sábado, outubro 11, 2008

A disciplina (ou cobardia) partidária


«Os Deputados exercem livremente o seu mandato, sendo-lhes garantidas condições adequadas ao eficaz exercício das suas funções, designadamente ao indispensável contacto com os cidadãos eleitores e à sua informação regular. » [n.º 1 do art.º 155.º da Constituição da República]

Na votação do casamento gay Manuel Alegre questionou a constitucionalidade da disciplina partidária, defendendo que obrigar um deputado a votar contra a sua vontade é inconstitucional.
Não sou jurista pelo que não poderei dar um contributo credível nesta perspectiva, ainda que para mim a chamada disciplina partidária” que por vezes é imposta aos deputados é uma clara violação do art.º 155.º da Constituição. Se um deputado não vota nem em função da sua consciência, nem do próprio programa político com que se apresentou aos eleitores quem representa no parlamento?

O nosso parlamento está cheio de práticas absurdas, desde as famosas cartas em branco e sem data assinadas pelos candidatos a deputado àquilo a que alguns designam eufemísticamente por “disciplina partidária”, mas que não passa de pura obediência.

Se os deputados estão ali para dizerem, pensarem e votarem o que o partido manda não temos um parlamento, temos um curral de deputados, Se não fosse o espectáculo proporcionado pelas piadas do hemiciclo mais valia substituir o sistema de deputados e instituir um conselho de administração político, onde o voto de cada administrador político teria o peso correspondente aos votos que o respectivo partido teve nas eleições legislativas. Se os deputados estão lá para baterem palmas e votarem como lhes mandam não fazem lá nada.

Vivemos num país de obediências, de gente pouco livre que vive permanentemente obrigado ao respeito por várias disciplinas. O deputado não desrespeita a disciplina partidária pela mesma razão que leva o funcionário público a dizer sempre que sim ao chefe, por medo, quem desobedecer, quem pensar pela sua própria cabeça, quem respeitar a sua consciência sabe que será prejudicado, o funcionário e o deputados podem esquecer as suas carreiras.

Mas mais importante do que tudo a disciplina partidária é um mau exemplo para um país carente de iniciativa, criatividade e coragem.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Até há flores no Terreiro do Paço

A MENTIRA DO DIA D'O JUMENTO

Brevemente Pacheco Pereira vai explicar no seu Abrupto as razões porque aconselhou Manuela Ferreira Leite a apoiar a candidatura de Santana Lopes à CM de Lisboa.

JUMENTO DO DIA

Manuel Monteiro

Manuel Monteiro ainda não percebeu que cada vez que fala de Salazar enterra um pouco mais a sua carreira política, os salazaristas são demasiado oportunistas para votarem nele optando pelo PSD que lhes proporciona o acesso ao poder e os anti-salazaristas sentem vómitos com estas referências. Dizer que devemos agradecer a Salazar por ter deixado muito ouro revela pouco conhecimento de economia.

A DISCIPLINA DE VOTO DOS DEPUTADOS RESPEITA A CONSTITUIÇÃO?

Esta é uma questão suscitada por Manuel Alegre para justificar o seu voto na questão do casamento gay e faz todo o sentido discuti-la, já que não é a primeira vez que muitos deputados votam contra a sua consciência. Será o tema de amanhã.

SEM CUJO CONCURSO

«Nos últimos 26 anos, em Portugal, os homossexuais passaram de criminosos (até 1982) a deficientes e doentes mentais (até 1999), para verem em 2001 reconhecida a igualdade na união de facto e em 2004 especificamente interdita, na Constituição, a sua discriminação. Poucas lutas pela igualdade na lei foram tão rápidas nas suas conquistas. Falta a última batalha, a do casamento. E quem se indigna com o facto de até há muito pouco tempo um homossexual ter sido na lei portuguesa um criminoso e um doente não pode ignorar que a proibição do casamento é resquício disso.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

UM CASO DE INDIGNIDADE

«Remato com um apelo à inteligência e à honestidade de quem me lê: com problemas tão graves como os que nos tocam, com as ameaças de estoiro financeiro generalizado, com a ausência de perspectivas e o esmagamento de todas as esperanças – este caso, um não-caso, esta notícia, uma não-notícia que ressurge agora que sentido oculta? E digo ressurge porque um pesado e mal-escrito semanário já me interpelara, há anos, sobre; e eu próprio, em amenas crónicas me tenho intitulado "inquilino camarário." Não há segredo, nem mistério, nem ilegalidade. A indignidade mora onde isto foi criado. E eu sei onde, porquê e por quem.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Por Baptista Bastos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

TSUNAMI FINANCEIRO E MEIA DE REFLEXÃO

«Não posso deixar os meu leitores no desconhecimento da explicação da crise "subprime", tal como explanada (admiravelmente) por brasileiros, e posta nas minhas mãos por mão cúmplice. Já corre na Internet, pelo que muitos leitores já a conhecem. Mas como é, tal como agora se diz, "incontornável", não vou privar ninguém deste fabuloso naco de humor, que, além do mais, é basicamente a explicação, caricaturada mas exacta, de tudo o que está a acontecer:

Mas como é, tal como agora se diz, "incontornável", não vou privar ninguém deste fabuloso naco de humor, que, além do mais, é basicamente a explicação, caricaturada mas exacta, de tudo o que está a acontecer:"O seu Biu tem um bar, na Vila Carrapato, e decide que vai vender cachaça ‘na caderneta’ aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados. Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose da branquinha (a diferença é o sobre-preço que os pinguços pagam pelo crédito).

...

Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e o Bar do seu Biu vai à falência. E toda a cadeia sifudeu !".» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Por Fernando Braga de Matos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

NÃO ACREDITEM NELES

«Esta crise não se percebe com a declaração (deleitada) do fracasso do "neoliberalismo" (quem sabe o que é precisamente o "neoliberalismo"?), nem com vociferações, que já se tornam ridículas, sobre a irresponsabilidade e a "ganância" de Wall Street, da City e outros lugares de perdição. Talvez seja bom começar pelo que, de facto, aconteceu. A crise foi revelada pelo problema do subprime na América, ou seja, pelo excessivo crédito de risco à habitação, sem qualquer forma de garantia ou expectativa racional de pagamento. Mas não veio exclusivamente daí, nem por si mesmo o subprime explica o resto da história. O facto é que todo o crédito cresceu sem lógica ou limite, até ao ponto em que desde o Estado americano à grande banca (comercial ou de investimento) e a uma qualquer companhia de seguros pouco ilustre, o mundo inteiro ficou endividado.

Isto quer dizer duas coisas. Em primeiro lugar, que centenas de milhões de pessoas, na América, na Ásia e na Europa, se habituaram a viver para lá dos meios que tinham ou que podiam ter, pelo artifício simples de gastar o dinheiro que não era deles. E, em segundo lugar, que isto se passou com a cumplicidade e colaboração do Estado (Estados, na verdade), de instituições financeiras e de organismos reguladores de carácter nacional ou internacional. Aqui, por exemplo, há anos que se fala no endividamento das famílias (mais de 100 por cento do PIB), no endividamento do Estado e no endividamento da banca. Só que, tirando um ocasional "velho do Restelo" suficientemente ingénuo para ir à televisão arrancar os cabelos, não se fez nada.

Aanimosidade crescente contra os responsáveis pela catástrofe é, em parte, merecida. O cidadão comum não compreende a justiça subjacente ao caso. Quem rouba um automóvel ou uma bicicleta (um delito certamente menor) marcha direitinho para a cadeia. Quem cria uma desordem financeira, sem precedente histórico, e contribui para o sofrimento de milhões, continua no gozo da sua importância e dos seus proventos. Sucede que as finanças são uma disciplina abstracta e, pior ainda, "irreal". Quem especula em Wall Street, na City, em Madrid ou Lisboa não vê a "realidade" como ela é. Vê uma "realidade" arrumada e matemática, que obedece às suas próprias leis. E, quando essa "realidade" se impõe como universal e única, o fim está próximo. Principalmente, se por oportunismo os políticos também perdem a cabeça e decidem acreditar na tribo da economia e dos "negócios".» [Público assinantes]

Parecer:

Por Vasco Pulido Valente.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

É DESTA VEZ QUE VOU EMIGRAR

«Vai ser um verdadeiro vendaval na política portuguesa e no PSD em particular. Alberto João Jardim está mesmo decidido a deixar a Madeira e vir para Lisboa não só disputar a liderança dos sociais-democratas como combater o inimigo de estimação nas Legislativas de 2009. As coisas estão a ser devidamente preparadas e Janeiro é o mês escolhido para a grande ofensiva. » [Correio da Manhã]

Parecer:

Os humoristas que se cuidem, são eles que devem ter receio das intervenções políticas de Alberto João.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Pinto Balsemão, com o Alberto João na grelha da SIC já pode concorrer com os Gatos Fedorentos, pelo menos vamos ter fedor político em horário nobre.»

CHINAMARQUÊS POLÍTICO

«Nessa declaração lê-se que os socialistas só estarão em condições de fazer a "assunção clara e inequívoca de um compromisso político específico" sobre esta matéria depois de uma "maturada discussão" que gere "adesão na sociedade portuguesa" a esta ideia, ou seja, que permita "a criação dos necessários consensos que conduzam a soluções que garantam a realização duradoira e consistente dos princípios da liberdade e igualdade de direitos".» [Diário de Notícias]

Parecer:

A luminária que escreveu este texto redondo, vazio e cobarde deveria ser internado.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Interne-se a pobre criatura.»

MÉDICOS ESTÃO A ABANDONAR INSTITUTO DA DROGA

«Médicos ligados aos centros de atendimento de toxicodependentes (CAT) ouvidos pelo DN apontam o "desinvestimento" na vertente de tratamento e reinserção dos toxicodependentes e o predomínio da componente das drogas de substituição como uma das causas de insatisfação profissional. As mesmas fontes garantem que a maioria dos utentes dos CAT está abrangida pelos chamados programas de substituição, tomando metadona ou bupronerfina, quase parecendo que não há mais alternativas, o que não é verdade: existem programas de desabituação (domiciliário ou em internamento) e paragens de consumo à base de substâncias antagonistas. Mas estas abordagens exigem um acompanhamento mais caro, multidisciplinar e com uma componente de psicoterapia.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Algo está mal por ali.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Investigue-se.»

MENEZES VOLTA A CRITICAR MANUELA FERREIRA LEITE

«Luís Filipe Menezes volta a lançar duras críticas sobre o PSD e a liderança de Manuela Ferreira Leite. Leia alguns excertos do artigo de opinião que vai ser publicado este Sábado no JN.

"Há seis meses, dois dias sem criticar o Governo eram demonstrativos de uma letargia indesculpável, hoje, um mês de dieta verbal, é a manifestação de uma providencial contenção intelectual."

"Há seis meses Santana Lopes, 'populista e incredível', não tinha condições para ser líder parlamentar, hoje, já tem todas as condições para ser o candidato com 'estofo' para vencer António Costa."» [Jornal de Notícias]

Parecer:

E tem razão.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento a MFL e ao JPP.»

VÃO HAVER DESPEDIMENTOS NO PCP?

«A crise financeira chegou ao "partido da classe operária e de todos os trabalhadores". O PCP, um dos partidos que apresentava resultados positivos, atravessa dias difíceis e o próprio secretário-geral veio ontem recomendar que o XVIII Congresso, marcado para o final do ano, em Lisboa, deve assumir o problema como "uma questão política e ideológica de grande importância". Nas teses que vão ser apresentadas ao congresso não se exclui mesmo a dispensa de funcionários, "sem tarefas de organização, de modo a contribuir para o equilíbrio financeiro indispensável à sustentabilidade do partido e à manutenção da sua intervenção política". » [Público assinantes]

Parecer:

Será muito interessante comparar o que se vai passar no PCP com aquilo que este partido critica ao sector privado.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

VIRGEM DE 105 NOS DIZ QUE VIRGINDADE É A CAUSA DA LONGEVIDADE

«Pero Clara Meadmore, nacida el Glasgow en 1903, también tiene algo que decir al respecto. Y es que esta anciana británica de 105 años de edad ha desvelado que el secreto de su longevidad es no haber practicado sexo ninguna vez.» [20 Minutos]

O JUMENTO NOS OUTROS BLOGUES

  1. O "Drops Azul Anis S" gostou da camisinha métrica.
  2. O "Pátio das Conversas" concorda com o "post inoportuno".
  3. O "In Concreto" dá destaque ao "post inoportuno".
  4. O "Não há mal que não se cure" e o "Alcáçovas" e o "Câmara de Comuns" ficaram a saber que os efeitos da crise já chegaram a Cuba".
  5. O "Contador de Gaivotas" acha uma palermice cada estação de serviço ter um site para colocar os preços dos combustíveis.
  6. O "Cu-Cu" gostou da imgem do homem que invadiu o palácio real de Tóquio.

VISIBLE BODY

MOTO GP GRANDE PRÉMIO DA AUSTRÁLIA [imagens]

A MELHOR PÁGINA EM CONSTRUÇÃO [Link]

ALEJKA

KAYAKING

sexta-feira, outubro 10, 2008

Um post inoportuno


Consoante os casos os casamentos têm um ou dois momentos importantes, num caso é o momento da celebração e numa boa parte dos casos além deste momento é o do divórcio. No momento da celebração é de bom tom as esposas vestirem de branco em sinal de virgindade e os noivos vendem amor e felicidade. Pelo meio poderá haver filhos mas isso não é um exclusivo do casamento, há muitos que os têm sem serem casados, há muitos que casam depois de os ter ou antes de não se reparar que os vão ter, nos tempos que correm são muitos os casais que não os chegam a ter.

Já quanto ao divórcio o problema é mais simples, o casamento resume-se ao fim de um negócio, o próprio Presidente da República deu grande destaque quando questionou a lei do divórcio aprovada no parlamento. Quanto aos filhos não são as regras do casamento que se aplicam, é o Ministério Público quem os representa, não raras vezes, propõe a solução que os pais desavindos não se entendem.

Portanto, não partilho da opinião dos que dizem que o casamento é uma instituição, a família talvez o seja, mas para que haja uma família nem é necessário que haja casamento e não são raros os casamentos dos quais não resulta uma família. O mesmo penso da relação entre o casamento e a procriação, a existência de filhos é muito anterior à existência de casamentos ou de casamentos celebrados numa igreja. Há filhos dentro do casal, filhos vindos de um casal anterior, filhos fora do casal e até há os que são concebidos com a colaboração de alguém que não faz parte do casal. Dizer que o casamento serve para procriar é confundir a celebração do casamento com a ida a umja consulta de saúde reprodutiva.

Já quanto ao casamento religioso há diferenças, são dois crentes que fazem juras, que garantem que são virgens e que vão ter tantos filhos quanto a natureza lhes mandar. A Igreja até pode recusar a casar quem não cumpre os requisitos. O casamento religioso é um sacramento da mesma forma que é o baptismo, a primeira comunhão ou o crisma, obedece a regras religiosas, nada estipula quanto a questões materiais ou à educação dos filhos em caso de divórcio. A Igreja casa quem quer e só quem o quer. Comparar o casamento religioso com o civil, condicionando o segundo aos pressupostos morais do primeiro é um equívoco que já foi lei.

Serve isto para dizer que não vejo que venha mal ao mundo que dois homossexuais celebrem o mesmo contrato nupcial que é celebrado por dois cidadãos de sexos diferentes que supostamente são heterossexuais, ainda que ninguém o verifique, da mesma forma que não são obrigados a apresentar prova de que não são estéreis, nem sequer lhes é exigido que cheguem a consumar o casamento. Há muito que o casamento civil foi reduzido a um contrato, tudo o resto depende das convicções e valores de cada um.

Há por aí quem diga que este não é um tema oportuno, foi por isso mesmo que decidi colocar este post. Se foi oportuno alargar a idade da reforma, avaliar tudo e todos, aumentar o IVA, alugar casas a amigos ao preço da uva mijona, diminuir os salários, porque motivo só é inoportuno discutir o casamento gay? Esta é uma matéria em que aceito como igualmente certas as opiniões diversas da minha, o que não posso aceitar é que haja deputados eleitos para decidir que não tenham opinião porque alguém lhes disse que é inoportuno. Até porque em matéria de oportunidade o país e os cidadãos estão à frente das estratégias eleitorais partidárias, a democracia não deve estar sujeita a critérios de oportunidade.

umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Topo do Arco da Rua Augusta, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Ym Yik/European Pressphoto Agency]

«Investors cried during a protest outside the Bank of China Tower in Hong Kong. Hundreds of investors who bought Lehman Brothers mini-bonds demanded that the banks buy back 100 percent of their Lehman Brothers' mini-bond investments. » [The New York Times]

JUMENTO DO DIA

Alberto Martins, líder parlamentar do PS

Se há tema sobre o qual todos os portugueses têm opinião é o do casamento gay, não há ninguém que não tenha discutido o assunto com amigos ou familiares, não há político ou deputado que em algum momento não se tenha pronunciado sobre o tema. Justificar o voto do PS com a inoportunidade do assunto porque o mesmo não foi objecto de debate público é ridículo, apenas visa esconder a cobardia. Esta é uma questão que será sempre inoportuna, nenhum governo quer perder os votos dos que são contra, sabendo-se que os que são a favor não vão mudar a orientação do voto.

Será que Alberto Martins segue o mesmo critério sempre que propõe o agendamento de uma votação? É evidente que não, só agora é que se lembrou dos eleitores, precisamente para esconder a cobardia política.

HÁ SEMPRE ALGUÉM QUE DIZ NÃO

«A seguradora AIG já era famosa quando andava sob o pescoço de Cristiano Ronaldo, na camisola do Manchester. Mas famosa mesmo, mesmo, foi quando os americanos passaram a andar com a AIG ao pescoço. Esganados. Ela falira e não fosse sugarem-se os dinheiros públicos (85 mil milhões de dólares) a empresa fechava. Não fechar é bom e o que é bom festeja-se. Alguns executivos da AIG foram para um luxuoso hotel de Monarch Beach, Califórnia, com factura final de 300 mil euros, entre diárias, almoços e pedicura. Tudo pago pela empresa que, já vimos, era paga pelos contribuintes. Evidentemente, os invejosos do costume foram aos arames - na Câmara dos Representantes, alguns dos eleitos que ainda há pouco tinham votado o resgate da AIG indignaram-se com o abuso. É verdade que aqueles executivos, em superficial análise, parecem não merecer prémio algum, quanto mais pedicura. Como se fosse fácil lidar com a consciência. Esta é aquela voz interior que nos diz que alguém está olhando. Sem poderem usufruir dos luxos com merecida tranquilidade, aqueles executivos estavam, no entanto, a dar-nos uma esperança: a crise não é geral.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Ferreira Fernandes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

PJ INVESTIGA DÍVIDA DA CML DO TEMPO DE SANTANA

«O Ministério Público (MP) e a Polícia Judiciária (PJ) estão a analisar os contratos celebrados entre a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e a Interact – Comunicação Interactiva, no âmbito de uma dívida de 450 mil euros que a empresa reclama da autarquia, respeitante a trabalhos publicitários executados durante a vereação de Pedro Santana Lopes. » [Correio da Manhã]

Parecer:

Tanta investigação...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Questione-se a PGR sobre o momento escolhido para estas investigações.»

EQUIPA ESPECIAL DO DIAP CONSEGUE PRISÕES PREVENTIVAS

«A unidade especial do Ministério Público, criada há pouco mais de um mês no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, para fazer face à vaga de criminalidade violenta na capital, já contabiliza um total de 18 presos, apurou o CM. O casal de namorados que ontem recolheu em prisão preventiva, por meses de assaltos violentos no metro de Lisboa, foi o último exemplo da coordenação desta equipa, sob a liderança da procuradora-geral adjunta Maria José Morgado, directora do DIAP, em articulação, neste caso, com a PSP, mas habitualmente também com a Polícia Judiciária e GNR.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Seria interessante comparar as decisões dos magistrados nestes processos do DIAP com os muitos caos em que os criminosos foram soltos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Compare-se.»

ACABOU-SE A PERSEGUIÇÃO A JUDAS

«O antigo presidente da Câmara de Cascais, José Luís Judas (PS), e o empresário Américo Santo não foram pronunciados para julgamento no âmbito do processo doPlano Especial de Realojamento. Segundo apurou o CM, Américo Santo pondera abrir um processo de pedido de indemnização ao Estado no valor de dez milhões de euros.

O Tribunal decretou ontem o "oportuno arquivamento" do caso do PER – Plano Especial de Realojamento (programa de construção de casas para realojamento de moradores em barracas) – do município de Cascais, que envolvia alegados crimes de burla qualificada, infidelidade, participação económica em negócio, abuso de poder e prevaricação» [Correio da Manhã]

Parecer:

Ainda há poucos dias António Capucho insistia na acusação a Judas, talvez porque um julgamento lhe desse jeito em ano de eleições.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Informe-se António Capucho.»

MAIS DE 500 IMOBILIÁRIAS INTERROMPEM A ACTIVIDADE

«No mercado ninguém dá a cara mas a informação cruzada confirma a realidade: são já centenas - uns avançam com 500, outros 600, outros 800 - os mediadores imobiliários que fecharam, em Portugal, desde o início do aperto da concessão de crédito bancário no final de 2007. Números que não podem ser confirmados oficialmente porque o InCI-Instituto da Construção e do Imobiliário só controla o pagamento de licenças, que em regra duram três anos, não monitorizando, em cada momento, os profissionais que encerraram ou interromperam a actividade.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Era de esperar.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pela evolução da crise.»

FENPROF QUER AUTO-AVALIAÇÃO PARA EFEITOS ESTATÍSTICOS

«A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) apresentou ontem um "anteprojecto" sobre a avaliação docente, que tenciona debater com a classe, no qual considera que "todos os critérios e vectores de avaliação devem ser controlados pelo avaliado", elimina barreiras à obtenção das melhores classificações - como as quotas - e substitui as consequências mais graves de uma avaliação negativa por medidas de apoio ao visado. Este modelo "alternativo" prevê apenas três classificações possíveis: "o Muito Bom", o "Bom" e o Insuficiente", eliminando o "Excelente" e o "Regular". E as consequências nas carreiras, para os melhores e para os piores, são bastante esbatidas em relação às regras em vigor.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Digamos que quer que se brinque às avaliações. A um ano das eleições o PCP oferece um falso bombom aos professores a troco de greves e manifestações.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Informe-se a Fenprof que o ensino não está em auto-gestão, não se aplicando a intenção das teses do PCP de serem os sindicatos e as comissões de trabalhadores a co-gerir os serviços e empresas.»

GOVERNO PRESSIONA AUTARQUIAS A PAGAR ACESSOS À INTERNET DO MAGALHÃES

«O deputado do PSD Agostinho Branquinho acusou, esta quinta-feira, o Ministério da Educação de intimar as autarquias a pagarem modems e ligação à Internet dos computadores Magalhães distribuídos a alunos do primeiro ciclo do ensino básico.

Durante um debate no Parlamento sobre educação agendado pelo PSD, Agostinho Branquinho considerou que "o Governo ainda não explicou e era bom que explicasse quem vai pagar os custos reais do Magalhães".» [Jornal de Notícias]

Parecer:

O estranho é que a associação dos municípios tem à sua frente um dirigente do PSD que não perde nenhuma oportunidade para criticar o governo. Se assim é porque é que é um deputado do PSD a intervir dizendo que tem provas que não mostra.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao governo que faça acompanhar o e-escolinha de uma embalagem de Alka-Seltzer.»

GASOLINEIRAS OBRIGADAS A DIVULGAR PREÇOS NA NET

«O Governo aprovou hoje um decreto que obriga todos os postos de abastecimento de combustíveis a disponibilizarem os preços praticados na Internet, medida que estará em prática a partir do início de 2009.

A medida foi apresentada no final do Conselho de Ministros pelo secretário de Estado Adjunto e da Indústria, Castro Guerra, que a definiu como "um passo para que os automobilistas tenham maiores opções de escolha quando abastecem as suas viaturas".» [Jornal de Notícias]

Parecer:

A medida até parece positiva mas é ineficaz, o interessante seria as petrolíferas serem obrigadas a criar um site com esse objectivo, onde, para além do histórico dos preços, fossem obrigadas a disponibilizar toda a informação estatística necessária a avaliar a prática seguida na fixação dos preços.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Altere-se a lei em conformidade com o proposto.»

LÉSBICAS PERSEGUIDAS DEPOIS DE ARTIGO DO JN?

«O casal de reclusas lésbicas do Estabelecimento Prisional de Tires, que denunciou publicamente estar a ser alvo de represálias desde que a relação foi tornada pública, voltou a ser castigado, desta vez, depois do artigo publicado, esta terça-feira, pelo JN.

Beatriz M. e Linda A. não só foram agora colocadas em dois pavilhões diferentes na prisão como ficaram, alegadamente, sem alguns dos seus pertences, após as suas celas terem sido despejadas. Com 29 anos e a três meses de sair do EPT, onde cumpriu uma pena por burla, Beatriz deixou o Pavilhão 2, onde se encontram as condenadas e rumou ao Pavilhão 1, das preventivas, para cumprir uma sanção disciplinar. Ao JN, fonte da Direcção-geral dos Serviços Prisionais adiantou que "a reclusa interpôs recurso do castigo para o Juiz do Tribunal de Execução de Penas", mas que foi confirmada a decisão. A mesma fonte referiu ainda que "não houve qualquer tipo de despojamento de bens". » [Jornal de Notícias]

Parecer:

Parece que em Portugal são os guardas prisionais a decidir os direitos constitucionais dos reclusos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Investigue-se.»

O CASAMENTO GAY É INOPORTUNO (?)

«A declaração de voto que o grupo parlamentar socialista vai apresentar sexta-feira sobre os diplomas do BE e dos Verdes sobre casamentos homossexuais renova as críticas à «oportunidade» da sua apresentação, considerando-a «extemporânea», informa a agência Lusa.

«Ao votar contra as propostas do Bloco de Esquerda e do PEV, não o fazemos em função de razões respeitantes ao conteúdo programático das propostas, mas à sua oportunidade», é referido na declaração de voto da bancada socialista. » [Portugal Diário]

Parecer:

Ridículo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao PS qual a razão da inoportunidade.»

PARTIDO CONCORRE COM MULHERES

«O líder do Movimento Mérito e Sociedade (MMS), Eduardo Correia, revelou que está a trabalhar no sentido de, nas eleições europeias do próximo ano, apresentar ao Parlamento Europeu uma lista «exclusivamente constituída por mulheres».

«Achamos que existe na sociedade um conjunto de mulheres perfeitamente capazes de representarem Portugal de forma absolutamente digna(...)gostaríamos de demonstrar que existem em Portugal mulheres com mundo, com capacidade de falar línguas estrangeiras e com conhecimento dos problemas», disse, em entrevista à Lusa. » [Portugal Diário]

Parecer:

A seguir vai aparecer um só com homens, outro só com coxos, outro só com os que nasceram a 25 de Dezembro.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Crie-se um partido só com candidatos canhotos.»

PS: NÃO É OPORTUNO VOTAR CASAMENTO GAY

«A declaração de voto que o grupo parlamentar socialista vai apresentar sexta-feira sobre os diplomas do BE e dos Verdes sobre casamentos homossexuais renova as críticas à «oportunidade» da sua apresentação, considerando-a «extemporânea», informa a agência Lusa.

«Ao votar contra as propostas do Bloco de Esquerda e do PEV, não o fazemos em função de razões respeitantes ao conteúdo programático das propostas, mas à sua oportunidade», é referido na declaração de voto da bancada socialista. » [Portugal Diário]

Parecer:

Já vi melhores argumentos para esconder a cobardia política.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

INICIATIVA LOUVÁVEL

«Os queijos e a carne de cabra das serras de Aire e Candeeiros vão salvar a gralha-de-bico-vermelho, espécie em perigo de extinção. Pelo menos essa é a aposta da Quercus, da Vodafone e da Cooperativa Terra Chã. O projecto de cinco anos, no valor de 150 mil euros, é apresentado no sábado.

O Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal tem uma página dedicada à gralha-de-bico-vermelho por razões óbvias. Apesar da espécie Pyrrhocorax pyrrhocorax existir na Europa e na Ásia central, em Portugal, as alterações ao uso do solo estão a dificultar a sua sobrevivência. Ou seja, os locais onde a ave descobria os vermes e insectos de que se alimentava tornaram-se menos acessíveis porque, com o abandono da pastorícia e agricultura extensiva, estão hoje cobertos com arbustos.» [Público]

Parecer:

É uma pena que não hajam muitas empresas a preocupar-se com a vida selvagem.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se o gesto da Vodafone.»

BENTO XVI JUSTIFICA O SILÊNCIO

«El Papa Benedicto XVI ha dicho este jueves que Pío XII (1876-1958) condenó desde el primer momento el nazismo y que en muchas ocasiones actuó de "manera silenciosa y secreta" para evitar "lo peor" y salvar al mayor número posible de judíos.

"Actuó muchas veces de manera secreta y silenciosa visto que, a la luz de la concreta situación de ese complejo momento histórico, intuía que sólo de esa manera se podía evitar lo peor y salvar al mayor número de judíos", afirmó el Papa en la misa solemne que ofició en la basílica de San Pedro del Vaticano con motivo del 50 aniversario de la muerte de Pío XII, que se cumple este jueves.» [20 Minutos]

CONDOMETRIC: UM PRTESERVATIVO COM ESCALA MÉTRICA

«Hay preservativos de sabores, de distintos colores, fluorescentes, finos... A esta lista se incluye una novedad que puede causar furor: un condón en el que se ha impreso una escala métrica que permite conocer al instante el tamaño del pene en cada acto sexual.El invento se llama 'condometric' y ya se publicita por Internet. El producto ha sido creado por una empresa española, Curiosite, que se dedica a la comercialización de objetos curiosos y originales. El objetivo, dar nuevas ideas para que los regalos sean divertidos.» [20 Minutos]

O JUMENTO NOS OUTROS BLOGUES

  1. O "Planetas Politik" usou uma imagem emprestada.
  2. O "PS Lumiar" dá destaque ao post em que se questiona se a CML deve ser senhorio.
  3. O "Oblivion" dá destaque ao post "pobres dos pobres".
  4. O "Nem Paz, Nem Guerra" também meteu o JPP de pernas para o ar.
  5. O "Drops Azul Anis S" também ficou preocupado por o dono da Playboy ter perdido uma das suas três namoradas.
  6. O "Carlos Alberto" gostou da escolha para "Jumento do Dia".
  7. O "Óbidos - Made in - 2510" dá destaque ao post "o mundo da mentira".

TÍTULO 46

OS EFEITOS DA CRISE JÁ SE FAZEM SENTIR EM CUBA