sábado, agosto 16, 2008

Não há bem que sempre dure...

t
Por estas horas deverei estar a chegar a Mértola, a terra onde um compadre se queixava de que o rádio que tinha comprado não funcionava, um amigo disse que era óbvio, se o rádio só tinha AM (Antes de Mértola) e FM (Fora de Mértola) era natural que não trabalhasse em Mértola. Ponto obrigatório para visita e almoço, uma homenagem às civilizações que o Guadiana transportou, esse rio hoje quase ao abandono. Depois é seguir viagem, Ferreira do Alentejo, Grândola (onde já vivi um ano) e, por fim, Lisboa.

Depois são mais uns dias de férias, só para evitar que a primeira semana de trabalho seja completa, dias que aproveitarei para mudar de palheiro. Mais uns meses e saberemos se Manuela Ferreira Leite vai ou não ter tempo para o neto.

Este ano será tempo de muitas dúvidas, começando, desde logo, pelas de Manuela Ferreira Leite que ainda não se sabe muito bem o que pensa sobre o que quer que seja. Mas quem vai ter mais dúvidas é mesmo Cavaco Silva, estará dividido entre um pássaro nas mãos ou dois a voar, se Manuela Ferreira Leite poderá acumular a presidência com o governo mas fará perigar a reeleição, se Sócrates ganhar e tiver ajudado Ferreira Leite será o principal derrotado perdendo credibilidade, se apoiar Sócrates sobreviverá com o poder da presidência mas será desprezado pelos seus. Depois do que fez a Fernando Nogueira na tentativa de conquistar a presidência tudo se pode esperar, para Cavaco o seu poder está acima de tudo.

Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã terão que esperar pelas eleições para se perceberem se as sondagens traduzem intenções de voto ou manifestações de castigo do eleitorado. Se os eleitores sondados querem apenas assustar Sócrates o PCP e o BE poderão ter uma grande desilusão. Depois da segunda maioria absoluta de Cavaco, quando todos previam a derrota e o ambiente social era parecido ao que vivemos actualmente, tudo pode acontecer.

Para Paulo Portas as incertezas também são muitas e não se limitam a saber se o CDS volta a ser o partido do táxi, onde cabem apenas quatro deputados. Terminadas as férias judiciais a justiça segue o seu curso e as investigações do caso Portucale ou à compra dos submarinos pode trazer muito dissabores a Portas e aos que o acompanharam na última aventura governamental.

Sócrates depende das dúvidas de todos os outros e das suas próprias incertezas, principalmente a que se refere à evolução da economia portuguesa.

Até eu poderei ser confrontado com algumas dúvidas, principalmente se for confrontado com uma proposta de mudança de ares profissionais, principalmente se essa mudança fazer perigar a sobrevivência do burro.

Enfim, resta esperar para ver e gozar o melhor possível os poucos dias que me restam antes de regressar ao trabalho.

Umas no cravo e outras tanta na ferradura

FOTO JUMENTO

Cotovia na Praia dos Três Pauzinhos, Algarve

IMAGEM DO DIA

[Francisco Medina-AP]

«Lightning streaks across the sky, lighting up the downtown buildings in Tucson, Ariz. just after midnight. The monsoon thunderstorm caused damage and flash flood warning in Tucson.» [Washington Post]

JUMENTO DO DIA

Juiz Nuno Salpico

Uma comissão independente de juízes, aqui representada por um dos seus membros, enviou ao Presidente da República um documento onde os ilustres magistrados se manifestam preocupados com a democracia. É tempo de dizer aos profissionais da toga, um dos grupos melhor remunerados pelo Estado, que até recebem subsídio de residência livre de impostos quando moram na porta ao lado do tribunal, que, infelizmente, a democracia nada lhes deve.

A verdade é que neste país há muitos juízes que se consideram as sacerdotisas da democracia, quanto esta nada lhes deve. Foram os políticos que tanto criticam que criaram a actual realidade constitucional, foram os políticos que durante décadas lutaram pela democracia enquanto alguns deles eram julgados em tribunais plenários presididos pelos antecessores dos actuais juízes. Durante décadas os ilustres magistrados serviram o regime servilmente e o melhor que sabiam, chegando a admitir que os réus fossem agredidos por agentes da PIDE em plena sala do tribuna.

Coincidência ou não, os nossos ilustres juízes ficaram muito preocupados com a democracia a partir do momento em que os seus interesses materiais foram ligeiramente tocados.

A NOVA CORRIDA AOS ARMAMENTOS

Só um doido varrido como o Bush se lembrava de promover uma nova corrida ao armamento, pondo fim à tranquilidade em que vivia a Europa. As novas armas desenvolvidas pelos americanos e instaladas nos novos aliados do Leste terá como consequência o desenvolvimento de novas armas ofensivas russas, muito provavelmente transportadas por submarinos ou recorrendo à instalação de novas bases fora do território russo, sendo de esperar novos conflitos regionais em consequência da disputa de zonas de influência. Quanto mais depressa chegar ao fim o mandato de Bush mais tranquilo ficará o mundo, farto das suas exibições guerreiras.

DE NOVO O FEUDALISMO

«Os EUA voltaram a ser uma potência regional, embora iludida por uma ambição imperial
Sair de Portugal tem um efeito equivalente ao que devem sentir os astronautas, depois de ultrapassar a zona de atmosfera e entrar na estratosfera: vêem-se coisas novas, ou com maior nitidez, consegue-se uma melhor visão de conjunto e percebe-se a escala diminuta em que habitualmente nos movemos, os humanos.

Contra mim falo. Provavelmente, se nestes dias estivesse imerso no tranquilo Portugal, a ter acesso praticamente apenas a dramas ou tragédias caseiras, distraído por sound bites de políticos em férias e por reportagens sobre o que os espanhóis gostam de chamar gente guapa (e que, pelas fotografias dos jornais, parecem realmente ganhar a Portugal nesse especial campeonato...), se não tivesse vindo para os Pirenéus e País Basco à procura de música, natureza, touros, museus, monumentos e alta gastronomia (não forçosamente por esta ordem...), talvez não fosse capaz de dar a atenção devida à Guerra da Geórgia (ou da Ossétia do Sul, para os mais entendidos).

E, no entanto, parece-me que estamos aqui perante um sinal evidente do que são as hegemonias regionais em que o Mundo começa a organizar-se neste século XXI, que tanto prometia aos mais idealistas e ingénuos; e estamos também perante a prova de que os EUA voltaram a ser uma potência regional, embora iludida por uma ambição imperial (parecida com a do Reino Unido, na segunda metade do século XX, antes de ter percebido na crise do Canal do Suez que esse tempo tinha passado).

Os EUA queriam que a Geórgia ingressasse na NATO e lançavam regularmente palavras de apoio e entusiasmo para com o Presidente pró-americano desse País. Saakashvili, recentemente reeleito sob a natural tendência dos povos que estão muito dependentes para demonstrar diferenciação do vizinho poderoso, viu por certo nessas palavras a convicção de que tudo lhe seria permitido, que a política de canhoneiras estava ressuscitada e a Rússia condenada a não reagir ao que evidentemente era pelo menos um teste ao seu poderio e provavelmente uma tentativa tonta de tratar os novos czares sem respeito nem compreensão.
A aposta saiu errada e o resultado foi a confirmação de que há uma zona de influência russa em que potências estranhas não podem interferir. E trouxe ainda a confirmação de que os EUA nem servem para mediar conflitos fora da sua zona de influência (mas qual é?), tendo sido a União Europeia (apesar das suas fragilidades em politica internacional, ou por causa delas) quem foi capaz de levar a Rússia a aceitar uma solução que, aliás, não é menos do que ela desejava, pois países velhos sabem que ocupações de territórios hostis são estratégias condenadas ao fracasso.

A evolução era natural. Como é natural que os EUA se confrontem cada vez mais nos Jogos Olímpicos com hegemonias de outros países em diversas modalidades desportivas. A "guerra" nas Olimpíadas é só a de saber que país leva mais medalhas para casa e não a de saber se um deles tem a maioria (ou sequer um número destacado) das medalhas em competição: no dia em que escrevo, de 132 medalhas atribuídas, os EUA lideravam com 21 e a China tinha 20.

Sendo as coisas assim, como é que podemos admirar-nos? Parece óbvio que a aventura iraquiana (que estigmatizei quando muitos que a incensavam agora a criticam...) era um símbolo de um tempo que já tinha acabado, um curto tempo em que os EUA pareciam ter ganho a luta pela hegemonia mundial e, povos novos e quase sem história, achavam que tudo lhes seria permitido. Na desilusão que se seguiu se construiu a convicção por esse Mundo fora de que, depois do período da bicéfala hegemonia (guerra fria), o que se segue será uma fase de feudalismo mundial, um tempo em que não existirá uma lógica unificada ou bipolar, antes um conjunto variado de poderes regionais, cada um deles com força suficiente para impedir a entrada de estranhos, nenhum deles com capacidade para subordinar outras potências regionais a uma suserania superior.

Os sinais são evidentes há algum tempo. Para apenas reunir alguns exemplos, nada se pode fazer no Zimbabwe sem a vontade da União Sul-Africana, na Coreia do Norte sem a vontade da China, em Timor sem a vontade da Austrália. É certo que existem ainda zonas do Mundo onde não há suserano evidente, como no Médio Oriente, na América Latina ou na África Central, pois o Egipto, o Brasil e a Nigéria andaram muito distraídos e - reconhece-se - nessas zonas a erecção em potência regional é menos óbvia e facilitada.

A regionalização do Mundo está, aliás, em cima da mesa nas grandes discussões internacionais como na OMC ou na reforma do Conselho de Segurança da ONU. E não é forçoso que nos traga um Mundo mais seguro e pacífico do que tivemos durante os tempos da hegemonia partilhada entre os EUA e a União Soviética. Creio, porém, que o feudalismo mundial é preferível à hipótese de se pensar que existe uma potência hegemónica com poderes policiais a nível mundial, um pouco à semelhança do tempo da ilusão do poder imperial romano, quando as legiões já não conseguiam dominar a bacia mediterrânica e a actual Europa Ocidental (e ainda menos a oriente), mas na ilusão de que o conseguiriam quase deixaram que se desse cabo da civilização.

A Paz no Mundo não é, forçosamente, em tempos feudais, a paz dentro de cada um dos territórios, pois o suserano que se não sinta confortável tem carta-branca e porque conflitos fronteiriços nas zonas de contacto entre placas tectónicas de poderes regionais ambiciosos são quiçá inevitáveis. Era melhor que assim não fosse, como era melhor que eu fosse mais novo. Mas a alternativa é apenas o desgaste da potência americana no esforço inglório de policiar o Mundo.

O que é preciso é que as potências regionais sejam reconhecidas e entre elas dividam o Mundo, com cada uma a aceitar que assim seja e todas as outras a beneficiar do mesmo regime. Nada disto augura coisas positivas para os Direitos Humanos, para a Democracia, para as Liberdades e para a felicidade dos povos. Mas, infelizmente, se calhar pouco podemos fazer para o evitar e muito do que fizermos poderá ser inútil ou prejudicial.
Boas férias! »
[Público assinantes]

Parecer:

Por José Miguel Júdice.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A CRISE CONTINUA, AGORA EM PORTUGUÊS SUAVE

«Sobre economia deste Governo já ouvimos quase tudo: um ministro da Economia dizer que "a crise acabou", um primeiro-ministro a fazer um alerta aos agentes económicos, dizendo que "vamos passar por dificuldades sérias, atingindo todos os sectores da economia" e agora um ministro das Finanças, confiante, prever que "a economia portuguesa vai continuar a demonstrar a sua capacidade de resistência e de dinamismo".» [Público assinantes]

Parecer:

Para Paulo Ferreira, que escreve o editorial do blogue não oficial de Belmiro de Azevedo, o ministro das Finanças deveria instalar a descrença nos agentes económicos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Arquive-se.»

FERREIRA LEITE CRITICADA NO POMBAL

«O ex-dirigente do PSD Ângelo Correia, que ontem foi o convidado de honra na Festa do Pontal, considera que Manuela Ferreira Leite ainda não está a trabalhar para unir o partido. Para Mendes Bota, a nova presidente do PSD perdeu aliás uma "excelente oportunidade para dar um sinal de unidade do partido", ao ter recusado ir à festa.

"O partido precisa de unidade, que constrói-se trabalhando. Mas o PSD ainda não está a trabalhar para isso", afirmou Ângelo Correia, em declarações à SIC, horas antes do seu discurso de encerramento da Festa do Pontal. O ex-dirigente, que lembrou que as eleições directas deixaram claro que o partido não está unido, apelou, por isso, à "disponibilidade de todos para trabalhar para a união do partido".» [Correio da Manhã]

Parecer:

Gente fina como Ferreira Leite ou António Borges não vai a festas rascas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Ferreira Leite se prefere as festas de passagem do ano.»

MAIORIA DOS AUTARCAS DO PSD DO ALGARVE FALTARAM AO PONTAL

«Eram 20.30 horas quando Ângelo Correia entrou no recinto, acompanhado pelo deputado e líder do PSD/Algarve, Mendes Bota, e seguido por uma fila com cerca de uma dezena de jovens agitando bandeirinhas do partido. De um total de nove presidentes de câmaras algarvias do PSD, apenas Macário Correia, Seruca Emídio e Desidério Silva, autarcas de Tavira , Loulé e Albufeira, respectivamente, marcaram presença. » [Diário de Notícias]

Parecer:

Pudera, receiam a vingança da caridosa senhora.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao autarca de VRSA, que tinha Santana Lopes como assessor remunerado, porque esteve ausente.»

BORLAS PARA PEQUIM

«O presidente da Federação Portuguesa de Tiro com Armas de Chumbo, Geraldes de Oliveira, esteve na China como treinador (função para a qual está habilitado, mas que nunca exerceu) do único atleta português presente. Caso tivesse assumido a condição de dirigente, ficaria em terra, ou restar-lhe-ia viajar a expensas da Federação.

Oliveira não se recorda da condição em que viajou. “Era preciso nomear um chefe de equipa e lá fui eu. Se o Comité Olímpico, por uma questão de conveniência, me indicou como «coach» ou como «team leader», isso é irrelevante. Não é o nome que faz função”, diz.» [Expresso assinantes]

Parecer:

Desconfio que anda muita gente a viajar à conta do esforço dos atletas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Contabilizem-se as despesas dos penduras.»

JUÍZES QUEREM ENVOLVERE CAVACO SILVA NAS SUAS GUERRAS

«“Na época presente, muitos juízes estão plenamente convencidos de que um numeroso núcleo de políticos profissionais pretende levar a cabo uma formidável concentração de poderes soberanos do Estado, condicionando estreitamente o poder judicial, com vista à obtenção de um poder político absoluto, incontrolável”. Esta é apenas uma frase de um extenso documento enviado por um grupo de juízes a Cavaco Silva, no qual são feitas várias críticas à produção legislativa do actual Governo.

Intitulado ‘Graves Ingerências do Poder Político na Esfera do Poder Judicial’, o documento é assinado pelo juiz-conselheiro jubilado Pires Salpico e faz um retrato dramático do estado da Justiça em Portugal. Responsabilizando a classe política. As reformas penais são, segundo os juízes, um exemplo: os “buracos” na lei processual penal “que lá foram deixados pelos legisladores”, levam a que a Justiça seja “facilmente entorpecida”, podendo os processos “ser arrastados durante anos e anos, sem que as leis permitam aos juízes obstar a essas situações de paralisia processual. Para já não falar da nova lei do Centro de Estudos Judiciários, onde foi introduzida a figura do exame psicológico aos candidatos com carácter eliminatório. “O psicólogo que procede ao exame é nomeado pelo ministro da Justiça que, como é evidente, lhe dará todas as instruções que entender”. Conclusão: isto significa que “no futuro, os agentes políticos poderão escolher os futuros juízes, situação sem paralelo na nossa história”.» [Expresso assinantes]

Parecer:

Quando ouço os juízes manifestarem-se em defesa da democracia não resisto a uma gargalhada, estes senhores só se preocupam com a democracia porque um governo legítimo lhes retirou uma ínfima parte das mordomias.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se aos senhores juízes porque nunca tomaram idêntica atitude durante o fascismo, pelo contrário, serviram servilmente a ditadura envergonhando a justiça portuguesa ao participarem na farsa dos tribunais plenários. Será porque a ditadura sempre os tratou bem?»

ASSOCIAÇÃO SINDICAL DOS JUÍZES CRITICA

«O presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses considera que as medidas anunciadas esta quinta-feira são "seguramente positivas", mas alerta para a falta de um planeamento continuado relativamente aos quadros dos Tribunais Administrativos e Fiscais e para os prejuízos económicos que podem advir de uma aparente poupança em salários.

"A situação dos Tribunais Administrativos e Fiscais é mesmo má, com elevadas pendências e muitos processos arquivados", afirma António Martins. No entender do magistrado, estes problemas são fundamentalmente provocados pela falta de meios humanos naquilo que considera ser "uma atitude pouco compreensível do Governo". E explica; "por motivos económicos não coloca os juízes necessários e depois acaba por deixar prescrever processos valiosos. Ou seja, para poupar tostões acaba a perder milhões".» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Alguém deveria explicar ao responsável da associação sindical que os sindicatos servem para defender os direitos laborais, apenas em sistemas muito diferentes das democracias se confunde sindicatos com gestão das empresas ou serviços públicos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao sindicalista que se preocupe com as questões sindicais, a governação é decidida por quem é elietos por todos os eleitores e não pelos escolhidos pelos grupos corporativos interessados materialmente nas situações.»

ANDA TUDO BÊBADO?

«A Guarda Nacional Republicana (GNR) realizou esta sexta-feira de madrugada, entre as 00:00 e as 08:00 horas, uma operação de fiscalização rodoviária a nível nacional. De acordo com um comunicado enviado aos órgãos de comunicação social, estiveram no terreno 1 158 militares.

Foram fiscalizados 8 464 condutores, dos quais 115 foram detidos por excesso de álcool, 18 por condução ilegal (falta de carta de condução) e seis por outros motivos (não identificados).» [Portugal Diário]

Parecer:

Há que acabar com o excesso de álcool na estrada.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aumentem-se as penas.»

JANTARADAS PREJUDICARAM O DESEMPENHO DOS JUDOCAS

«O treinador de João Neto, Fausto Carvalho, apontou hoje "a desconcentração, as circunstâncias do momento e as actividades marginais à modalidade" como razões principais do desempenho menos positivo do judo português nos Jogos Olímpicos de Pequim.

Embora defenda que os "os atletas não estiveram mal" e que foram criadas expectativas elevadas, Fausto Carvalho, que hoje regressou da China, estranha que os atletas tenham estado envolvidos em jantares, recepções e campanhas publicitárias a dois/três meses dos Jogos.» [Público assinantes]

Parecer:

É o desporto à portuguesa.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se o espectáculo triste dado pelos judocas portugueses.»

ODESSIT

BANK OF THE PLANET

sexta-feira, agosto 15, 2008

A subsidiodependência

t
A atribuição de ajudas ao rendimento é uma medida necessária para reduzir as consequências negativas da pobreza, muito dificilmente será uma boa solução para combater essa mesma pobreza a não ser para os que analisam a realidade através das estatísticas. Os subsídios poderão alterar a realidade estatísticas, mas os pobres que recebem os subsídios continuarão a sê-lo.

É errado pensar que todos os que conhecem a realidade da pobreza estão interessados em viver de subsídios, a não ser que não tenham outra alternativa, são muitos os pobres que preferem procurar trabalho a viver de um subsídio que lhes sabe a esmola estatal, para uma boa parte dos portugueses, mesmo os mais pobres, a forma mais legítima de ganhar dinheiro é trabalhando.

Mas o desenraizamento social leva a que uma parte dos mais pobres tenham perdido os valores culturais associados ao meio rural ou mesmo aos estratos operários. Para estes a opção está em escolher o que permite ganhar mais trabalhando o menos possível, entre ganhar 110 trabalhando e receber 90 não trabalhando não hesitarão em optar pela solução do subsídio. Rapidamente se transformam em subsidiodependentes, nem lhes passa pela cabeça procurar outra forma de vida, se os Estado lhes dá, casa, escola, saúde e ordenado sem terem que trabalhar só se fossem doidos procurariam trabalho.

Isto é uma evidência, mas é pena que a questão só seja colocada desta forma quando estão em causa os pobres, e ainda mais se pertencerem a uma qualquer minoria. Nunca se faz o mesmo para os mais ricos, quando se sabe que muitas das nossas boas famílias enriqueceram graças a subsídios, para não falar de alguns dos nossos ilustres banqueiros que compraram bancos públicos usando o dinheiro dos próprios bancos.

Da mesma forma que muitas famílias ciganas optaram pelo rendimento mínimo em vez de trabalharem, também é evidente que muitos dos nossos produtores agrícolas estão mais interessados em saber o montante dos subsídios concedidos por Bruxelas do que os preços de mercado. Entre uma manifestação de ciganos a exigir casas e de agricultores a pedir o pagamento de subsídios agro-ambientais, a diferença não é muito, até se dá o caso de ambos os grupos terem chegado a exigir negociar com Sócrates. Se os ciganos são pejorativamente pelas suas trapaças, também é verdade que muitos dos subsídios agrícolas são engrossados graças a diatribes. E se o filho do cigano tem um plasma e uma playstation à custa do rendimento mínimo também o é que há por aí muito filho de latifundiário a andar de BMW comprado por subsídios agrícolas.

Se alguns pobres deixam de trabalhar porque preferem viver dos subsídios também o é que alguns dos nossos empresários preferem esperar pela concessão de subsídios ao investimento do quem em procurar oportunidades de investimento, mesmo que estas sejam viáveis sem a concessão de subsídios. Os ciganos de Loures dependem tanto do impostos pagos pelos contribuintes como muitos dos nossos ilustres empresários, e se os ciganos são conhecidos por nada declararem ao fisco essa também é a regra de muitos dos nossos empresários subsidiodependentes.

É pena que quando se fala de subsidiodependência se faça distinção entre duas realidades que, afinal, não passa da mesma. A diferença está apenas na proporção e na gulodice dos mais ricos que gostariam que o Estado gastasse menos dinheiro com os pobres para dispor de recursos para conceder “incentivos” ao investimento dos mais ricos. Andam todos ao mesmo.

Umas no cravo e outras tanta na ferradura

FOTO JUMENTO

Amuleto de barco de pesca de Vila Real de Santo António

IMAGEM DO DIA

[EFE]

«La polémica de los ojos rasgados. La selección española de baloncesto en una foto publicitaria en la que posan con los ojos rasgados, un gesto que se ha tildado de racista. El influyente diario Los Ángeles Times ha pedido que Pau Gasol se disculpe por el polémico anuncio y la FEB estudia acciones legales.» [20 Minutos]

A MENTIRA DO DIA D'O JUMENTO

A surpresa da próxima Festa do Avante não vai ser a presença de narco-guerrilheiros das Farc exibindo a felicidade dos que foram "libertados" e a que o imperialismo insiste em chamar raptados, em vez desta exibição vai ser realizado um concurso de Miss Avante. Depois de os chineses terem substituído uma jovem cantora por uma outra mais bonitinha e com os dentes alinhados a moda pecou e os comunistas chineses, que já não têm a URSS para os orientar, vão seguir o exemplo chinês.

Depois da Festa do Avante o líder do PCP vai deixar de aparecer em público exibindo o ar de avô Boca Doce, vamos continuar a ouvir a sua voz e os discursos inflamados, próprios do líder do proletariado luso que sonha ser o líder do proletariado da UE, mas a imagem que aparecerá será a da eleita Miss Festa do Avante.

Também deixaremos de ver Bernadino Soares a explicar que a Coreia do Norte é a democracia dos seus sonhos, continuaremos a ouvir o discurso mas o gordinho líder parlamentar do Avante que parece uma mistura entre seminarista e aluno problemático do 9.º ano, desaparecerá, será a primeira dama da Miss Festa do Avante a dar a cara e o corpo.

O desconhecido José Casanova, director do Avante, que nunca aparece em público por receio de assustar as criancinhas vai ter uma presença mais activa nas iniciativas do PCP graças à imagem emprestada pela segunda dama de honor da Miss Festa do Avante.

JUMENTO DO DIA

Teixeira dos Santos

O ministro das Finanças tem razões para estar contente por a economia portuguesa ter resistido à crise, mas em vez de fazer o discurso populista seria mais interessante que apurasse as causas dessas situação. Se a economia resistiu graças às reformas adoptadas é bom, mas se tal sucedeu devido ao desfasamento dos ciclos económicos não ganhámos nada pois apenas adiámos a desgraça.

SARINHA A OITO EUROS O QUILO

Fiquei espantado ao ver sardinhas a oito euros o quilo, a um conto e seiscentos, no mercado de Vila Real de Santo António. Gostaria de saber a qunto pagou o PCP as sardinhas que serão servidas na sardinhada que será organizada amanhã, em Monte Gordo, com a presença do avô Boca Doce.

A OPOSIÇÃO ESTÁ COM AZAR

Sem ideias nem propostas a oposição precisa de uma desgraça para impedir Sócrates de ganhar as próximas eleições ou, no caso do PSD, para ser governo, mas está mesmo com azar, apesar de todas as desgraças que têm ocorrido na economia mundial a economia portuguesa não foi ao fundo. Coitada da Manuela Ferreira Leite, dantes tentava ver sinais de retoma, agora anseia por sinais de recessão, mas não encontrou nem uns, nem outros.

O PROBLEMA ERA A RÚSSIA OU A URSS?

Começa a ser evidente que a guerra fria escondia a rivalidade entre os EUA e a Rússia, isso explica que apesar do fim da "guerra fria" os falcões americanos continuem a brincar às escondidas nas fronteiras da Rússia, mostrando que não aprenderam a lição. Armaram a Al Qaeda e as consequências estão à vista, invadiram no Iraque e não sabem como sair, agora andam a tentar desestabilizar as fronteiras da Rússia, incendiando o Cáucaso. O futuro dirá quais serão as consequências da idiotice americana.

MAIS RÁPIDOS MAIS ALTOS MAIS CATITAS

«Não percebo como mostram Michael Phelps. Em grande plano, cara toda. Não percebo. Admiro o desportista, ele merece aquele ouro todo, quase tanto como o do Fort Knox. Mas mostrá-lo, ao Phelps?! Admito, até, que ele possa ser visto naquelas fotos que a piscina do Cubo permite, belíssimas, sob a água, o tecto luminoso, o corpo, ao longe - tudo bem. Agora, a cara... Michael Phelps tem crânio estreito e sofre de prognatismo agudo. Queixada alongada. Ora isso é inadmissível no olimpismo moderno. Eu fazia assim: deixava-o nadar, porque só ele pode fazer aquelas marcas extraordinárias. Mas no momento de sair da água, substituía-o pelo Brad Pitt. Boa cara para pôr louros e vai com as medalhas. No fundo, era fazer como na cerimónia de abertura. Quem cantou foi a voz maravilhosa de Yang Peiyi. Mas como a menina era gorducha, mostra-se a encantadora Lin Miaoke a fazer karaoke olímpico. Se se fez com cantoras, mais razão com atletas. Temos de ficar com boa impressão deles.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Ferreira Fernandes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

O PSD SAI DA RUA PARA A SALA DE AULA

«Manuela Ferreira Leite preferiu uma selecta universidade de Verão ao bulício do comício do Pontal que hoje se realiza para assinalar a rentrée política. A opção não é original - Marques Mendes fez exactamente a mesma escolha em 2006 -, mas no actual contexto da vida do partido é muito mais que a afirmação de um estilo de liderança: é um quase programa político. O novo partido que se deseja erguer sob a égide de Manuela Ferreira Leite e o lastro da vitória da oposição ao menezismo pretende com o gesto mostrar ao país que prefere o conteúdo à forma, a substância da mensagem política à barafunda da mobilização das tropas, as elites que pensam em detrimento das bases que se alimentam de emoções. O PSD que germinou após a hecatombe de Fernando Nogueira e resistiu à passagem de Durão Barroso é uma espécie sob a ameaça da extinção. » [Público assinantes]

Parecer:

Por Manuel Carvalho.

PS: Manuel Carvalho esquece que o PSD da rua foi inventado precisamente por Cavaco Silva, aquele que seria o verdadeiro primeiro-ministro se Ferreira Leite ganhasse as eleições legislativas. Esqueceu-se que no tempo de Sá Carneiro esse PSD não existia, foi inventado por Cavaco Silva com as manifestações de vitória na Alameda, Cavaco Silva que nunca faltava às festas no Pontal. Mas como o blogue de Belmiro de Azevedo acha que consegue levar Ferreira Leite ao colo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Arquive-se.»

PSD DA MANUELA CONTRA OS SEMPRE EM FESTA

«A ausência de Manuela Ferreira Leite da Festa do Pontal, que o PSD/Algarve organiza hoje à noite em Quarteira, está a ser mal recebida junto dos sectores próximos de Pedro Passos Coelho e de Pedro Santana Lopes, os dois candidatos derrotados nas directas de 31 de Maio e que, juntos, representam cerca de 60% do partido.

"A pior coisa que podia acontecer ao PSD era não estar ninguém com dimensão nacional nesta festa. O Pontal é, e sempre foi, uma festa de expressão nacional, pelo que não se pode circunscrever aquilo a uma dimensão local", diz Ângelo Correia ao DN. O ex-presidente da mesa do congresso e um dos mais destacados apoiantes de Passos Coelho vai ser hoje o orador principal da festa, falando depois de Mendes Bota. "Aceitei porque tinha que aceitar, sou um fundador, tenho especiais responsabilidades", acrescenta Ângelo Correia.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Ferreira Leite parece só gostar de festas de gente fina.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Ferreira Leite se tem alguma coisa contra as sardinhas assadas.»

A ECONOMIA RESISTIU À CRISE (?)

«Face ao abrandamento europeu e à conjuntura adversa a nível internacional, a economia portuguesa “resistiu e conseguiu manter o seu nível de crescimento” no segundo trimestre, salienta o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, frisando a “dinâmica” verificada no mercado de trabalho.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

A dúvida está em saber porquê.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao ministro.»

ECONOMIA PORTUGUESA CRIOU EMPREGO

«A economia portuguesa gerou uma criação líquida de 133.700 postos de trabalho desde o primeiro trimestre de 2005, ou seja, desde que o actual Governo entrou em funções, anunciou o ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros.

O ministro sublinhou que esta criação líquida de empregos se deu numa fase em que a economia portuguesa deu sinais de recuperação, apesar da conjuntura adversa internacional. Simultaneamente, lembrou, «o Governo conseguiu reduzir em 140 mil o número de funcionários na Administração Pública». » [Portugal Diário]

Parecer:

Quem diria?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se um comentário a Carvalho da Silva.»

PÍLULA PODE LEVAR À ESCOLHA DO HOMEM ERRADO

«A pílula pode alterar a capacidade instintiva das mulheres escolherem o seu parceiro. Segundo um novo estudo britânico, divulgado quarta-feira pela AFP, o contraceptivo altera a predisposição natural de escolher um homem com genes diferentes, de modo a garantir a diversidade favorável à espécie. » [Portugal Diário]

Parecer:

Isso explica muita coisa.

JORNALISTA E ACTIVISTA PRESOS NA CHINA

«Um jornalista britânico e oito activistas pró-Tibete foram detidos na quarta-feira durante um protesto, próximo do principal estádio olímpico, em Pequim. Outros elementos da organização «Estudantes para um Tibete Livre» tinham sido já detidos antes da cerimónia de abertura dos Jogos.» [Portugal Diário]

Parecer:

Era de esperar, uns Jogos Olímpicos na China sem presos seria mais estranho do que sem recordes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

IGREJA MEXICANA ACONSELHA MULHERES A NÃO USAREM ROUPA PROVOCANTE

«A Arquidiocese do México recomendou às mulheres católicas que, para evitarem agressões sexuais, não usem roupa «provocadora» nem façam cirurgias plásticas ou dirijam piadas «picantes» aos homens, noticia a Lusa.

A recomendação consta de um documento sobre valores, dedicado ao pudor, que a instituição religiosa publicou há quatro dias, como material preparatório para o VI Encontro Mundial das Famílias, que se realiza no México em Janeiro de 2009. » [Portugal Diário]

Parecer:

Padres...

ACONTECE DE TUDO AOS PORTUGUESES NOS JOGOS OLÍMPICOS

«Miguel Ralão Duarte, montando a égua Oxallys da Meia Lua, desistiu hoje na sua participação na disciplina de Ensino das provas equestres dos Jogos Olímpicos. Segundo o cavaleiro, a égua assustou-se com o ecrã de vídeo existente no recinto e "entrou em histeria". A desistência ditou a eliminação de Portugal na competição por equipas. » [Público]

Parecer:

Tudo menos conquistar medalha, pelo menos até ao momento.

ATACARAM O SITE DA JSD

«informática. Durante parte do dia de ontem, o endereço www.jsd.pt apontava para uma página com a fotografia de Oliveira Salazar, acompanhada de uma mensagem (escrita com várias incorrecções ortográficas) em que o antigo chefe de Governo era elogiado.» [Público]

Parecer:

Esqueceram-se da segurança.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Acrescente-se uma "cadeira" de segurança informática na Universidade de Verão da JSD.»

O JUMENTO NOS OUTROS BLOGUES

  1. O WEHAVEKAOSINTHEGARDEN acha que dar dinheiro a troco de trabalho em vez de rendimento mínimo é coisa dos Bilderberg. Recomendo-lhe que pergunte a um dos muitos pobres portugueses que trabalham para ganhar a vida e vai ver que o Clube de Bilderberg tem mais adeptos do que imagina. Mas se quiser ir mais longe, então que vá a Cabo Verde onde, contra a vontade das organizações internacionais, a ajuda alimentar é distribuída a troco de trabalho, vá e compare com o que sucede em África. Bem, só resta recordar-lhe o ditado chinês, em vez de lhe dares peixe, ensina-os a pescar. Deixemo-nos de tretas, a pobreza implica a existência de pobres e estes não comem ideias progressistas da treta.
  2. O "Politikae" recomenda o post dedicado ao problema das pescas.

NO ÁGUA LISA

«Eu não discuto o gosto de Cavaco Silva pelos espectáculos de La Féria. Para mais, um gosto antigo e fidelizado, como o próprio encenador confirmou. E que está, aliás, em linha com o núcleo de eminências artísticas que, por virtude de gratidão, não esquece a política de apoio subvencionista que mereceu quando Cavaco era primeiro-ministro com Santana Lopes na secretaria da cultura. Desde então, estas personalidades das artes e espectáculos, onde se destacam Ruy de Carvalho, Eunice Muñoz e La Féria, não faltam a apoiar Santana e Cavaco sejam quais forem as lides eleitorais em que estes se metam. E se é bonita esta paga artístico-eleitoral, mais bonito é o reverso, demonstrando que artista grato não o é mais que o político que se gaba de ter uma corte de artistas, tentando merecê-la e conservá-la. A generosidade de Cavaco Silva aí está no esplendor dos grandes gratos: agora, por mor das suas funções e da sofisticação securitária dos tempos modernos, Cavaco, mesmo em férias em local de espaço aéreo fechado, não só leva a esposa a apreciar as pirotecnias artísticas ambulantes de La Féria, como compra de atacado mais 20 bilhetes para o seu séquito policial nestes tempos de PSP Super Star, educando-a no gosto pelo teatro. É bonito de se saber.»

O. SHELEGEDA

DUREX EXTRA SAFE