sábado, abril 18, 2009

Informação ou propaganda fascista?

Na base da informação está a notícia, um facto novo que o jornalista acha que é merecedor de chegar ao conhecimento público. Cabe ao jornalista documentar-se, ouvir os envolvidos sobre por esse facto novo, ouvir especialistas e, se o entender, comentar esse mesmo facto. É evidente que há aqui espaço para muita manipulação, desde logo pela simples selecção ou exclusão de um facto novo para o noticiar, pela forma como o mesmo é analisado ou comentado. Mas é para isso que há pluralidade na comunicação social, se eu não gosto da forma como a notícia é tratado num jornal deixo de o ler e opto por outro.

Nada impede que uma notícia seja mais tarde recordada a propósito de uma situação similar ou mesmo porque gerou expectativas, por exemplo, se alguém foi constituído arguido por suspeita de ter cometido um crime é compreensível que alguém se lembre de questionar sobre se vai e quando vai a julgamento.

Mas se um jornalista usa o mesmo facto repetidas vezes já não soba a forma de novidade mas sim tratado de forma a induzir uma determinada conclusão e, ainda por cima, sem proporcionar qualquer hipótese de contraditório, já não está a produzir a notícia. Se ainda por cima se recorre a simulações teatrais, manipulando a caracterização dos figurantes com o objectivo de desencadear sentimentos em quem assiste à peça, então estamos perante propaganda.

Se essa propaganda visa eliminar o papel de instituições democráticas como são os tribunais, procurando condenar alguém na praça pública muito antes da conclusão de uma investigação que decorre, isto é, procurando destruir alguém muito antes de haver matéria para a acusação estamos perante propaganda fascista. Quando se quer fazer um julgamento em que os direitos de defesa são nulos por decisão do jornalista este não está a ser jornalista, está a comportar-se como um agente da PIDE de serviço de um tribunal plenário, o director de informação produz simultaneamente a acusação e a condenação e o jornalista limita-se a bater no réu sem que este tenha a mais pequena hipótese de defesa. De vez em quando lá se arranja um comentador pago para simular o papel de advogado oficioso, o seu papel é dar consistência à sentença dando ares de estar a defender o arguido.

Os telejornais da sexta-feira da TVI não são informação, são meras simulações de tribunais plenários fascistas onde um casal simula estar a noticiar para julgarem na praça pública e sem regras as personalidades de que os conjugues não gostam. E se alguém ousar criticá-los passa a ser julgado repetidamente segundo as mesmas regras.

Não me incomoda que haja uma televisão com tiques fascistas, o que me incomoda é que a troco de alguns cobres haja gente com formação democrática que se apreste a colaborar com esta estação de televisão dando aos seus responsáveis um ar de credibilidade que não merecem.

Cresci a ver a informação da RTVE no tempo de Francisco Franco pois na minha terra mal se apanhava o sinal da RTP, garanto que a informação da RTVE no tempo do franquismo era bem mais isenta e honesta, diria mesmo mais democrática, do que a informação do casal Moniz. Não me recordo da RTVE ter ido tão longe na tentativa de destruição moral e política da oposição democrática como o casal Moniz tem ido na tentativa de serem eles próprios a julgar e destruir um primeiro-ministro eleito.

Os democratas decidem nas eleições e julgam nos tribunais, os fascistas decidem antes das eleições e julgam sem direito de defesa na praça pública ou em tribunais plenários. É essa a diferença entre democratas e fascistas, entre informação e propaganda fascista.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Alcácer do Sal

IMAGEM DO DIA

[Emilio Morenatti-AP]

«A bullet-ridden car stands amongst Pakistani men praying in the compound of radical Lal Masjid, or Red mosque in Islamabad.» [The Washington Post]

JUMENTO DO DIA

Fernando Seara, autarca de Sintra

Alguém viu Fernando Seara dar a cara a propósito da queda de um tecto falso numa escola do ensino básico de Monte Abraão? Não.

Se há construção que deve merecer o maior cuidado das entidades públicas, principalmente quando são elas a promotora da obra, são as escolas destinadas a criança. Como é possível um acidente numa escola um ano depois da sua construção e apesar de todos os alertas feitos à Câmara Municipal de Sintra.

O mínimo que se espera é que o Ministério Público investigue esta situação estranha, foi usado dinheiro público e pelo que viu não houve o devido cuidado para certificar a qualidade do edifício, tendo a CM de Sintra uma dupla responsabilidade, como promotor e enquanto fiscalizador.

APOIO OS CIDADÃOS DE ALFAMA

Da APPA - Associação do Património e da População de Alfama recebi o seguinte apêlo:

«A População de Alfama recusa-se a aceitar o abandono a que foi deixado o seu Bairro e Património.

Queremos que Câmara de Municipal de Lisboa e o seu Presidente procedam às devidas diligências para resolver as situações de abandono com obras paradas, que tome as medidas necessárias para que se retomem as obras em prédios cobertos de andaimes e estruturas metálicas inúteis, que se garantam as condições mínimas de habitabilidade e que se estabeleça uma política concreta de prioridades de intervenção com o fim de salvaguardar o espólio ainda existente e de dar à população condições de vida dignas.

Nós abaixo assinamos para que a Câmara Municipal de Lisboa assuma responsabilidades sobre o património de Alfama e que rectifique as situações em que edifícios foram transformados em estaleiros de obra. Que restitua às diversas freguesias as habitações, os pátios, as ruas seguras e acima de tudo que devolva ao bairro, a sua dignidade. »

A petição está AQUI.

AO MAU CAGADOR ATÉ AS CALÇAS EMPATAM

Toda a gente queria medidas contra o enriquecimento ilícito sem que tivessem explicado como provar que esse mesmo enriquecimento é ilícito, o próprio PSD já tinha cometido o erro de inverter o ónus da prova. Agora o governo decidiu tributar o enriquecimento não explicado e eis que desde políticos a investigadores ficaram indignados.

A posição mais hipócrita foi a do representante do sindicato dos investigadores da PJ que acusou o governo de ao cobrar 60% estava perdoando 40% do dinheiro dos criminosos, deu mesmo o exemplo de um assaltante de bancos. O que o investigador não explicou é como se sabe que quem tem dinheiro assaltou um banco e no caso de se saber porque razão ele está à solta. Se alguém deveria estar calado são precisamente os investigadores da polícia pois se há enriquecimento ilícito é porque este se escapou à sua acção. Seguindo a lógica deste investigador até se poderia dizer que se o fisco aplica um imposto é porque a polícia perdoou o criminosos de toda e qualquer pena.

AVES DE LISBOA

Fuinha-dos-juncos [Cisticola juncidis]

FAZER A DIFERENÇA

«Este sentimento dominante de indiferença ou mesmo de alheamento perante os temas europeus contrasta com o argumento tantas vezes brandido contra a intromissão do nível europeu no plano político nacional, já que cerca de 70% das decisões nacionais hoje em dia corresponderiam, directa ou indirectamente, a opções políticas tomadas a nível europeu. Acresce que a actual conjuntura de crise global demonstrou à exaustão (por acção e também por omissão) até que ponto é que a instância política europeia é decisiva na procura de uma resposta para a desregulação financeira, a recessão económica e a factura social decorrente.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por António Vitorino.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A COZINHEIRA, O PEIXE, O ÓLEO, o olho E O SANTO DELES

«40 anos depois, o "santo condestável", como lhe chamavam os livros do salazarismo (Afinal, era "beato" desde 1918 e já Pio XII tinha querido em 1947 santificá-lo "por decreto", e há décadas que se asseveram "milagres" para o justificar), reemerge para revivificar todas as lembranças dos anos 60, com história a condizer. A de uma senhora que há nove anos, num restaurante de Ourém, fritava peixe quando óleo a ferver lhe atingiu um olho, causando a perda da visão e danos que médicos terão dito irreversíveis. Ao fim de dois meses e meio, contudo, e graças a uma oração feita à noite na cama e um beijo numa imagem de Nuno Álvares, voltou a ver. Para se certificar de que fora milagrada, ligou a TV e viu--a claramente vista. A história tal qual conta-a o filho, Carlos Evaristo, ao jornal regional O Mirante, que o cita: "Nunca pensei que fosse um milagre a tal ponto fenomenal para ser utilizado para a canonização."» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Fernanda Câncio

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

UM CANDIDATO DO PSD

«A escolha do cabeça de lista do PSD para a eleição europeia veio tarde e mal. Veio mal porque não só Manuela Ferreira Leite não conseguiu arranjar ninguém que fizesse a unanimidade do partido (coisa muito provavelmente impossível), mas deixou que as divisões sobre o eventual candidato chegassem a público. Pior, que chegassem à sua própria direcção. Paulo Rangel começa sob a sombra de Marques Mendes, com uma parte do público desiludida e desconfiada, e outra - é de presumir - declaradamente hostil. Manuela Ferreira Leite tornou a perder autoridade e para Paulo Rangel não será fácil tirar o PSD do seu torpor e do seu pessimismo. Nem quando se tratava de uma prova decisiva os "caciques" tiveram o bom senso de se entender. Não se pode pedir aos militantes que acreditem neles.

Mas, neste episódio, o que impressiona mais não são as querelas do costume. Com essas já se conta. O que hoje aflige é a falta de gente com algum estatuto e algum prestígio naquele que foi durante quase 15 anos considerado "o partido natural de governo". Quando saiu, Cavaco não se preocupou com a sucessão e deixou atrás de si o vazio. A famosa "elite" que ele promovera debandou logo. Como típico produto do conservadorismo português, nunca estivera verdadeiramente interessada na política e resolveu aproveitar o vago lustre e a vantagem que o governo lhe dera para se meter a toda a pressa no seu ambiente natural: empresas do Estado, banca, fundações, negócios. No PSD ficou a parte "plebeia" ou inempregável e meia dúzia de aficionados sem destino.

O "pós-cavaquismo" (desculpem a palavra) instituiu a regra de que o partido existia para servir o pessoal dirigente e não o pessoal dirigente para servir o partido. Não ocorreu a nenhum antigo "notável" ajudar a resolver esta perpétua e parece que irresolúvel crise. Como não ocorreu aos pequeníssimos personagens de agora desistir de uma ambição ou outra em nome de um objectivo comum, por trivial que fosse. As facções só querem e só pensam em se apropriar de uma parte do cadáver do PSD. Se a surpreendente designação de Rangel é um acto de sectarismo (e, à primeira vista, parece), é também um sinal de pobreza. Tirando Marques Mendes, não havia melhor. Ou, se havia, o que havia de melhor preferiu o seu cantinho e o seu emprego, para gozar descansadamente a vida, longe dos torpes sarilhos da política. » [Público assinantes]

Parecer:

Por Vasco Pulido Valente.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

ANTÓNIO CAPUCHO METEU O DEDO NA FERIDA

«"O caso BPN é a coisa mais escabrosa que aconteceu desde o 25 de Abril, Dias Loureiro já devia ter saído do Conselho de Estado, não só porque é um embaraço para o Presidente da República como para todas as instituições democráticas”, afirma António Capucho em entrevista ao 'Correio da Manhã'.

António Capucho diz ainda que “não faz sentido que o PSD não fale no caso Freeport com medo que o PS fale no caso BPN”.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Porque será que o PSD tem medo que o PS fale do BPN?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Dias Loureiro.»

PCP VOLTA À ESTRATÉGIA DAS ESPERAS

«José Sócrates foi recebido, esta sexta-feira, em Viseu, por uma manifestação de professores e enfermeiros, que acusam o Primeiro-ministro de ter tentado 'fugir' ao alterar várias vezes o horário de chegada à cidade.» [Correio da Manhã]

Parecer:

É uma pena que o PCP não tenha a coragem de assumir a paternidade destas iniciativas optando por lançar os seus sindicalistas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Equacione-se a hipótese de fazer o mesmo às deslocações de Jerónimo de Sousa..»

RICARDO SALGADO FALOU EM AMNISTIA FISCAL

«Em entrevista ao Negócios, Ricardo Salgado adiantou que só uma amnistia fiscal pode solucionar o problema dos "offshores", declarações que criaram polémica e que provocaram uma troca de acusações entre o BES e o Bloco de Esquerda. Veja aqui o vídeo, para ouvir a declaração do CEO do BES sobre os "offshores".

“Não acredito que haja uma solução para os offshores, sem uma amnistia fiscal. E só pode haver uma amnistia fiscal se houver uma harmonização da política fiscal”, disse Ricardo Salgado.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Convenhamos que defender uma amnistia fiscal não é propriamente uma amnistia para criminosos como falou Louçã.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento a Francisco Louçã.»

CASO FREEPORT NÃO PRESCREVE TÃO CEDO

«O Juiz Carlos Alexandre, em despacho datado de 6 de Março, declara que há quatro crimes em investigação no processo Freeport: corrupção passiva e activa para acto ilícito, tráfico de influências, participação económica em negócio e branqueamento de capitais.

Os primeiros três crimes, a serem provados em tribunal, podem dar penas de prisão até 5 anos, o que quer dizer que o processo só poderá prescrever em 2012, dez anos depois dos factos sob investigação. No caso de ser provado o branqueamento de capitais, a pena de prisão pode ir até 12 anos, o que quer dizer que o processo só poderá ser declarado extinto, por prescrição, em 2017, quinze anos depois do crime.

Com este despacho, o juiz do processo qualifica da forma mais grave possível a corrupção e o tráfico de influências que possam ter levado ao licenciamento do maior outlet da Europa em plena zona protegida do estuário do Tejo. Esses crimes, a serem comprovados, estiveram ainda na origem de actos ilícitos da administração pública. Os ministros, autarcas ou funcionários públicos que se tenham deixado corromper violaram também os poderes que a lei lhes confere ao aprovar o empreendimento. » [Portugal Diário]

Parecer:

Se os procuradores que se queixaram de pressões para a prescrição do caso conheciam este despacho, e ninguém melhor do que eles tem a obrigação de o conhecer, isso significa que estamos perante uma acusação da treta.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento aos procuradores vítimas de pressões.»

UM ACIDENTE QUE FERNANDO SEARA DEVERIA EXPLICAR

«Os pais da Escola Básica 1/Jardim de Infância de Monte Abraão, onde esta sexta-feira, ruiu parte do estuque da sala de professores ferindo três docentes, exigem o encerramento das instalações até que estejam reunidas todas as condições de segurança.

«A escola tem que fechar, porque não vou trabalhar descansado e deixar a minha filha aqui, quando a qualquer momento pode sofrer um acidente gravíssimo», disse à agência Lusa, Rui Damião, pai de um dos 160 alunos da escola. » [Portugal Diário]

Parecer:

É estranho que uma escola com um ano comece a cair aos bocados, foi uma obra barata ou qualidade da construção ficou aquém do contratado e ninguém deu por isso?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Investigue-se.»

DESCOBERTO ARQUIVO DO ESTADO NOVO

«É um dos mais importantes achados dos últimos anos. Perto de uma centena de caixas com documentos da Presidência do Conselho de Ministros (PCM), referentes aos anos entre 1938 e 1957, foram descobertas num armazém do Estado situado no Pendão, em Queluz.

O conteúdo dos milhares de pastas que foram já transferidas para o Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo (IANTT) permitem reconstituir os mais diversificados processos de decisão política realizados durante aquele período do Estado Novo. E confirmam que nada escapava ao crivo do então Presidente do Conselho, António de Oliveira Salazar.

A descoberta aconteceu em Outubro do ano passado, quando o contínuo do armazém do Pendão alertou o director da Torre da Tombo, Silvestre Lacerda, para um conjunto de caixas empilhadas no primeiro piso daquele depósito. “Ali em cima está qualquer coisa do Salazar”, disse a Lacerda. Que, não tendo qualquer informação sobre a existência daquele arquivo, subiu ao primeiro andar só para tirar teimas. Quando abriu uma das caixas nem queria acreditar naquilo que tinha diante de si – milhares de pastas vermelhas, devidamente identificadas como sendo da PCM e abrangendo um importante período da História do século XX e, em particular, da História do Estado Novo. “Era preciso fazer tudo para as recuperar”, afirma Lacerda ao PÚBLICO. » [Público]

MÁRIO NOGUEIRA ASSUME OBJECTIVOS POLÍTICOS

«O secretário de Estado adjunto e da Educação, Jorge Pedreira, acusou ontem Mário Nogueira de estar "a alimentar um clima de conflitualidade por interesses não sindicais". E apontou como prova o facto de, segundo diz, o dirigente da Federação Nacional de Professores ter afirmado, horas antes, numa reunião no ministério, que "o objectivo da Fenprof é tirar a maioria absoluta ao PS". Nogueira diz que não falou em partidos, mas admite ter dito que "já será positivo se a luta dos professores contribuir para que o próximo governo não tenha maioria absoluta".

Em declarações ao PÚBLICO, Jorge Pedreira comentou a "extraordinária afirmação", acrescentando que ela foi feita perante "umas oito pessoas". Mário Nogueira respondeu que o secretário de Estado "só contou os representantes do Ministério da Educação" na reunião sobre o Estatuto da Carreira Docente e, por isso, juntou como testemunhas "mais seis ou sete" sindicalistas que, assegura, não o ouviram nomear o PS. "Mas eu sou parvo?! Ia lá falar no PS?", reagiu, quando contactado.» [Público assinantes]

Parecer:

É por isso que as lutas dos professores não mereceram aqui acolhimento. Esta declação do homem só prova que ele é mesmo estúpido pois só um idiota diria tal coisa em público.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Desmascare-se o militante comunista disfarçado de sindicalista e suspendam-se quaisquer negociações em que este idiota participe.»

GOOGLE TEVE A PRIMEIRA QUEDA NA FACTURAÇÃO

«El gigante de Internet Google publicó este jueves sus resultados del primer trimestre de 2009 período en el que, por primera vez en su historia, registró una caída de su facturación con respecto al trimestre anterior.

El buscador con sede en Silicon Valley comunicó que los ingresos entre enero y marzo de este año fueron de 5.510 millones de dólares, un 3% menos que en el último trimestre de 2008 aunque un 6% más que hace un año.» [20 Minutos]

RONALDO DIZ QUE O GOLO CONTRA O PORTO FOI O SEU MELHOR GOLOS

«It was Ronaldo's first away goal in the Champions League since last season's final against Chelsea in Moscow and the World Footballer of the Year insisted that last night's strike was as good as any he has scored. "When Anderson gave me the ball, I thought straight away to turn and shoot at goal and I scored a fantastic goal," he said.

"It's the best goal I've ever scored. I've just seen the replay and I didn't realise it was 40 yards out and I hit it at 65mph - wow! This victory will give us confidence. The last five games we didn't play great, but I hope this will change that. » [Telegraph]

F.L.

BUY AMERICAN

CITY BIKE DEPOT

sexta-feira, abril 17, 2009

O mito do grande corrupto

O grande corrupto de que todos falam é o fim de uma imensa “cadeia alimentar” que vai desde o pequeno favor de balcão ao político que chega à capital com uma mão atrás e outra à frente e enriquece ao fim de duas legislaturas. Comete-se um grande erro ao imaginar que o grande corrupto é um espertalhão que ganhou uns milhões para que outro possa embolsar muitos milhões.

A corrupção não se alimenta de fenómenos isolados, nem resulta de actuações individuais, na maior parte dos casos é mantida por uma imensa teia de cumplicidades. Quando ouvi na televisão um responsável do BPN dizer que dois dias antes de ser lançada a operação Furacão toda a papelada do Banco Insular foi expedida para Cabo Verde, a mando de Oliveira e Costa, quase senti vontade de rir.

O funcionário do BPN ainda tentou disfarçar dizendo que a informação estava nos jornais dois dias antes, mas a verdade é que não acreditei nisso e fiquei a meditar como é que Oliveira e Costa recebeu a dica. Não acredito que tenha sido um agente da PJ a tomar a iniciativa de lhe telefonar. Estou mais convencido de que beneficiou da ajuda da sua rede de amigos, uma imensa rede que pode ter sido tecida cuidadosamente desde que foi secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. Confesso que me ri do sucedido, tive um palpite… E se Oliveira e Costa soube então houve mais do que um banco que pode ter sido informado!

Esta imensa rede de cumplicidade é transversal aos partidos, para os seus membros a solidariedade com o grupo está acima da militância política. É graças a essa solidariedade que se conseguem as nomeações ou reconduções nos cargos mais lucrativos, que se vão conquistando os lugares importantes. É por isso que algumas personalidades da nossa praça sobrevivem às mudanças de governo.

A corrupção alimenta-se da nossa cultura, como portugueses somos demasiado transigentes com a corrupção, recorremos muitas vezes aos seus favores, mas não lhe chamamos corrupção, optamos por termos como “cunha” ou “favor”. No nosso dia a dia fazemos e recebemos favores, tornamo-nos solidários com quem nos ajuda, acabamos por aprender a viver com o “esquema”.

Essa cultura não se limita ao nosso dia a dia, está presente em muitas organizações e muitas vezes chega mesmo a dominar importantes cargos de decisão. Em muitos serviços são os honestos e não os menos honestos ou mesmo corruptos que são desvalorizados ou mesmo perseguidos, quem é rigoroso recebe adjectivos bem mais desagradáveis do que os que são dados às facilidades.

Mais importante do que sonhar com a prisão de grandes corruptos é acabar com uma cultura que favorece e estimula a corrupção.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Alfama, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Matt Dunham/Associated Press]

«Employees of the Chris Beetles Gallery held prints by Cecil Beaton in London Thursday. Prints of Marilyn Monroe, Audrey Hepburn, Queen Elizabeth and Greta Garbo will be displayed from April 22 to May 16. » [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

João Palma, presidente do sindicato dos magistrados do M

O magistrado João Palma deveria dizer aos portugueses quem são os que “pretendem transformar o Ministério Público num corpo amorfo de funcionários ou comissários políticos obedientes”. Até agora aquilo a que temos assistido é a fugas de informação cirúrgicas vinda do interior de processos que estão em investigação no MP, sinal que já existem os tais “comissários políticos obedientes”, já que essas fugas visam objectivos políticos, mas parece que estes comissários não incomodam o senhor Palma.

Além disso o senhor Palma deveria consultar urgentemente um alergologista pois ainda há poucos dias sobressaltou o país denunciando supostas pressões sobre alguns magistrados por um outro magistrado e hoje já se afirma alérgico ao termo pressões.

PAULO RANGEL SUGERE UM DEBATE ENTRE SÓCRATES E VITAL MOREIRA

Paulo Rangel parece estar muito preocupado com a recondução do seu amigo Durão Barroso e quer obrigar todos os que se candidatem pelo PS a apoiar o nosso "cherne", para o candidato europeu do PSD não se admitem divergências.

Não seria mais interessante um debate entre Manuela Ferreira Leite e Pedro Santana Lopes em torno do que Manuela Ferreira Leite disse no passado recente do seu candidato a Lisboa?

O QUE TERÁ ACONTECIDO A ANTÓNIO BORGES?

Desapareceu, há muito que ninguém o vê ao lado de Manuela Ferreira Leite.

DEVEM OS FAMILIARES DAS VÍTIMAS DE ENTRE-OS-RIOS PAGAR CUSTAS JUDICIAIS

Em Portugal já morreram milhares de cidadãos devido a situações que podem ser consideradas de incúria pública, nalguns casos morreram mesmo famílias quase completas. Ao contrário do que sucedeu com os familiares das vítimas de Entre-os-Rios não foram indemnizados, não mereceram a atenção dos governos e as localidades onde vivem não beneficiaram de investimentos vultuosos. O que difere estes acidentes do de Entre-os-rios é qu neste caso foi maior o número de famílias atingidas o que não significa que a dor individual seja maior.

Tanto quanto me apercebi os familiares queriam que alguém fosse castigado, pouco importando se haviam ou não responsabilidades directas, como se a ponte fosse nova ou os recursos do Estado fossem suficientes para assegurar a boa manutenção de todas as estradas e pontes do país. Além disso, em Entre-os-Rios foi evidente a combinação de dois fenómenos, as más condições da ponte, a recolha de areias e as descargas das barragens. As barragens não podiam deixar de descarregar, o mesmo não se podendo dizer da recolha de areias em que o autarca local estava envolvido.

Se haviam culpados deveriam ter sido condenados, se o tribunal fez justiça e não apurou culpados então quem promoveu o processo e sabia das regras do jogo devem aceitar agora as consequências. Compreendo que o Estado ajude s familiares das vítimas, por isso mesmo entendo que deve ser o autarca local a assumir as responsabilidades, foi ele quem mais explorou politicamente o acidente.

Só que o senhor autarca parece ter metido o rabo entre as pernas e agora não aparece na comunicação social.

AVES DE LISBOA

Casal de patos-reais [Anas platyrhynchos]

Local da fotografia: jardins da Fundação Caloust Gulbenkian

RANGEL PROPÕE DEBATE ENTRE VITAL MOREIRA E SÓCRATES

«Paulo Rangel, cabeça-de-lista do PSD às eleições europeias, sugeriu esta quinta-feira um frente-a-frente público entre o seu adversário socialista, Vital Moreira, e o primeiro-ministro, José Sócrates, sobre a presidência da Comissão Europeia.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Rangel tem alguma razão, as divergências no interior dos partidos, principalmente do PSD, são bem mais interessantes do que as que existem entre partidos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Rangel que proponha um debate entre Manuela Ferreira Leite e Rui Rio sobre o TGV, com os militantes de Faro sobre a regionalização ou com Pedro Santana Lopes sobre o período pós Durão Barroso.»

APOIO DE PESO A VITAL MOREIRA

«O ex-Presidente da República Jorge Sampaio vai juntar-se sábado à campanha europeia do PS. Será orador numa sessão das Novas Fronteiras exclusivamente dedicada à temática europeia, convocada para a Sala Tejo do Parque das Nações. A sessão terá ainda outros quatro oradores: Ana Maria Fernandes (presidente da EDP Renováveis), Guta Moura Guedes (dinamizadora da Experimenta Design), Helena André (vice-presidente da Confederação Europeia dos Sindicatos) e António Covas (professor catedrático na Universidade do Algarve). Também intervirão António Vitorino (coordenador das Novas Fronteiras), Vital Moreira (cabeça de lista do PS ao Parlamento Europeu) e o secretário-geral do PS, José Sócrates. Esta será, para Jorge Sampaio, a sua primeira participação numa campanha eleitoral nacional do PS depois de ter deixado de ser Presidente da República (2006). Desde essa altura, o Presidente só se envolvera numa campanha, mas apenas de dimensão local, as autárquicas intercalares de Lisboa em Julho de 2007, onde apoiou o candidato vencedor, o socialista António Costa. » [Diário de Notícias]

Parecer:

Este é um apoio importante à lista de Vital Moreira.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se o regresso de Sampaio à política activa.»

MAIS IMPOSTOS PARA ENRIQUECIMENTO INJUSTIFICADO

«A administração fiscal vai penalizar com uma taxa de 60 por cento os contribuintes que apresentem de forma injustificada um enriquecimento patrimonial superior a 100 mil euros, medida que entrará em vigor para os rendimentos de 2010.

Este é o ponto principal da proposta de derrogação do sigilo bancário de combate ao enriquecimento patrimonial injustificado hoje aprovado na generalidade em Conselho de Ministros.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Uma medida positiva ainda que pouco eficaz.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

A ANEDOTA DO DIA

«O Presidente da República, Cavaco Silva, disse "aguardar com interesse o debate" hoje no Parlamento sobre o levantamento do sigilo bancário recordando que preconiza "há muito tempo" medidas nesse sentido.

"Já há muito que defendo o levantamento do sigilo bancário. Esta é uma área em relação à qual deve ser feita uma análise séria, rigorosa e profunda, envolvendo o Governo e os partidos políticos da oposição", declarou Aníbal Cavaco Silva aos jornalistas, em Coimbra.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Desde quando é que Cavaco Silva defende o levantamento do sigilo bancário.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao Presidente.»

ARSENII GLINSKY

FORD