo triste no caso dos recentes homicídios e agora chegou-se à conclusão que as investigações à agressão ao ex-vereador Ricardo Bexiga foram do tipo do "faz de conta".

Ou estou muito enganado ou para além do Douro só investigam os que não têm ouro.

O LNEC É QUE SABE

Porque será que Sócrates não manda todas as suas reformas e até a última remodelação governamental para apreciação do LNEC? Se um laboratório de engenharia opina sobre questões de ambiente e de economia também o pode fazer sobre reformas do ensino, da justiça ou da Administração Pública, porque não?

AS EXPLICAÇÕES DE JAIME SILVA PARA O AUMENTO DO PEÇO DO TRIGO

As explicações de Jaime Silva a propósito do aumento do preço do trigo estão longe de ser rigorosas, assim como os comentários que teceu a esse propósito. Não é verdade que estejamos perante movimentos especulativos, não se pode confundir os futuros das bolsas de valores com os contratos de futuros na bolsa de Chicago. O aumento dos preços prende-se com a inexistência de stocks à escala mundial e ao aumento da procura internacional.

Também não é verdade que a existência de stocks estratégicos resolvam o problema a não se que se proíbam as exportações pois a causa do aumento dos preços situa-se no aumento da procura por parte de alguns países como a China. Além disso é duvidoso que esses stocks estratégicos respondessem a situações prolongadas como a actual, que já dura duas campanhas de comercialização.

Por fim, ao contrário do que o ministro disse não é só o preço do leite que vai aumentar, igual aumento de preços vão registar as carnes de bovino, de suíno e de aves de capoeira.

CALUNIAI, CALUNIAI

«"Sá Fernandes, graças ao excelente entrevistador que é Mário Crespo e após alguma hesitação, também denunciou que o Restaurante Eleven..., com uma localização de sonho no topo do Parque Eduardo VII, desfrutando daí de uma vista única sobre Lisboa e o Tejo, em terrenos da câmara, paga de renda 500 (quinhentos) euros por mês e o contrato nem meia dúzia de anos terá.

Um dos sócios, José Miguel Júdice, por nomeação do actual Governo, dirige ou algo parecido, tipo administra, manda o que quiserem no desenvolvimento da zona ribeirinha da cidade e depois não querem que o bastonário da Ordem dos Advogados se desboque!" in Expresso on-line.

Os factos, em primeiro lugar. De um lado, este texto colocado no Expresso on-line, que exprime sem dúvida o que muitas pessoas pensaram depois de declarações televisivas do vereador Sá Fernandes e, ainda mais, depois de uma insinuação reles da deputada Teresa Caeiro logo a seguir.

Do outro lado, a realidade. O então presidente João Soares abriu um concurso público para um restaurante no alto do Parque Eduardo VII, um concorrente ganhou, e assumiu em tal vitória - pois creio que até resultava do caderno de encargos do concurso - o compromisso de construir um edifício de qualidade arquitectónica que, no final da concessão de 20 anos, reverte para a câmara.

Não soube de tal concurso, não concorri a ele, não conhecia sequer a empresa concorrente (ou os seus accionistas), não soube do resultado do concurso. Meses depois, através de um amigo, o meu filho mais velho soube que o accionista que controlava a empresa vencedora do concurso estava interessado em ceder as acções da sociedade, desde que fosse ele - que é arquitecto - a fazer o projecto. Juntei um grupo de amigos dispostos a dar a Lisboa um restaurante de grande qualidade (e realmente um ano depois de abrir ganhou uma estrela Michelin, ainda hoje a única em Lisboa), que aceitaram investir e correr o risco (e que mais de três anos depois não receberam um euro de resultados, apesar do sucesso financeiro que também felizmente tem tido, pois foi elevado o endividamento para a construção), e comprámos a posição do accionista da sociedade que fora vencedora do concurso. Com isso investimos quase dois milhões de euros num edifício que reverterá para o município no final da concessão, valorizado.

Entre esta realidade dos factos e o facto do comentário citado acima estão três outros factos: o vereador Sá Fernandes, não tendo feito bem o trabalho de casa, lançou uma atoarda sobre João Soares e a sua vereação, sobre os responsáveis que definiram as condições do concurso, sobre a empresa que o ganhou e até sobre os seus 11 actuais accionistas. Para quem o ouviu, a Câmara de Lisboa fizera um favor: por 500 euros mensais dera um espaço e um edifício no alto do Parque Eduardo VII. Segundo facto: a deputada Teresa Caeiro, tentando defender o seu correligionário Telmo Correia, avançou com o meu nome, insinuando que, embora não acreditasse na teoria da conspiração, achava tudo isto estranho. Terceiro facto: o jornalista Mário Crespo não se lembrou de perguntar, nem a um nem a outro, se achavam que a Câmara de Lisboa tinha feito um favor aos donos do Eleven, e à deputada Caeiro não se lembrou de perguntar sequer se achava que este vosso amigo escrevinhador tinha recebido favores ou se era homem para os receber ou para corromper seja quem for para os obter.

O que tem de relevante esta história - para além de me ter estragado dois dias de umas curtíssimas férias... - é o que sociologicamente revela sobre o estado de Portugal. Como dizia Molière, o país encanalhou. Para muitos portugueses, tudo e todos recebem favores, são corruptos; se têm algum sucesso não é por mérito, jeito, trabalho ou sorte, antes isso é prova irrefutável de desonestidade. Quem tem responsabilidades políticas diz tudo o que lhe vem à cabeça ou lhe convém, pouco importando se com isso ficam enxovalhadas pessoas e entidades inocentes. E os media nem se lembram muitas vezes de admitir a hipótese de que quem faz afirmações não esteja a falar verdade, desse modo assumindo como natural e normal a desonestidade. Como dizia um amigo, pelo qual soube do que se passara meia hora antes, "fiquei indignado pela forma como tu e o Eleven estavam a ser sumariamente crucificados".

Esta atmosfera miasmática faz apodrecer a sociedade portuguesa. E está na base da surpreendente atitude dos portugueses que muitas vezes apoiam em eleições os que são acusados (ou até pronunciados e condenados) por crimes de corrupção ou outros semelhantes, porque no fundo os consideram vítimas de um sistema em que todos são desonestos e apenas aqueles são transformados em bodes expiatórios.Claro que é possível dizer que quem actua da forma que me vitimou se autodefine: pensa dos outros o que seguramente deverá pensar de si próprio. Talvez por isso eu prefira sempre assumir, até prova em contrário, que as pessoas são sérias, honestas, e obtêm com esforço e mérito o que alcançam.

Magra consolação é, porém, esta quando olho para o meu país, que se afunda neste ambiente deletério. Não se pode viver assim. Não se pode exigir aos que são crucificados na praça pública que sejam eles que tenham de se esforçar para demonstrar a sua seriedade. Não se pode tratar desta maneira o bom nome de pessoas cuja única falha é terem visibilidade, dedicarem algum do seu tempo a causas públicas, terem opiniões. Não se pode continuar a enxovalhar pessoas de um modo que é sempre irreparável, porque no futuro vezes sem conta outros repetirão a atoarda. A não ser que seja por causa da próxima comemoração do centenário da República, para recordar o político que terá dito "caluniai, caluniai, que da calúnia fica sempre alguma coisa".» [Público assinantes]

Parecer:

José Miguel Júdice desmonta a atoarda do Zé a propósito do restaurante do Parque Eduardo VII.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

NÚMERO DE ABORTOS ESTÃO AQUÉM DAS PREVISÕES

«O número anual de interrupções voluntárias da gravidez (IVG) não deverá ultrapassar 60% do volume inicialmente previsto. Entre 15 de Julho e 31 de Dezembro passado, quase seis meses, registaram 6099 abortos a pedido nos hospitais públicos e privados habilitados para o efeito. O que, extrapolando a um ano, rondará pouco mais de 12 mil IVG.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Recordo-me de que os defensores do não consideravam que as previsões eram más porque o número de abortos iria ser muito maior.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Peça-se um comentário aos defensores do não.»

PREÇO DO TRIGO BATE RECORDES

«O preço do trigo tem subido regularmente, desde Setembro de 2006, entre 60 e 100%, seguindo a tendência internacional dos restantes cereais, mas em 2008 a situação poderá ficar "mais equilibrada". Segundo explicou à Lusa Bernardo Albino, presidente da Associação Nacional de Produtores de Cereais, os preços têm registado subidas acentuadas nos últimos meses, reflectindo o aumento dos valores dos factores de produção, com acréscimos na mesma proporção.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Por enquanto estamos a falar de contratos de futuros, nada garante que os preços não venham a aumentar ainda mais.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

JOÃO SOARES E ÂNGELO CORREIA INDIGNADOS

No seu tempo de antena exclusivo na SIC João Soares e Ângelo Correia manifestaram-se indignados porque alguns cidadãos de Sintra têm parte do seu vencimento penhorado pelo fisco. Não percebi muito bem porque o vereador e o presidente da Assembleia Municipal de Sintra só estavam preocupados com os concidadãos daquele concelho, mas se estão assim preocupados porque os que não pagaram os impostos são obrigados agora a fazê-lo têm uma boa solução, que os paguem do seu bolso.

É tempo de dizer a estes políticos oportunistas e populistas que há muitos cidadãos que não foram sujeitos a quaisquer penhoras, enquanto os que agora são alvos do abuso do fisco levavam boa vida estes cidadãos tiveram que poupar ou fazer sacrifícios para pagarem os seus impostos. Porque será que destes nenhum político tem pena?

MARGOT VAN DER MEER

LUCIA GIACANI

SIMON PAIS-THOMAS

CHRISTOPHER PEDDECORD

MARQUINI LAMUSIQUE

sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Corrupção, incompetência e compadrio


O actual debate peca por isolar o fenómeno da corrupção atribuindo-lhe a causa de todos os males do país, chegando a exagerar a sua importância. A corrupção não é um fenómeno isolado, faz parte de uma cultura herdada do passado e que alguns agentes da democracia souberam usar em proveito próprio. Não é possível atacar a corrupção considerando-o um fenómeno isolado.

A corrupção é facilitada e estimulada, por um lado, por outros fenómenos que lhe estão associados, como a incompetência e o compadrio e, por outro lado, é igualmente facilitada pela má gestão, excesso de burocracia e falta de transparência. Note-se que os grandes defensores da burocracia são os mais incompetentes e os que preferem que os processos de decisão sejam são opacos são precisamente aqueles que foram nomeados por compadrios.

Um ministro pode não ser corrupto mas quando preenche os lugares de chefia com incompetentes e boys está a criar todas as condições para o alastrar do fenómeno da corrupção. Os dirigentes competentes são os menos permeáveis à influência e os mais capazes de defender os interesses do Estado. Os responsáveis designados por processos de compadrio são os mais permeáveis à adopção de decisões influenciadas por terceiros.

Com os últimos governos acentuou-se a designação das chefias do Estado por critérios de confiança política, de confiança pessoal ou mesmo de confiança pessoal. Ao nível dos directores-gerais e subdirectores-gerais a escolha passou a ser de nomeação política, para os directores de serviços e chefes de divisão criou-se uma farsa chamada concursos que apenas serviu para gastar dinheiro aos contribuintes pois a regra é ganhar o concurso o chefe que foi escolhido para exercer o cargo em regime de substituição.

A corrupção é mais uma consequência do que uma causa e enquanto não houver uma mudança profunda da cultura da Administração Pública todas as suas modernizações não passam de farsas montadas para enganar eleitores e contribuintes. O melhor para a corrupção se multiplicar é uma administração dirigida por incompetentes, lambe-botase e paus-mandadose para muitos dos nossos políticos são estes os bons funcionários, os que fazem os fretes bastando aos ministro fazerem despachos do tipo "tomei conhecimento".

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Batente da Sé de Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Sergio Moraes / Reuters]

«Demasiado explícitos. La modelo brasileña Viviane Castro, de la escuela de samba Sao Clemente, durante el desfile en la primera jornada del Carnaval de Río de Janeiro, el pasado domingo. Los jueces del carnaval han amonestado a la escuela por permitir a la modelo bailar prácticamente desnuda.» [20 Minutos]

PS: Foi uma presença dominante do Carnaval do Rio, quase todas as imagens de televisão e fotografias mostraram a modelo brasileira que decidiu ficar famosa da forma mais simples.

JUMENTO DO DIA

O país dos reformados activos

No tempo do PSD discutiu-se muito a nomeação de um reformado para a gestão do CCB. Agora foi o ministro da Defesa a fazer com que um reformado volte ao activo para dirigir uma instituição militar. A nossa tropa é assim tão incompetente para que o ministro tenha que vasculhar nos arquivos dos aposentados?

TANTA IGNORÂNCIA...

É incrível como a notícia do aumento dos preços do trigo, com que abriu o telejornal da TVI, deu lugar a tanta barbaridade, sem sequer os supostos analistas souberam explicar o fenómeno e o muito douto comentário de Perez Metelo foi deprimente. Doeu ouvir um analista do mercado dizer com o ar mais sabedor do mundo que o aumento reflectir-se-ia directamente no preço do pão e indirectamente na carne, o pobre analista não sabe que no preço do pão apenas 5% corresponde ao preço do cereal e que no caso da carne esta percentagem pode subir acima dos 50%. Metelo foi pelo mesmo caminho e previu a subida do preço do pão.

PARA FINS CIENTÍFICOS

MIMOS DOS VISITANTES D'O JUMENTO

Este estava no Carnaval de Lazarim, um dos mais genuínos Carnavais lusos, sem samba e sem bundas. Imagem enviada pelo Aníbal.

O SABOR DO MASSACHUSETTS

«Mas o Globe não deixava de sublinhar num dos títulos "a derrota para os Kennedy". "A bênção de Ted Kennedy ameaçou dar, aos mais antigos e mais tradicionais membros do Partido Democrático, autorização para votarem com o seu coração. Foi uma facada no coração da campanha dos Clinton - e uma deslealdade, na perspectiva destes". E Joan Vennochi, autora do artigo, recorda como em 1994 os dois Clinton apoiaram decididamente Ted numa reeleição que podia ser difícil. "Em 2008, Kennedy não pagou o favor. O país Kennedy afrontou o país Clinton". E a coisa tornou-se pessoal: "Os apoiantes de Clinton juraram batalhar por um estado onde Bill e Hillary passaram férias, onde conseguiram milhões para a sua campanha". Houve uma grande união de esforços e, como disse um dos apoiantes dos Clinton, "há os cavalos de exposição e os cavalos de trabalho. Nós somos os cavalos de trabalho. E Clinton ganhou". E por 15 pontos de diferença...» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Manuel Queiroz.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

ARMADA INCOMODADA COM O MINISTRO

«O ministro da Defesa escolheu um general do Exército, na reserva, para presidente do Instituto de Acção Social das Forças Armadas (IASFA). A decisão criou grande mal-estar na Armada, a que competia ocupar o cargo, devido à regra de rotação das nomeações pelos três ramos castrenses.

O ministro da Defesa, Nuno Severiano Teixeira, escolheu o último vice- chefe do Estado-Maior do Exército para presidir ao Instituto de Acção Social das Forças Armadas (IASFA), revelou ontem fonte oficial do ministério ao DN.» [Diário de Notícias]

Parecer:

O que incomoda a Armada é a rotação no cargo mas o ministro também deveria explicar se não há ninguém no activo com competência para o cargo. É tempo de deixar os reformados descansarem tranquilos e deixarem a vida activa para os mais novos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicitem-se explicações ao ministro.»

PSD PROPÕE AGÊNCIA PERMANENTE CONTRA A CORRUPÇÃO

«Com o combate à corrupção na ordem do dia, o PSD agendou de surpresa e à última hora um debate de actualidade na Assembleia da República, onde propôs a criação de uma "agência ou comissão permanente" para acompanhar a matéria. O PS declinou a ideia, mas, coisa nunca vista, acabou por elogiar o discurso de Pedro Santana Lopes sobre o tema.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Já estou a imaginar o PSD a propor o nome de algum dos seus distintos banqueiros de aviário ou mesmo uma personalidade independente como os autarcas de Oeiras ou de Gondomar.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se aos responsáveis do PS porque razão se sentem tão incomodados com o debate deste tema.»

ARCEBISPO DE CANTERBURY DEFENDE APLICAÇÃO DA SHARIA NO REINO UNIDO

«El arzobispo de Canterbury, Rowan Williams, afirmó este jueves que Reino Unido tiene que afrontar el hecho de que algunos de sus ciudadanos (musulmanes) se niegan a someterse al sistema legal británico. Para solucionar este problema, Rowan aboga por incluir en dicho sistema ciertas partes de la ley islámica, conocida como sharia.

Eso, a su juicio, ayudaría a mantener la cohesión social, según ha confesado en una entrevista en la BBC. Por ejemplo, en los conflictos conyugales y económicos, los musulmanes podrían elegir si tratar el asunto en un tribunal convencional o uno islámico. De esta manera, evitarían verse en la encrucijada de tener que elegir "entre la fidelidad a su cultura o a su Estado".» [20 Minutos]

EURO JÁ CIRCULA EM NOVA IORQUE

«La fortaleza del euro frente al dólar empieza a arrebatar a éste su posición de ventaja en el mundo. Cada vez son más los lugares del extrajero que aceptan la "moneda única" como medio de pago, y el último de ellos es Nueva York, donde los pequeños comerciantes incluso prefieren la divisa europea.

Al cambio, un euro es más de 1,4 dólares, pero ellos dan la vuelta en dólares, con lo que estas transacciones les resultan más que beneficiosas. "Hemos decidido que dinero es dinero, así que lo aceptaremos y simplemente lo cambiamos en el banco cuando podamos," afirma Robert Chu, dueño de un local de vinos en East Village. » [20 Minutos]

O JUMENTO NO TECHNORATI

  1. O "Mataternos" sugere uma albarda à medida d'O Jumento.
  2. O "Não há mal que não se cure" pescou um cartaz da Wonderbra.
  3. O "Stormy Weather" manda um beijo para vários blogues. Obrigado pelo que me tocou.
  4. O "Sobre (voando) o território" pescou uma imagem sugestiva do Carnaval do Rio e citou um artigo de Vasco Pulido Valente aqui reproduzido.
  5. O "Colóquios e Solilóquios do Ser" fez a lista dos seus blogues especiais. Obrigado por O Jumento fazer parte da lista.
  6. O "Cópia Perfeita" pescou uma imagem de um Carnaval na Alemanha.
  7. O "Grisalho Vespertino", e "O Cobrador da Pérsia" passaram a constar na coluna da direita.
  8. O "Drop's Azul Anis S" fez referência à prenda que o Raim's Blog deu ao Jumento.
  9. O "PS Lumiar" deu destaque o post dedicado ao espectáculo da justiça portuguesa.
  10. O "Cicuta" aproveitou um interruptor.
  11. O "Papa Açordas" refere um comentário a propósito de uma escolha curiosa do PSD.

CRISTIANO RONALDO NEWS

O blogue de Cristiano Ronaldo:

«Num ambiente fantástico no Letzigrund de Zurique, com um perfume intenso a Campeonato da Europa, Portugal defrontou pela 24ª vez a Itália. Com apenas quatro triunfos no relatório de embates, a Selecção sentia que tinha de fazer algo para reequilibrar um pouco mais a balança. Só que a squadra azzurra joga qualquer coisa de diferente, e mesmo que toda a gente esteja longe de imaginar um golo na jogada, a verdade é que acaba mesmo por acontecer. Toni fez o que muitos chamam injustiça e os italianos chamam de calcio e, no segundo tempo, os campeões do mundo puxaram dos galões e chegaram mesmo a ameaçar a goleada.»


RUBLOS DA EX-URSS [imagens]

SOPHIE RICHARDOZ

BETHANY RAELLA

AMY SEDER

AGATHA GRISANTI

DP IMAGE DESIGN

SINAL CANADIANO

OLHANDO PARA O CÉU

RECYCLE

LEXUS


target="_blank"