sábado, outubro 09, 2010

Dos parvos não reza a história

Compreendo perfeitamente a postura actual de Pedro Passos Coelho, não é fácil andar anos a preparar uma candidatura à liderança, escrever um livro, ganhar as directas, conceder centenas de entrevistas, subir exponencialmente nas sondagens e depois de estar no cume da montanha dar um trambolhão. Para alguém que já se julgava o dono do país, que até pensou que iria mudar a constituição ao seu gosto e que contava que Sócrates se substituísse ao FMI para adoptar as medidas duras que lhe proporcionassem uma governação com margem para promover a privatização dos sectores lucrativos do SNS, vive um momento difícil.

A verdade é que Sócrates derrotou Pedro Passos Coelho muito antes de eleições e num contexto financeiro muito difícil, o primeiro-ministro foi penalizado nas sondagens mas Passos Coelho sofreu muito mais, comprometeu o seu futuro ao evidenciar as suas fragilidades. Os eleitores poderão não gostar de Sócrates mas, o que é bem pior, deixaram de confiar na capacidade de Pedro Passos Coelho para governar um país.

Desde que chegou à liderança do PSD que Pedro Passos Coelho actua em função das sondagens, o seu calendário político é definido em função da possibilidade de ganhar eleições, primeiro apostou na comissão de parlamentar de inquérito, depois chegou ao ridículo de exigir a antecipação do orçamento para que Cavaco Silva dissolvesse o parlamento no último dia em que tinha poderes para o fazer, agora aposta tudo numa crise política que force eleições logo após as eleições presidenciais.

Pedro Passos Coelho não acredita em si próprio e já percebeu que as suas propostas não são da simpatia dos eleitores, aposta tudo na grave crise financeira que o país pode sofrer, resta-lhe a estratégia da terra queimada. Não admira que os seus mais próximos utilizem os blogues oficiosos da sua liderança para manifestarem a adesão à greve geral ou o apoio aos buzinões, perceberam que quanto mais tempo passar menores serão as probabilidades de Passos Coelho vir a ser eleito e sentem-se cada vez mais isolados dentro do próprio PSD, já não lutam apenas contra Sócrates, lutam também contra a sombra de Cavaco Silva.

As últimas sondagens mostraram que o PSD de Passos Coelho terá muito poucas hipóteses de ganhar eleições contando apenas com as suas capacidades, nem mesmo a reeleição de Cavaco Silva lhe poderá servir de alento pois o presidente já está reeleito e a presença do líder do PSD na campanha presidencial não só é dispensável como será um incómodo para Cavaco Silva. Passos Coelho terá que ganhar as próximas legislativas contra Sócrates, mas também contra um Cavaco Silva. irritado com aquele a que não se cansa de chamar à responsabilidade, isto é, com o irresponsável.

Com esta estratégia de terra queimada Pedro Passos Coelho corre um sério risco de ser apanhado pelo fogo que ateou e ficar queimado, dificilmente Cavaco Silva aceitará ter como primeiro-ministro alguém que aconselhado por personagens que o presidente detesta não hesitou em lançar o país numa crise financeira. Para Cavaco o líder do PSD não passa de alguém que não consegue ver a diferença entre uma associação de estudantes e um país, um líder sem carisma, manipulável por terceiros, sem ideias e projectos e irresponsável.

Passos Coelho poderá derrotar Sócrates levando o país à bancarrota, mas dificilmente sairá vitorioso, pior do que isso, porá um termo definitivo à sua carreira política. O melhor que conseguirá fazer será ressuscitar o cavaquismo, primeiro um governo de iniciativa presidencial, seguido da vitória de Cavaco nas presidenciais e eleições legislativas depois de os jovens tigres de Pedro Passos Coelho cederem a liderança do PSD aos cavaquistas.

Ninguém tem dúvidas de que Cavaco Silva alimenta a velha ambição de ver o PSD na presidência e no governo, a sua reeleição está garantida, resta-lhe agora ter no governo alguém da sua confiança que, como começa a ser evidente, não é Pedro Passos Coelho. Dos parvos não reza a história.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Pavão no Castelo de São Jorge, Lisboa

IMAGEM DO DIA

"Como Portugal, precisa de manutenção urgente" [de A. Cabral]

JUMENTO DO DIA

Pedro Passos Coelho

É tempo de Pedro Passos Coelho deixar de brincar aos países e dizer que a sua estratégia é a que há muito ouvi de Ângelo Correia, o seu progenitor político, que o PSD deverá chumbar o orçamento. Muito antes de qualquer medida já Ângelo Correia disse-o, agora que o orçamento ainda não foi divulgado Pedro Passos Coelho insiste no chumbo antes de o ler. Pior, um dia faz exigências, no dia seguinte diz ou manda dizer que chumba.

É evidente que o líder do PSD não está preocupado com os portugueses mas sim com os votos, depois de se ter desorientado com a queda nas sondagens aproveitou-se do orçamento para fazer esquecer o projecto de revisão orçamental e recuperar nas sondagens o suficiente para estar em condições de beneficiar de uma futura crise política.

Pior, como deseja governar com folga orçamental para poder dar aos portugueses a sensação de vacas gordas aposta na crise financeira e numa vinda do FMI, entretanto espera que o mundo saia da crise e até pode ser que um acordo com o FMI o ajude numa revisão constitucional.

Qual será o preço que Pedro Passos Coelho está disposto a impor aos portugueses para se sentir mais confortável nas sondagens?

O JUIZ DO TRIBUNAL EUROPEU DOS DIREITOS HUMANOS

Não sei porque razão anda tanta gente do PSD incomodada e a interrogar-se porque razão Paulo Pinto de Albuquerque não foi aceite para juiz do Tribunal dos Direitos Humanos, se não o quiseram para líder da distrital de Lisboa porque motivo se queixam agora de não ter sido nomeado para um cargo bem mais importante e exigente? Pior, muitos dos que o rejeitaram para líder distrital do PSD andam agora a insinuar que era o único independente da lista proposta por Portugal.

Bem, ainda me vão dizer que o chumbaram para a distrital do PSD para garantirem o seu estatuto de independente e preservar as suas hipóteses de vir a ser escolhido como independente de manhas políticas para o alto cargo europeu.

ERRO INFORMÁTICO ?

Acontecem coisas estranhas com os computadores, a edição online do "i" atirou para a primeira página uma notícia de Fevereiro? Enfim, à alta de escutas vai-se ao caixote do lixo.

OUTRAS ACTIVIDADES RELEVANTES

No currículo do ilustríssimo juiz Paulo Pinto de Albuquerque que foi apresentado na candidatura a juiz do Tribunal Europeus dos Direitos Humanos:

"X. Other relevant information
I am married (with three children) since 1992.
I have a driving license since 1991.
I work daily with a personal computer (with Word and occasionally with Excel). I use Power Point for my public presentations."

Isto é, se fosse eu a concorrer com o conhecido homem do PSD ganharia, apesar de ser divorciado e ter carta mais ou menos com o mesmo número de anos uso três computadores, dois pessoais e um do serviço, além disso uso regularmente muitos mais aplicações. Não deixa de haver algum cinismo em referir como informação relevante usar o Power Point (esqueceu-se de dizer a versão) depois de muito boa gente do PSD ter feito humor por o primeiro-ministro usar o mesmo programa.

Curiosamente quando lhe é perguntado se ocupou cargos partidários responde que não:

«c. Posts held in a political party or movement
None.»

Para o conhecido magistrado fazer parte de uma comissão de revisão da constituição de um país não é exercer um cargo, enfim, deve ter sido um passatempo. Mas quando lhe é perguntado pelas actividades de defesa dos direitos humanos mostra o n.º do cartão da Amnistia Internacional de Portugal. Nada diz sobre actividades relevantes para além do número de sócio, mas no que refere ao exercício de cargos políticos já não conta a participação na comissão de revisão constitucional, nem sequer refere o n.º do cartão de militante do PSD, sem o qual não poderia ter participado numa lista concorrente à distrital de Lisboa do PSD.

Note-se que este magistrado usou o seu estatuto de jurista e a sua experiência de magistrado para nas jornadas parlamentares do PSD defender a publicitação por Pinto Monteiro de conversas constantes de escutas que o Supremo Tribunal de Justiça considerou que deveriam ser destruídas por serem ilegais. Vai mesmo mais longe, acha que só fizeram o que fizeram porque há algo de muito grave no processo, isto é quando há algo muito grave a questão da legalidade é secundária:

«Já ao nível politico, defendeu, esses esclarecimentos devem ser pedidos ao primeiro-ministro, José Sócrates.

O professor universitário de Direito reforçou que, de acordo com a lei, Pinto Monteiro «tem a faculdade e o dever social de esclarecer os portugueses».

Frisando que conhece a «magistratura portuguesa», Paulo Pinto de Albuquerque mostrou ter a «certeza absoluta de que aqueles magistrados, homens experimentados e competentes» (…) não fariam aquilo que fizeram se não fosse grave e sério o que está no processo», por isso, «os portugueses têm de saber o que lá está».

Neste processo, rematou, o PSD tem obrigação de ser fiel ao que prometeu na campanha eleitoral, ou seja, procurar a verdade.» [TSF]

Deus nos livre de juízes a quem cabe a defesa dos direitos humanos que pensem desta forma em relação à acção das polícias, isto é, que se justifiquem as ilegalidades e abusos pelos supostos factos graves apurados.

Enfim um currículo com rabo de fora, talvez muito bom para dar aulas mas um deserto em matéria da defesa dos direitos humanos. Eu diria que não se pode ter o sol na eira e a água no nabal.

A LUTA CONTINUA, O PÊCÊ ESTÁ NA RUA!

A comissão de utentes nomeada democraticamente pelo controleiro da margem sul prepara o ambiente para futuras manifestações e o jornalista do DE já avança que a ponte para na quinta feira. Agora ficamos à espera das iniciativas das muitas comissões de utentes que políticos anónimos multiplicaram por todo o país como se fosse cogumelos. É assim que menos de 10% no parlamento é uma maioria na rua, e depois vão a votos e ficam atrás do padreca.

Depois da adesão à greve o PSD de Passos Coelho parece que também alinha nos buzinões decididos na Soeiro Pereira Gomes, por este andar ainda vou ver um pavilhão do "Albergue Espanhol" na próxima Festa do Avante. Enfim, é caso para dizer que quando sempre que o PCP organiza um buzinão o PSD usa o "Albergue Espanhol" para dar uma buzinadela.

DESAFIO A PEDRO PASSOS COELHO

Que seja solidário com os seus deputados e corte no seu vencimento como presidente do PSD na mesma percentagem em que os vencimentos dos seus parlamentares foram ou venham a ser reduzidos. Há que dar o exemplo e não apenas a manter um ambiente de crise para os portugueses pagarem mais juros ao estrangeiro e continuar com uma vida subsidiada, antes nas empresas de Ângelo Correia e agora no PSD.

AOS COSTUMES, NADA

«Esta semana, soube-se que o Conselho da Europa rejeitou a lista de juristas apresentada para o preenchimento da vaga do juiz de Portugal (cada país nomeia um) no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. O motivo alegado foi de que a lista "não reunia as condições necessárias". Não terão sido dadas mais explicações, mas em algumas das notícias publicadas assegura-se que só um candidato passou o crivo - o juiz (em licença desde 2004) Paulo Pinto de Albuquerque.

Ora, tendo o TEDH a importância que tem na conformação jurídica e política da Europa e sobretudo no seu padrão de exigência em termos de direitos fundamentais, os critérios que presidem à proposta, aceitação ou recusa destes juízes são do mais elevado interesse. Sabe-se que o acesso se faz por candidatura na sequência de anúncio público e que os candidatos não têm de ser juízes de carreira; que a escolha por cá é efectuada por uma comissão de quatro membros indicados pelos Conselhos Superiores de Magistratura, do Ministério Público e dos Tribunais Administrativos e pela Ordem dos Advogados. O que não se sabe é se os parâmetros que presidem à escolha dos candidatos são exclusivamente técnicos ou também têm em conta as suas posições sobre matérias de direitos fundamentais e se sim, como. Talvez a ideia de audições públicas - à imagem das que nos EUA se efectuam para o acesso ao Supremo Tribunal Federal - não fosse despropositada. Saberíamos assim se o país está a escolher um juiz conservador ou liberal - ou, por absurdo (porque a Convenção Europeia dos Direitos Humanos a recusa), se estamos a colocar no TEDH um defensor da pena de morte. E, sobretudo, não fingiríamos que o cargo em causa não tem valor político.

Curiosamente, no bruá sobre o caso, estas questões não foram abordadas. Nem sequer o facto de Albuquerque ser membro da Comissão de Revisão Constitucional do PSD, ou de se ter candidatado, em 2009, à Distrital de Lisboa daquele partido na lista de Bacelar Gouveia, ou de ter ultimamente protagonizado debates sobre matérias atinentes a direitos fundamentais com posições consideradas por muitos juristas de renome como radicais e até absurdas. Isto apesar de o regulamento do TEDH e a sua resolução de ética estabelecerem que os juízes não podem exercer actividade política, devendo evitar quaisquer conflitos de interesses que possam questionar a sua imparcialidade e abster-se de todas as actividades que possam pôr em dúvida a sua independência. A actividade político-partidária não é crime (só quando ligada ao partido do governo, evidentemente), mas talvez não seja muito curial nomear para um órgão com a autoridade e as características do TEDH um jurista tão - e que por acaso, à pergunta do Conselho da Europa sobre se ocupa algum lugar num partido ou movimento político, respondeu: "nenhum".» [DN]

Parecer:

Por Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A ESQUERDA ULULANTE

«Achei importante associar-me a este esforço de renovação do parque escolar. A qualificação do ensino continua a ser uma das batalhas mais importantes da minha geração, como ontem o foi dos primeiros republicanos, dos liberais, anarquistas e todos os que ao longo da história se bateram pela evolução da sociedade e dignificação de cada ser humano.

A escola em questão, em Leiria, é bonita, moderna, cheia de luz. Tem biblioteca, ginásio, cantina, espaço, equipamentos. A minha mulher disse que até dava vontade de voltar à escola. Entrar nela é perceber o quanto exageram todos aqueles que dizem que Portugal está cada vez pior. Não está. Estes alunos vão ter condições que os seus pais nunca tiveram. Vão partilhar um ambiente agradável e estimulante.

Meia hora antes do evento chegam dois carros com meia dúzia de pessoas. Ficam por ali a cirandar até que à vista do carro da Ministra da Educação tiram umas faixas do carro e alinham em fila num ângulo conveniente para as câmaras fotográficas e de televisão. Não são mais de dez e praguejam algo em defesa dos direitos dos professores. Uma vez terminada a visita e assim que a Ministra entra no carro, param a gritaria, dobram apressadamente as faixas e metem-se nos carros. Dirigem-se certamente para a próxima inauguração.

Uma tal "jornada de luta" é triste e degradante sob todos os pontos de vista. Não se vê como alguém possa imaginar que, com tais cenas patéticas, está a contribuir de algum modo para uma sociedade melhor. E, ainda se percebe menos, como é que verdadeiros professores podem manifestar-se contra a construção de novas e modernas escolas. O mais provável é que nestes dez gatos-pingados não houvesse um único professor. E, se havia, pobres dos alunos.

Imagino que em tempos algumas destas pessoas pensaram que iriam fazer revoluções e mudar o mundo. Alguns iludiram-se mesmo com um pretenso papel de vanguarda social e, casualmente, tiveram sonhos leninistas. Mas hoje, depois de muita frustração e confusão mental, tornaram-se no que de mais reacionário existe nas nossas sociedades. Não resta neles nada de revolucionário, são militantes de causas retrógradas. Gritam muito mas não dizem nada que se aproveite.

Esta esquerda, que em Portugal vegeta no Partido Comunista e no Bloco, perdeu completamente as suas referências e o sentido do essencial. Onde eram universalistas são agora ferrenhos nacionalistas e contra a Europa. Onde promoviam o conhecimento são hoje promotores da ignorância, da segregação social, antitecnologias. Não gostam de escolas modernas, preferem condenar os jovens a perdidos buracos com meia dúzia de alunos. Onde foram progressistas passaram a odiar tudo o que lhes cheira a moderno. Definitivamente desistiram de contribuir para um mundo melhor, resignam-se ao protesto e ao tempo volta para trás.

Mas não se pense que a sua ação não tem consequências. A política seguida por esta esquerda é grandemente responsável pela degradação da democracia. Fazem política, a toda a hora, contra os políticos - como se eles não o fossem também - e contra a própria intervenção cívica, que desvalorizam e só usam oportunisticamente quando lhes dá jeito. Minam a confiança e a participação, criando as condições para a afirmação do autoritarismo. Não por acaso se assiste na Europa a uma decadência política geral e subsequente ascensão da extrema-direita. Esta gente brinca com o fogo. De tanto atacarem tudo o que é positivo, moderno e progressista, abrem caminho ao conservadorismo de direita. O resultado está aliás bem à vista. A fragmentação da esquerda, com as suas assanhadas lutas intestinas e redução ao protesto inconsequente, vai promovendo os Berlusconis deste mundo. Queriam ser revolucionários, mas não passam de sombrios coveiros.

Que não restem dúvidas. A esquerda está a perder terreno porque deixou de pensar o futuro. Eventualmente alguns bem-intencionados ingénuos ainda frequentam partidos reacionários como, por cá, são o Bloco e o PC. Mas não se iludam. Estão rodeados das piores e mais nefastas companhias.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Por Leonel Moura.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

PSD DECIDE CHUMBAR O ORÇAMENTO ANTES DE O LER

«O Partido Social Democrata vai chumbar o Orçamento do Estado caso o Governo não recue na intenção de aumentar os impostos no próximo ano e decidiu impor disciplina de voto aos deputados do partido na altura em que o documento for discutido na Assembleia da República.

Deste modo, mesmo os deputados que são contra esta decisão da direcção do partido, ficam obrigados a votar ao lado do PSD, tal como define os estatutos do partido.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Queria as medidas de poupança na despesa apenas para ganhar balanço eleitoral.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Passos Coelho que seja menos cínico e mais honesto.»

SUCESSÃO CONFIRMADA NA MONARQUIA NORTE-COREANA

«As autoridades norte-coreanas confirmaram esta sexta-feira Kim Jong-Un como novo líder do país, sucedendo ao cargo ocupado até ao momento pelo seu pai, avançou a agência oficial de notícias KCNA.

Kim Jong-Un, de 27 anos, é o filho mais novo do ditador Kim Jong-Il que, com quase 70 anos, foi vítima de um derrame cerebral em Agosto de 2008. O novo líder da Coreia do Norte apareceu na semana passada, e pela primeira vez, numa fotografia oficial publicada governo.

A sucessão da liderança do país de pai para filho já não é inédita na Coreia do Norte, já que Kim Jong-Il também sucedeu, em 1994, ao pai Kim Il-Sung, fundador do regime.» [CM]

Parecer:

Será que o Bernardino Soares vai à cerimónia de coroação?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao conhecido monárquico-comunista que vá vestido de pajem.»

1200 AUXILIARES DE EDUCAÇÃO DE BAIXA MÉDICA

«Cerca de 1200 auxiliares de educação - de um quadro de cerca de 20 mil - estão de baixa este ano lectivo. Um número avançado pelo Ministério da Educação (ME), no dia em que Isabel Alçada esteve debaixo de fogo cerrado no Parlamento pela falta de pessoal não docente, professores e psicólogos nas escolas.

Apesar de ter apresentado estas baixas para justificar a falta de pessoal, o ministério não esclareceu se o valor em causa - aproximadamente 5% do pessoal nos quadros - é diferente do verificado em anos anteriores. Nem que medidas serão tomadas para preencher estes lugares.» [DN]

Parecer:

É uma epidemia.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Trate-se a epidemia com médicos estrangeiros.»

POLÍCIAS VÃO LAVAR CARROS COM ÁGUA DA CHUVA

«Os televisores vão passar a estar desligados nas esquadras da PSP. Os agentes apenas podem ligar a TV para ver notícias. Vai acabar o correio postal, os telefones serão usados só em casos excepcionais e até os carros da patrulha serão lavados com a água da chuva. Estas são algumas das mais de 50 medidas que a Direcção Nacional da PSP distribuiu pelos comandos regionais e metropolitanos no sentido de se cortar nas despesas e aumentar as receitas.» [DN]

Parecer:

E quando chegarem os meses de verão?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lavem com xixi.»

CHINA DIZ QUE O PRÉMIO NOBEL FOI ENTREGUE A UM CRIMINOSO

«Era o favorito ao prémio Nobel da Paz deste ano e as suspeitas confirmaram-se. Contra as ameaças da China - que garantiu que cortaria todas as relações comerciais e diplomáticas com a Academia do Nobel caso atribuísse o prémio ao dissidente chinês, Liu Xiaobo tornou-se, esta manhã, no novo Prémio Nobel da Paz.

O crítico literário estava indicado pela defesa da democracia e dos direitos humanos na China. O activista político está actualmente preso e, também por isso, era o favorito de muitos entusiastas.

Nascido em 1955, em Changchun, Jilin, o professor universitário licenciado em Literatura envolve-se desde cedo no trabalho de vários grupos activistas, como os Repórteres Sem Fronteiras, e em manifestações políticas pacíficas, sendo a mais famosa os protestos de 1989 na Praça de Tiananmen.» [i]

Parecer: Seria muito interessante ver o PCP entrar nesta polémica tal como o fez a propósito da do problema do Tibete.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «»

DESPESA CONTINUA A CRESCER

«O ministro das Finanças afirmou hoje, sexta-feira, que a despesa pública acumulada até ao final de Setembro baixou para uma taxa de crescimento na ordem dos 2% e que a receita fiscal subiu acima do previsto.

Estes resultados preliminares da execução orçamental até ao final de setembro foram divulgados por Teixeira dos Santos em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros.

"O apuramento que até este momento foi possível obter denotam que a despesa pública acumulada até ao final de Setembro continua a sua trajectória de desaceleração que se verificou nos meses anteriores. Recordo que tivemos uma taxa de crescimento da despesa de 3,7% em Julho, que baixou para 2,7 % em Agosto", apontou o membro do Governo. » [JN]

Parecer:

Cresce a menor ritmo mas cresce.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao ministro das Finanças e vai precisar de mais um fundo de pensões.»

E O PRIMEIRO A ADERIR À GREVE GERAL É ...?

José Aguiar, do "Albergue Espanhol"!

TANNI THAI

ROLLING STONE

sexta-feira, outubro 08, 2010

A economia portuguesa e a Linha do Tua

A nossa economia lembra-me o comboio da Linha do Tua, quando não está parado anda devagarinho, sempre que enfrenta uma subida mais íngreme range por todo o lado e não raras vezes para com uma avaria, quando parece que está a começar a andar bem sofre uma derrocada da linha. O povo recorda-se do tempo em que o maquinista era um tal Silva, comprou uma máquina em segunda-mão, pintou o comboio, mudou umas linhas e havia quem dissesse que aquilo quase parecia um TGV.

Se aumentam os passageiros a máquina não aumenta com tanto peso, não serve de nada substituir as linhas se as máquinas forem as mesmas, se substituem as máquinas as linhas não aguentam, se acelera descarrila, se anda devagar os passageiros fartam-se. Na economia passa-se mais ou menos o mesmo, se reduzem o consumo para aumentar o investimento entra em recessão e o investimento retrai-se, se aumenta o consumo reduz-se a poupança ao mesmo tempo que o investimento cresce à custa do endividamento.

O sistema de ensino está tão mal como as linhas, o pessoal da linha não tem grandes qualificações, o desconforto não atrai clientes tal como a pouco competitividade resulta na perda de mercados, o pessoal que mantém a linha está tão mal qualificado como a generalidade dos portugueses, os gestores da linha foram incapazes de as modernizar como sucedeu com muitas empresas.

E quando a composição para porque houve uma derrocada da linha, porque a máquina não aguenta com tanto peso ou porque uma carruagem descarrilou é a algazarra do costume, uns defendem a mudança do maquinista, outros resolviam tudo modernizando a linha, outros acham que se deve aliviar o comboio deixando para trás a carruagem que descarrilou, outros acham que dez passageiros de cada carruagem deverão abandonar o comboio, outros acham o melhor é mudar de máquina. De repente o comboio volta a andar, os passageiros entram nas carruagem ocupando os seus lugares, a composição retoma a marcha apitando alegremente e lá vão todos desfrutando da bela paisagem, porque o comboio pode ser uma desgraça mas não há paisagens tão lindas como as nossas.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Bote, Cascais

IMAGEM DO DIA

Fim de praia, Sesimbra [por A. Cabral]

JUMENTO DO DIA

Pinto Monteiro, Procurador-Geral da República

Agora que era de esperar que o ambiente na justiça acalmasse, mesmo que ainda se façam ouvir sindicalistas que fazem intervenções muito pouco sindicais é o Procurador-Geral que se desdobra em declarações que põem a justiça nas primeiras páginas dos jornais.

O Procurador-Geral até pode ter alguma razão mas ao dizer que há quem queira desestabilizar o DCIAP está a apelar para a opinião pública por causa de um problema interno do Ministério Público, problema que é exclusivamente a ele que cabe resolver pois é para isso que é Procurador-Geral.

«O procurador-geral da República (PGR), Pinto Monteiro, considerou esta quinta-feira que há uma campanha para "desestabilizar" o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).

“Há claramente uma campanha para desestabilizar o DCIAP, atacando a directora, alguns magistrados e o procurador geral da República", disse esta quinta-feira Pinto Monteiro, antes de um almoço com os magistrados daquele departamento, que investiga a criminalidade mais grave, complexa e organizada.

Questionado sobre os motivos do encontro, o procurador geral da República explicou ser "preciso que os magistrados soubessem que estou inteiramente solidário com os seus problemas", resultantes de uma "campanha desestabilizadora do DCIAP" que surge de "variadíssimos quadrantes". » [CM]

UMA DÚVIDA

Por princípio não gosto do combate às políticas governamentais através do recurso a providências cautelares ou pedidos de inconstitucionalidade, detesto a ideia de serem os magistrados a governarem o país e, pior do que isso, decidindo em causa própria. Mas a questão da constitucionalidade dos cortes dos vencimentos dos funcionários públicos coloca-me uma dúvida, se esses cortes são constitucionais isso significa que ou não há limite ou deverá haver um limite a partir do qual os juízes do TC dirão basta, até porque correm o risco de ficarem sem um tostão como todos os outros que trabalham pagos pelo Estado. Assim sendo ou há um argumento para fixar um montante a partir do qual não se pode cortar mais ou corre-se um risco sério de um qualquer primeiro-ministro decidir que os funcionários públicos começarão a trabalhar à borla.

O MEU RÁCIO PSICO-ELEITORAL NAS PRESIDENCIAIS

Quanto mais ouço o Manuel Alegre menos detesto o Cavaco Silva.

Este Carrilho desde que foi ministro e casou com a Bárbara ficou insuportável.

A CGTP JUNTA-SE À UGT NA GREVE GERAL

O PCP mudou de opinião acerca da UGT, é que em edições recentes do Avante podemos ler coisas como esta:

«Não estamos, é certo, no período em que, por via das Corporações fascistas, se impunha pela força aos trabalhadores (embora por estes combatida) a conciliação de classes, não obstante, nos tempos que correm, a ajuda preciosa da UGT a tal desiderato.» [28-7-2010]

MONTANTE DA EXPROPRIAÇÃO DO VENCIMENTO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

O RIDÍCULO É

Manuel Maria Carrilho falar de economia numa entrevista a Mário Crespo.

PREVISÕES E REALIZAÇÕES

«Multiplicam-se as previsões negativas quanto ao desempenho económico de Portugal no próximo ano. Agências de notação financeira chegam a antever uma contracção de 1,9%; o FMI - ainda sem incorporar o efeito do último pacote de medidas de austeridade - admitia como provável o crescimento zero em 2011. Emendando a mão, à última hora, prevê, agora, por efeito dessas medidas anunciadas, uma quebra do PIB de 1,4%. Estes valores, traduzem, assim, a dimensão particularmente gravosa para a economia do aperto orçamental para reduzir o défice público para 4,6% do PIB - valor que, pelos vistos, não deverá ser ultrapassado para acalmar as incertezas dos financiadores externos da dívida soberana do País.

Este programa de austeridade terá, seguramente, um impacto de travagem económica maior que o anterior (entre 2005 e 2007). Mas nunca se devem dar por adquiridas e inamovíveis as previsões das grandes instituições económicas e financeiras internacionais. A verdade é que - sobretudo, em conjuntura de crise internacional - elas têm vindo a errar, e a errar muito. Há pouco mais de um ano, o consenso era de que a economia portuguesa se encontraria agora em recessão, caindo 0,6%. Ainda há escassos seis meses, o FMI admitia já que ela cresceria 0,3%. E ontem estimou um crescimento real de 1,1% para 2010.» [DN]

Parecer:

Editorial.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

PROFESSORES APRENDEM ARTES MARCIAIS

«Curso vai ensinar 225 docentes a controlarem melhor a violência nas salas de aulas.» [CM]

Parecer:

Esperemos que o Mário Nogueira não se inscreva, já estou a ver o Sócrates a levar um pontapé na cara já que antes deste curso o sindicalista não teve sucesso com as tentativas de lhe acertar no rabo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Avise-se Sócrates para o risco de um destes dias aparecer com um olho à Belenenses.»

AS SOLUÇÕES DE ALEGRE

«"O caminho porque vai a Europa é mau", afirmou o candidato à Presidência da República, lamentando que "a Alemanha esteja a arrastar a União Europeia (UE) para a austeridade".

Para Manuel Alegre, Portugal aderiu à UE para estar "numa Europa de prosperidade partilhada e não numa situação de austeridade com austeridade e recessão com recessão".» [CM]

Parecer:

Meras banalidades, de um candidato a presidente esperam-se propostas e soluções, estamos fartos de queixumes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se um sorriso condescendente.»

MÁ INTERPRETAÇÃO OU MÁ REDUÇÃO

«Segundo uma fonte da instituição disse à Lusa, a citação que consta no boletim de Outono do banco de Portugal sobre as medidas de austeridade está a ser mal interpretada.

O Banco de Portugal não está a pedir mais medidas de austeridade para além daquelas que foram anunciadas recentemente pelo Governo, mas sim para a necessidade que sejam executadas as já conhecidas para 2011.

Segundo fonte oficial da instituição liderada por Carlos Costa, a citação que consta no boletim de outono de que "a 29 de Setembro, o Governo aprovou um conjunto de medidas adicionais a incluir na proposta de Orçamento para 2011" e que "as medidas de carácter permanente desde já bem especificadas não parecem ser suficientes para garantir a prossecução do objectivo assumido para 2011" estão a ser mal interpretadas.» [DN]

Parecer:

Cá por mim que quem redige estes boletins deve ter o cuidado de não permitir duplas interpretações.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se a sugestão ao BdP.»

FERREIRA LEITE DEFENDE VIABILIZAÇÃO DO ORÇAMENTO

«A deputada e ex-presidente do PSD Manuela Ferreira Leite defendeu hoje que os sociais democratas devem anunciar antecipadamente que viabilizam o Orçamento para 2011 em nome do interesse nacional, responsabilizando exclusivamente o Governo pelo seu conteúdo. Esta posição de Manuela Ferreira Leite foi assumida numa intervenção na reunião desta manhã do grupo parlamentar do PSD, disseram à agência Lusa deputados sociais democratas. » [Jornal de Negócios]

Parecer:

Começa a dissidência cavaquista no PSD.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se.»

GANHA 17.500 EUROS DE INDEMNIZAÇÃO POR TER USADO MINI-SAIA

«A jovem, Geysy Arruda, que usou uma mini-saia na Universidade Bandeirante de São Paulo e acabou por ser expulsa vai agora receber uma indemnização de 17 mil e 500 euros.

A Universidade Bandeirantes, Uniban, foi condenada pela justiça brasileira a pagar 17.500 euros por danos morais à ex-aluna. A 22 de Outubro de 2009, praticamente há um ano, esta estudante do curso de turismo foi hostilizada e insultada por colegas da universidade, em São Bernardo do Campo, em São Paulo. » [Portugal Diário]


OS DN SABE?


Parece que a crer em Vasco Campilho os jornalistas estão a descobrir a pólvora e eu até fico baralhado, por isso pergunto ao ideólogo de Pedro Passos Coelho se sabe quem disse estas coisas lindas:

«Na sua primeira reacção ao novo pacote de austeridade - mais tarde baptizado "plano Sócrates" pelo PSD -, Passos Coelho admitiu, no entanto, que o seu partido pode não ter margem para chumbar o Orçamento do Estado 2011. "A apresentação da proposta no Parlamento marcará não o fim, mas o início da conversa e do caminho que haveremos de encontrar para sairmos da grave situação em que estamos", afirmou.» [Público 1-10-2010]

Não sei se o Vasco Campilho costuma usar o Google mas experimente a procurar por "Passos Coelho admite negociar". Sejamos honestos ou, pelo menos, tenhamos os ditos no lugar para assumirmos o que andámos a dizer em função da conveniência das sondagens!

MIRO HAVOZDENSKY





CARRIS