sábado, maio 02, 2009

A precariedade é uma inevitabilidade?

O modelo empresaria e de relações laborais saído da revolução industrial perdurou até ao final do século XX e ainda subsiste nas mentalidades e em grande parte da legislação laboral e do sistema de segurança social. As empresas duravam vidas, uma boa parte da actividade industrial desenvolvia-se a partir de vantagens comparativas perduráveis, os empregos eram para uma vida e a relação entre patrão e operário tinha quase tanto de exploração como de paternalismo.

Este modelo entrou em crise e não há nenhuma empresa de hoje que possa assegurar que daqui a dez anos ainda existe, que vende para os mesmos mercados, que os seus trabalhadores serão os mesmos ou que não mudará de mãos. Há trinta anos ninguém acreditaria que a Toshiba inventava as memórias do tipo flash para ter enormes prejuízos enquanto a Samsung que comprou a licença de produção teria grandes lucros Ninguém acreditaria que uma empresa como a Quimonda instalada num país que lidera a investigação no domínio em que produz corria o risco de fechar as portas ou ser vendida a capitais russos.

Não foram só as relações laborais que mudaram, foi todo o mundo que as rodeia e manter o modelo de relações laborais tal como existia no passado implicaria mudar o mundo ou mesmo fazê-lo recuar na história. È isso que muitos defendem, principalmente as organizações cujos modelos de organização pararam nesse tempo.

A questão talvez não esteja em salvar o mundo do tempo do corporativismo ou dos sindicatos herdados do leninismo, o desafio que as sociedades enfrentam é assegurar que o desenvolvimento económico não se consiga ou não resulte em menos bem-estar ou em insegurança para os cidadãos e muito menos que seja aproveitado por empresários sem escrúpulos que tentarão transformar um modelo de relações laborais assente na mobilidade num mercado de trabalho dos tempos da Praça do Geraldes.

É necessário adoptar normas não para tentar impedir a evolução do tempo mas sim para assegurar aos cidadãos maior segurança e capacidade de adaptação à mobilidade. O que está em causa é a vida dos portugueses e não a sobrevivência de organizações políticas e sindicais que receiam que a economia deixe de corresponder à que deu lugar a um modelo ideológico cada vez menos desajustado da realidade.

Mas é bom que se diga que a precariedade não é um fenómeno novo, sempre existiu na agricultura, no turismo ou na pesca e há muito que tomou conta de alguns sectores da economia. Só quando chegou a sectores e empresas onde se situa o poder de alguns sindicatos partidos é que se tornou uma preocupação dessas organizações. O modelo de organização dos sindicatos actuais e das organizações comunistas dão-se mal com a mobilidade dos trabalhadores.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Bordo-do-Japão (Acer palmatum cv vitifolium) no jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

IMAGEM DO DIA

[Luis Acosta/AFP]

«A couple wearing surgical masks to avoid the A/H1N1 flu virus kissed at Mexico City’s Zocalo square Thursday.(» [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Carvalho da Silva

Não partilho a simpatia de alguma intelectualidade da esquerda que não sonha com ditaduras em relação a Carvalho da Silva, sempre o achei tão ortodoxo como os ortodoxos do PCP, aliás, se assim não fosse já lá não estava. Mas tinha alguma consideração intelectual pelo líder da CGTP, consideração que deixei de ter ao ouvir os seus comentários a propósito das agressões a Vital Moreira.

Carvalho da Silva revelou-se um hipócrita, ou mesmo um idiota ao desculpabilizar os energúmenos do seu partido sugerindo aos agredidos que reflictam sobre o sucedido, dando a entender que os agressores eram trabalhadores desesperados. Esta desculpabilização de criminosos já não é nova, aquando da vaga de crimes o PCP justificou-a com o desemprego, como se os assaltantes de bancos e homicidas fossem desempregados. Só que toda a gente viu os agressores na televisão e pareciam tudo menos desempregados, basta ir a uma Festa do Avante para lhes reconhecer a pinta.

Se Carvalho Silva não fosse estúpido diria o mesmo que disse o seu chefe Jerónimo de Sousa, que não comentava o que não tinha vista. Sempre era menos hipócrita e não tinha feito a figura de parvo a que todos os portugueses assistiram.

PS: Se Carvalho da Silva não fosse idiota não elegia a possibilidade de um governo de bloco central para tema do discurso, só mesmo um idiota não percebe que a melhor forma de evitar um governo desses é não votar no PCP. A não ser que Carvalho da Silva seja ainda mais idiota do que eu o considero e ainda imagine um governo apoiado pelo PCP. A nã ser que seja uma coligação entre o PCP e o PSD, é com este partido que os camaradas de Carvalho da Silva se aliaram em muitas autarquias.

O ÓDIO DO PCP A VITAL MOREIRA

Aquilo que os militantes do PCP sentem por Vital Moreira é ódio irracional, mais do que qualquer "capitalista explorador" o PCP odeia os seus meninos de ouro, Vital Moreira e Zita Seabra, um era o menino bonito da elite do partido, a outra era o símbolo da jovem trabalhadora, ainda por cima casada com Carlos Brito que era um dos dirigentes do partido.

Vital Moreira não era um militante qualquer, foi um dos que redigiram a Constituição e o símbolo do PCP no meio intelectual. Depois de Vital Moreira e outros saírem o PCP perdeu influência nalguns meios, ficando acantonado no mundo sindical.

O ódio do PCP por Vital Moreira é irracional, vai muito para além do ódio a um traidor que Vital nunca foi, foi um dos mais brilhantes intelectuais do partido que o abandonou.

AVES DE LISBOA

Juvenil de pintassilgo [Carduelis carduelis]
Local da fotografia: Cidade Universitária

SUBSÍDIOS PARA UM SUBSÍDIOSMAIS BEM EMPREGADO

«Parece mal falar de desemprego no dia do trabalhador. Mas tendo descoberto, por via de amigos desempregados, uma ou duas coisas sobre as regras da Segurança Social em geral e do subsídio de desemprego em particular , tenho urgência em partilhá-las (sobretudo depois de ter passado um dia e meio a tentar que responsáveis da SS mas explicassem, já que, aparentemente, têm tanta dificuldade em perceber o que diz a lei como eu).

Uma das coisas que descobri é que a Segurança Social continua a funcionar de acordo com um mundo que já não existe (no que se parece muito com os sindicatos). É o mundo do emprego para toda a vida e do desemprego como situação inusitada, um mundo em que só existem empregados e desempregados. Daí que não só continue a negar o subsídio de desemprego aos cada vez mais numerosos trabalhadores em regime de trabalho independente/recibo verde, como até aos que, sendo trabalhadores por conta de outrem, tenham tido a ideia de contribuir com denodo para a produtividade nacional, desenvolvendo simultaneamente uma actividade de trabalho independente cujo provento total tenha ultrapassado, no ano anterior, o extravagante montante de 2400 euros .» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

RANGEL E A SUA CIRCUNSTÂNCIA

«Eu tinha avisado. O combate eleitoral que se avizinha vai ser interessante e pode contribuir para reduzir a abstenção nas eleições europeias. Volto ao tema, desta vez através do principal confronto, o que oporá Vital Moreira e Paulo Rangel. Um registo de interesses à cabeça: sou amigo e admirador de ambos, reconhecendo neles exemplos paradigmáticos da capacidade que a Universidade de Coimbra tem demonstrado de criar elites, no sentido mais nobre da palavra.

Os dois contendores têm muito em comum: receberam a mesma formação académica, cultivam a mesma área científica, produziram obra jurídico-política que lhes vai sobreviver pela qualidade que possui, são figuras mediáticas, possuem grande capacidade de comunicação (embora no Prós e Contras Vital tivesse sido uma pálida imagem de si próprio), são agressivos no discurso e no combate político, corajosos e determinados. Dificilmente o PS teria encontrado melhor; e o PSD não teria podido, de facto e nesta conjuntura, sido mais feliz na escolha.

Muito em comum, mas alguma coisa a separá-los: o percurso ideológico (um da esquerda marxista para a esquerda moderada, o outro da direita moderada para o centro), a idade (um soixante-huitard contra um jovem que se formou nos combates contra o esquerdismo institucional e bacoco que dominou os muitos anos que se seguiram ao 25 de Abril), o posicionamento político (um atado ao Governo e outro livre para o atacar) e as ambições (Vital Moreira aceitou sabendo que não será nunca líder do PS; Rangel sabe que, se tiver um bom resultado e se o PS ganhar as eleições do Outono, será muito provavelmente o líder do PSD que se segue).

Concentremos-nos em Rangel, então. Devo confessar que, conhecendo-o há muitos anos, me surpreendeu profundamente desde que assumiu a liderança do grupo parlamentar. Sabia da sua inteligência (lembro-me de, quase há dez anos, ter apresentado o seu importantíssimo livro sobre a legitimidade do poder judicial), da sua modéstia levemente arrogante (como é sempre a modéstia excessiva), da sua capacidade de trabalho, do seu investimento na reflexão político-ideológica, da sua vontade de provar do fruto da acção política. Um intelectual que podia tornar-se "orgânico". Tudo isso se confirmou.

Mas descobri nele qualidades que são essenciais para o combate político no começo deste século XXI, goste-se ou não que assim seja. Paulo Rangel é capaz de uma acutilância verbal e imagética que faz lembrar o seu mestre Francisco Lucas Pires, revelando-se claramente como o seu herdeiro político, agora num tempo mais propício; tem uma capacidade de simplificação das ideias que encontramos em Paulo Portas e que torna as mensagens fáceis de perceber pela opinião pública em geral; possui uma veia populista e demagógica que sempre caracterizou o PPD "bonapartista" e que lhe vai dar uma adesão às massas que eu próprio julgaria improvável. No fundo, finalmente o PSD tem um líder preparado para o tempo em que só a televisão conta e em que os eleitores não gostam, não se interessam e não valorizam a política.

Como se tudo isto não bastasse, a sua reflexão ideológica está a levá-lo para lugares e opções que são claramente correspondentes às novas sensibilidades e opiniões das elites mais esclarecidas, mais cosmopolitas, mais jovens e mais liberais, que tendem a dominar à medida que o tempo passa. Falo do seu recente livro e da sua tese de que vivemos num tempo "neomedieval", de relações em rede, em que a proliferação de grupos de interesse inorgânicos numa época de globalização e internacionalização está a minar o papel tradicional do Estado e, quiçá, a começar o fim de um tempo que começou com o Renascimento, se reforçou com o Absolutismo, se legitimou com o Iluminismo e se democratizou com a Revolução e as suas sequelas (vontade geral, nacionalismo, intervencionismo).

Voltarei em breve ao tema. Mas desde já afirmo que este livro pode vir a servir de base para o corpo ideológico de que o centro-direita andava à procura, após terminar a deriva "pseudo-esquerdista" que tem dominado no PSD (e que tão bem foi escalpelizada por Vital Moreira no PÚBLICO na passada terça-feira) e é causa da confusão, indefinição, percursos erráticos e desmotivação da área não socialista do país.

Por isso, nestas eleições europeias está em jogo não apenas a sobrevivência de Manuela Ferreira Leite, como o médio prazo político da direita em Portugal. Rangel percebeu que aceitar ser líder desta campanha era uma boa estratégia para o futuro, não só porque um bom resultado é mais fácil para o PSD nas europeias do que nas legislativas, mas também porque a visibilidade que vai receber lhe permitirá posicionar-se para o que possa acontecer, se Sócrates renovar a maioria absoluta ou ficar perto dela.

A evidência do que eu acabo de dizer pode ser detectada - ainda de forma subliminar - no discurso e afirmações de outros candidatos à sucessão de Manuela Ferreira Leite. No que dizem e no que sugerem ou calam. O que significa que Rangel vai ter de contar consigo e com muito pouco mais no PSD; e que ninguém lhe perdoará, se não alcançar uma vitória em Junho - apesar de ser muito difícil e se calhar improvável.

Há dois ou três anos "profetizei" que o grande combate do PSD seria em 2013 (com a crise e se Sócrates não conseguir maioria absoluta pode tudo acontecer a seguir às eleições presidenciais de 2011), defendendo que seria por isso essencial reorganizar política e ideologicamente o espaço da direita para tal fim. Afirmei também que tentar ganhar no Outono deste ano, perdendo a alma, seria provavelmente a receita para o desastre em 2009 e em 2013.

No fundo, no fundo, e não o podendo evidentemente dizer, Paulo Rangel deve estar de acordo comigo. Esse é, talvez, o mais importante facto político desta conjuntura.» [Público assinantes]

Parecer:

Por José Miguel Júdice.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

UMA SONDAGEM MUITO SIMPÁTICA PARA MANUELA FERREIRA LEITE

«Neste estudo de opinião, estima-se que o Bloco de Esquerda surja na terceira posição das forças mais votadas, com 12% de intenções de voto, seguido da CDU com 7% e do CDS apenas com 2%.

Caso se verifiquem estes resultados – obtidos sobre as intenções directas de voto em cada partido e redistribuindo os indecisos e os votos brancos e nulos –, representam nove lugares no Parlamento Europeu tanto para o PS como para o PSD, três para o Bloco de Esquerda e um para a CDU. O CDS não consegue eleger qualquer eurodeputado » [Diário de Notícias]

Parecer:

E muito antipática para Jerónimo de Sousa que vê o seu partido transformado num satélite do BE.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pela grande sondagem.»

COMEÇA A ESCLARECER-SE O DVD DO CASO FREEPORT

«A aprovação do Freeport de Alcochete não passava só por questões técnico-ambientais, mas também por "lóbi político". A conclusão é dos advogados da Decherts, sociedade inglesa que investigou todos as alegações de Charles Smtih no DVD em que refere José Sócrates. A investigação inglesa cita uma nota escrita pelo gestor do Freeport Rick Dattani para o ex-presidente da administração Sean Collidge, de Novembro de 2001, em que é dito que "o lóbi político a favor do projecto melhorou em Lisboa após o seu [Sean Collidge] encontro com a embaixadora".

Na mesma nota, que consta do relatório final da Decherts a que o DN teve acesso, Dattani sugeriu a Sean Collidge uma lista de pessoas para a embaixadora Glynne Evans contactar, no sentido de "aplicar maior pressão sobre a comissão". Refere-se à comissão de estudo de impacte ambiental que estava a analisar o projecto. Entre os nomes sugeridos estavam: Rui Nobre Gonçalves, secretário de Estado, que "parece estar a favor do projecto", e Pedro Silva Pereira, também secretário de Estado de José Sócrates, que, segundo Dattani, estaria "contra o projecto e a pressionar a comissão para impor mais restrições".» [Diário de Notícias]

Parecer:

O melhor é aguardar pela conclusão das investigações.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se.»

CONSELHO DE ESTADO: CAVACO DESCULPA-SE COM PS

«Cavaco sentiu necessidade de divulgar uma nota oficial justificando o escasso número de reuniões do Conselho de Estado. Só reúne este órgão para temas de grandes impacto e para evitar ser acusado de estar a atacar o PS.

O Presidente da República divulgou ontem uma nota oficial para explicar o reduzido número de reuniões do Conselho de Estado. Cavaco Silva pretende convocar este órgão de aconselhamento nos estritos preceitos constitucionais, ou seja, apenas para debater os grandes temas nacionais. » [Jornal de Notícias]

Parecer:

Que grande cambalhota!

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Dias Loureiro que se demita do Conselho de Estado.»

VACINA CONTRA A GRIPE A COMEÇARÁ A SER PRODUZIDA DAQUI A UMA OU DUAS SEMANAS

«En conferencia de prensa, recordó que la fabricación de vacunas es un proceso complejo que, en algunos casos, ha hecho imposible lograr una fórmula para determinadas enfermedades, como el sida. Sin embargo, se mostró confiada en la "tremenda experiencia" que tiene la industria farmacéutica en el área de vacunas para la gripe estacional.

La experta recalcó, en cualquier caso, que no se puede esperar declarar oficialmente una pandemia para empezar la manufactura de vacunas capaces de impedir la transmisión del virus AH1N1. » [20 Minutos]

ELIARA

UN TECHO PARA MI PAIS

sexta-feira, maio 01, 2009

O século dos consumidores

Se o século XX foi o século dos trabalhadores, o século XXI será o dos consumidores, no século passado as relações laborais dominaram o debate político, neste século são as questões do consumo que dominam as preocupações dos cidadãos.

Isto não significa que as relações laborais deixam de ser importantes, mas a verdade é que com a adopção de novos modelos de relações entre empregadores e trabalhadores gerado por empresas mais dependentes de trabalhadores qualificados, sendo os elevados níveis de qualificação que determinam os níveis de precariedade e de mobilidade dos trabalhadores. Um trabalhador precário tem mais segurança no emprego de um trabalhador de uma indústria tradicional cujo futuro tem um horizonte que não vai para além de uma década ou ainda menos tempo.

A verdade é que se s lutas sindicais poderão trazer benefícios salariais aos trabalhadores estes terão mais a ganhar enquanto consumidores. Veja-se o caso dos aumentos dos preços dos combustíveis, dos produtos alimentares ou das taxas de juro que se registaram no ano passado, no seu conjunto tiveram um maior impacto nos rendimentos dos trabalhadores do que resultaria da satisfação das reivindicações sindicais mais ousadas.

Uma boa parte da população está mais interessada em saber o que se passa no mercado dos produtos e serviços que consome do que em saber se o primeiro-ministro andou a distribuir cheques-dentista ou computadores Magalhães. Se estiverem interessados em comprar um carro conhecem melhor as características do novo modelo da sua marca preferida do que em ler o programa da candidatura de Paulo Rangel às eleições europeias, são mais os que compram revistas de automóveis ou de computadores dos que fazem ideia de que “O Capital” foi escrito por Karl Marx.

É também enquanto consumidores que muitos cidadãos travam as suas batalhas políticas, quando se recusam a consumir uma espécie de peixe por os seus stocks estarem à beira da extinção estão a influenciar decisões políticas de forma mais eficaz do que se organizassem uma manifestação. As próprias empresas receiam mais uma reacção dos seus clientes a uma qualquer notícia envolvendo os seus produtos do que uma greve prolongada dos seus trabalhadores. Are mesmo muitas lutas laborais poderão vir no futuro a ser decididas pelos consumidores, basta que estes boicotem empresas que se comportem de forma menos ética com os seus trabalhadores. Este fenómeno já existe à escala global.

É por isso que é importante que cada cidadão use a sua condição de consumidor numa perspectiva de cidadania, em defesa de um país melhor, seja na perspectiva da defesa do ambiente ou do interesse dos trabalhadores.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Batente, Vila Real de Santo António

IMAGEM DO DIA

[Marco Ugarte/Associated Press]

«A suspected member of the Gulf cartel, Gregorio Sauceda Gamboa, center, wore a face mask as a precaution against swine flu while being escorted at federal police headquarters in Mexico City, Wednesday after his arrest. A former judicial police officer, Gamboa is one of Mexico’s 24 most wanted drug traffickers, according to federal police.» [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Paulo Portas

Como era de esperar a direita aproveita a crise para tentar fechar as fronteiras à emigração, primeiro foi Manuela Ferreira Leite a defender que as obras públicas só criam emprego na Ucrânia e em Cabo Verde, foi a vez de Paulo Portas a defender a mesma odeia.

Ainda que exagerado o argumento tem algum fundamento, mas daí a recorrer ao proteccionismo em apoio do xenofobismo é um passo que só mesmo Paulo Portas e a líder do PSD dariam.

A MELHOR ALTURA PARA TER UMA GRIPE

Em condições normais um doente com gripe é tratado com desprezo por uma grande parte dos médicos, o tratamento mais receitado é o esperar que passe e enquanto isso não sucede o doente lá vai espalhando o vírus pelas ruas e pelos empregos, multiplicando o número de doentes e de trabalhadores com baixa médica.

Esta é a melhor altura para ter uma gripe, ninguém fica por tratar e não há o risco de a doença dar lugar a uma pneumonia, quem nestes dias tem uma gripe beneficia de tratamento vip no SNS. Pelo menos enquanto a gripe dos porcos andar por aí os doentes de gripe terão direito a tratamento e à consideração dos médicos.

AVES DE LISBOA

Estrelinha-de-cabeça-listada [Regulus ignicapilla]
(Local da fotografia: Estádio Universitário)

EM SINTRA NÃO COMEM FRANGO?

«Ou será que o BE, que apresentou a proposta do fim das touradas em Sintra - proposta essa que só teve os votos contra do PCP e de alguns dos eleitos do PS -, também vai propor o mesmo tipo de regulamento em Salvaterra de Magos, única autarquia presidida pelo BE e onde apresentar um regulamento destes implicará com quase toda a certeza perder as eleições? » [Público assinantes]

Parecer:

Helena Matos faz uma sugestão interessante ao Bloco de Esquerda.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

PSD É O PARTIDO QUE VAI GASTAR MAIS NAS EUROPEIAS

«O PSD é o partido que prevê gastar mais com a campanha eleitoral para as eleições europeias, com um orçamento de 2,2 milhões de euros. Mais 680 mil euros do que o montante previsto pelo PS. No total, as 13 forças políticas candidatas esperam gastar mais de 8,2 milhões de euros.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Compreende-se, com o "produto" que apresenta como cabeça de lista...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vejamos quem aparece nos cartazes, se Ferreira Leite ou Paulo Rangel.»

MULHER DE BERLUSCONI VOLTA A IRRITAR-SE

«Veronica Lario, pela segunda vez em dois anos, perdeu a paciência com o marido - Silvio Berlusconi -, e decidiu tornar público o seu desagrado. Fê-lo através de um mail que enviou à agência noticiosa italiana Ansa. Em causa, o facto de o primeiro-ministro estar a escolher as candidatas do seu partido às eleições europeias de Junho próximo com base nos dotes de beleza das jovens - ex-modelos, actrizes e concorrentes do Big Brother.

"Quero que fique claro que os meus filhos e eu somos vítimas e não cúmplices desta situação", afirma a mulher de Berlusconi, e mãe dos seus três filhos, no mail que enviou à Ansa. E adianta: "Temos de a [situação] suportar, e isto faz-nos sofrer."» [Diário de Notícias]

Parecer:

Quem não quer ser urso não lhe veste a pele.

SINTRA DEU NOME DE MARCELO CAETANO A UMA RUA

«Uma rua com a designação de professor Marcelo Caetano, no Alto de Colaride, em Agualva, está a causar polémica em Sintra. Apesar do nome ser usado há mais de 30 anos, nunca houve uma decisão camarária que o oficializasse, o que levou a junta de freguesia de Agualva a colocar novamente a questão à Câmara, O assunto foi levantado ontem na reunião do Executivo, onde o presidente Fernando Seara garantiu não ter recebido ainda qualquer pedido. Para a CDU trata-se de "uma autêntica provocação com fins políticos". O deputado João Soares chegou mesmo a admitir que não o repugna "que se dê o nome de Marcelo Caetano a uma rua que já é conhecida por essa designação".» [Diário de Notícias]

Parecer:

Alguns autarcas do PSD estão a libertar os tiques fascistas o que não admira, Manuela Ferreira Leite é uma defensora da suspensão da democracia para fazer reformas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamentem-se os tiques fascistas dos autarcas de Sintra.»

DESPESAS DAS VIAGEN DE ALBERTO JOÃO SÃO SECRETAS

«Alberto João Jardim, entre Novembro de 2007 e Julho de 2008, realizou diversas viagens envolvendo alguns destinos: Málaga, Londres, Estrasburgo e Reims, Palma de Maiorca, Venezuela, Bruxelas e Paris. Nestas deslocações, o líder madeirense emitiu um despacho que evoca uma lei de 1999, ficando, assim, definido que, "por razões de reserva e de segurança", a realização destas despesas não teria de seguir os tipos de procedimento normais de um conjunto de princípios que obrigavam a justificar legalmente todos os seus passos. » [Diário de Notícias]

Parecer:

Se fosse Sócrates cairia o Carmo e a Trindade.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se um comentário a Manuela Ferreira Leite.»

RECESSÃO ABRANDA NOS EUA

«Alguns sinais - diz a autoridade monetária presidida por Ben Bernanke mostram que a crise imobiliária superou já a sua pior fase e até os gastos das famílias estabilizaram, apesar da pressão do desemprego, do endurecimento das condições de acesso ao crédito e da perda de poder de compra das famílias. Mas, apesar da "modesta melhoria das perspectivas, a actividade económica deverá manter-se débil num período prolongado", avisa a Fed, que decidiu ontem manter as taxas de juro dentro dos limites de 0% e 0,25%. O PIB dos EUA sofreu, nos primeiros três meses deste ano, uma contracção de 6,1%, a pior em 50 anos.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Uma boa notícia.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ainda é cedo para chegar a conclusões.»

MINISTRA DA EDUCAÇÃO LAMENTA UTILIZAÇÃO DE IMAGENS DE ALUNOS PELO PS

«Na quarta-feira à noite, o secretário-geral do PS, José Sócrates, enviou um pedido formal de desculpa, por escrito, aos pais das crianças dessa escola de Castelo de Vide.

A ministra da Educação lamentou que o direito à protecção da imagem de alunos não tenha sido respeitado num tempo de antena do PS e excluiu qualquer ligação entre o seu Ministério e a gravação realizada.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

A obrigação da ministra não é pedir desculpas, era ter impedido que tal tivesse sucedido.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Condene-se o gesto do PS.»

PLANTAS INVASORAS CRESCEM SEM CONTROLO

«Na prática, o guia, complementado com uma versão infantil, "pretende levar o público em geral a identificar as nocivas plantas e alertar as pessoas para que tenham o cuidado de não adquirirem no estrangeiro vegetação que desconhecem, mas que compram apenas por as acharem exóticas". "Inconscientemente, poderão trazer para o país mais uma espécie que, com o passar dos anos, se poderá tornar num problema grave".

O livro, patrocinado pelo programa Ciência Viva e pela Universidade de Coimbra, "não tem a pretensão de estar completo, pois além de nele não constarem as invasoras da Madeira e dos Açores, há muitas outras que estão em estudo, ou ainda nem foram sequer identificadas", referem as biólogas que, inclusive, pedem ajuda às populações para usar o mail invader@ci.uc.pt caso detectem uma planta desconhecida. » [Jornal de Notícias]

Parecer:

A par da perda de biodiversidade nos campos devido à destruição da agricultura tradicional surgem fenómenos que contribuem igualmente para essa redução da biodiversidade, um problema ambiental a que o país não está a dar a devida atenção.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aumentem-se os controlos na fronteira e adopte-se legislação nacional mais restritiva.»

A GRIPE SUÍNA MUDOU DE NOME, AGORA É DESIGNADA POR GRIPE A

«A Organização Mundial de Saúde anunciou que, devido à pressão por parte da indústria de produtores de carne e a preocupação dos governos, muda a designação oficial do vírus H1N1 de «gripe suína» para «gripe A» (originalmente influenza A). » [Portugal Diário]

Parecer:

Os criadores de suínos têm razão.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

A GRIPE A PODERÁ AFECTAR METADE DA POPULAÇÃO DA UE

«La gripe porcina podría afectar a entre el 40% y el 50% de la población. Así lo anunció este jueves Centro de Prevención y Control de Enfermedades de la Unión Europea (ECDC, en sus siglas en inglés), que no obstante ha querido precisar que la mayoría de los casos serán leves y que sólo un pequeño número de afectados, especialmente personas mayores y con enfermedades crónicas, tendrán síntomas graves.

"La mayoría de las personas afectadas tendrá una enfermedad leve. Sólo unos pocos sufrirán síntomas más graves y podemos predecir que se tratará de personas mayores y personas con enfermedades crónicas. Por ello los países europeos han estado trabajando en planes para proteger a las personas más vulnerables", explicó el experto en gripe del ECDC, Angus Nicoll en una conferencia en Estocolmo difundida a través de Internet.» [20 Minutos]

MOINHOS DE VENTO [imagens]

EPSILON-DELTA

WWF BRASIL