sábado, janeiro 29, 2011

E porque não pedir ajuda aos portugueses?

A forma como muitas personalidades encaram um eventual “ajuda” ao FMI diz bem das vocação de pedintes que se instalou neste país onde a busca por dinheiro se transformou numa vocação colectiva. Pede-se ajuda ao FM para resolver o problema da dívida externa e, de caminho, para fazer o que a oposição não tem conseguido, pede-se ajuda à FIFA para se alterarem os estatutos da FPF, pede ajuda a estudos externos para aprovar ou desaprovar políticas governamentais.

Há quem fale no risco de perda da soberania mas ninguém questiona a perda de dignidade em toda esta pedincha internacional em que se está a transformar a vida política portuguesa. Recordo-me a este propósito de uma famosa visita de Manuela Ferreira Leite a Merkel, a pobre líder do PSD pretendia uns segundos de televisão para promoção pessoal e acabou a ter que dar a palavra de honra de que tinha sido recebido pela chanceler alemã. Senti pena pelo espectáculo da então líder do PSD, estava tão preocupada em provar que tinha sido recebida por Merkel que nem se apercebeu da falta de dignidade de que estava a dar provas.

Os mais de 5% de juros cobrados pelo FMI e pela EU à Grécia e à Irlanda não é propriamente uma ajuda, são poucos os investimentos financeiros que conseguem tal rentabilidade. E os 7% que Portugal está a pagar é quase tanto ou mesmo mais do que na Europa se exige por um crédito para a compra de um automóvel. Por isso não entendo porque a Junta de Crédito Público paga aos que lá colocam as poupanças e depois o mesmo Tesouro vai ao mercado adquirir dinheiro a 7%. Isto significa que o melhor que os portugueses têm a fazer é colocar as suas poupanças em mercados estrangeiros para depois comprar dívida portuguesa a um juro várias vezes maior do que aquele que o tesouro lhes paga em Portugal.

Começa a ser tempo de os portugueses perceberem que são eles que podem e devem ajudar o país, devem fazê-lo das muitas formas que têm ao seu alcance, sendo melhores governantes, sendo melhor Presidente da República, sendo melhores empresários, sendo melhores trabalhadores, sendo melhores naquilo que cada um faz.

De nada nos serve andar a pedir ajuda para pagar as dívidas do Estado enquanto o Banco de Portugal se esquiva a cortes de vencimentos, o governo gere mal o fisco, os empresários se escapam aos impostos, os farmacêuticos roubarem nos medicamentos comparticipados, enquanto permitirmos que o país esteja sujeito a um saque colectivo.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Pato-mandarim, Quinta das Conchas

JUMENTO DO DIA

Carlos Tavares, presidente da CMVM

Ainda que a CMVM justifique um estatuto próprio não deixa de ser tão Estado quanto o são todos os outros serviços público pelo que os truques para evitar aplicar as medidas previstas no OE são inaceitáveis e um abuso por parte do seu presidente.

Todos pos responsáveis por serviços que recorreram a truques para discriminar positivamente funcionários públicos deveriam ser demitidos imediatamente. Esperemos agora que o PSD e Cavaco Silva, que tanto protestaram em relação ao que se fez nos Açores, tomem agora idêntica posição a um dos seus.

«O OE obriga as entidades de regulação e supervisão a seguir a tabela da função pública nas reduções salariais. Foi o que fizeram, por exemplo, a Autoridade da Concorrência (AdC) e a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). No entanto, a CMVM vai seguir outro modelo. Tendo em conta que, nos seus estatutos, é equiparada a uma entidade pública empresarial, vai optar por fazer uma adaptação dos cortes à sua estrutura, tal como foi permitido para as empresas públicas, como a CGD e a TAP.

Ontem, depois de questionada pelo PÚBLICO, a CMVM respondeu e, posteriormente, emitiu um comunicado às redacções, explicando que vai "proceder à redução média de cinco por cento da despesa em remunerações" - o tecto imposto às empresas públicas que decidissem não seguir a tabela da função pública. Além disso, vai "reduzir em dez por cento as remunerações" do conselho directivo e da comissão de fiscalização e não irá distribuir prémios de desempenho.» [Público]

O NAMORO ENTRE PORTAS E PASSOS COELHO

Portas, um jovem conservador e temente a Deus, acha que não se deve ir para a cama sem mais nem menos e propôs namoro a Pedro Passos Coelho com vista a uma relação mais séria depois de um casamento eleitoral. Lobo Xavier concordou, na Quadratura do Círculo recordou que da última vez que CDS e PSD foram para a cama deram-se mal, não namoraram e começaram sem quaisquer preliminares, o resultado foi o que viu, um aborto de governo que não chegou a netos, por isso acha que faz todo o sentido que antes do casamento haja um namoro prolongado, porque isso de formar um governo implica ter projectos, o mesmo é dizer que quem vai casar deve começar pelo enxoval.

Só que Pedro Passos Coelho receia que Paulo Portas apenas queira o dote e como espera um enriquecimento brusco prefere um acordo matrimonial pós eleitoral, evitando as consequências da comunhão de bens pretendida por Paulo Portas. Ao contrário de Portas que parece ter mais a ganhar com o namoro, Passos Coelho prefere ir primeiro a eleições e depois logo se vê se casa ou se opta por se limitar a deitar Portas na mesma cama, até porque se Portas está danadinho por se deitar na cama do poder, Passos Coelho não precisa de dividir o dote antes do matrimónio.

A OPINIÃO DOS VISITANTES D'O JUMENTO

«Fico muito surpreendido, quando apresentadores de telejornais (jornalistas ?),perdem cerca de 10 a 15 minutos a falarem sobre os ordenados dos gestores de grandes empresas de Portugal, comparando inclusive com os ordenados do Presidente dos E.U.A. da Primeira-Ministra da Alemanha, do Sr. Sarkosi, do Presidente Cavaco Silva do 1º Ministro José Sócrates, etc.

Também acho que deveriam falar dos ordenados milionários que são pagos pelas televisões, a certas pessoas que vão trabalhar para esses canais, para aumentarem as suas audiências.

Não seria bom também fazerem comparações ?Neste momento há apresentadores a ganharem ordenados fabulosos, que nunca será possível a qualquer cidadão deste País.»

OBAMA E O PROFESSOR TUGA

«No discurso sobre o estado da União, Barack Obama disse 18 vezes a palavra "impostos" e uma só "Sputnik". Vai ser sobre esta que se falará daqui a dez anos, caso venha a recorde-se o discurso de Obama de 2011. Sputnik é uma palavra do passado e, no entanto, foi nela que Obama se apoiou para concluir: "Vamos investir o nosso dinheiro no futuro e não no passado." Que não vai investir no passado ficou a saber-se ao dizer que a América não vai mais subsidiar a indústria petrolífera. Então, como foi que Sputnik, palavra velhinha de 54 anos, ficou relacionada com futuro naquele discurso? Em 4 de Outubro de 1957, os noticiários mundiais abriram assim: a União Soviética mandou o primeiro satélite artificial para o espaço. A notícia provocou duas reacções extremas. A portuguesa, através de um professor do Instituto Superior Técnico, especialista em Aerodinâmica, que veio explicar na novíssima RTP que tudo não passava de propaganda comunista. A outra atitude foi à americana, que mais tarde Maria Bethânia tão bem cantou: "Levanta, sacode a poeira/ dá a volta por cima..." Foi o que Washington fez em 1957. Admitiu que estava atrasado, atirou-se ao programa espacial e, em 1969, Armstrong foi o primeiro homem a pôr os pés na Lua. Foi esse exemplo, apostar na ciência, que Obama exigiu à América ("a nação de Edison e dos irmãos Wrigth"). Eis uma hegemonia americana que o mundo agradece.» [DN]

Autor:

Ferreira Fernandes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

NÚMEROS QUE ENGANAM DUAS VEZES

«Faz hoje uma semana, a 48 horas das eleições, Cavaco Silva disse à nação que se não fosse reeleito os mercados não nos iriam perdoar a ousadia: os juros iriam subir. Ora bem, o que aconteceu desde segunda-feira, cumprida a ambição de Cavaco? Pois é, os malditos juros voltaram a subir acima dos 7%, um valor mortal para qualquer economia com o nosso crescimento. É verdade que os economistas - como Cavaco - anteciparam nove das cinco recessões que tivemos (não é erro: nove em cinco!), mas de qualquer maneira não seria de esperar um número destes vindo de uma pessoa que até já nasceu duas vezes. » [DN]

Autor:

André Macedo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

BERLUSCONI: MAIS UMA PROSTISTUTA MENOR

«As pressões para a demissão de Silvio Berlusconi aumentaram ontem, depois de chegarem aos jornais novos documentos provando que o primeiro-ministro italiano manteve relações sexuais com uma segunda prostituta menor. Além da marroquina Ruby R., o processo contra o chefe de governo refere uma brasileira, de nome Iris Berardi, que, como Ruby, participou nas festas de Berlusconi, quando tinha apenas 17 anos. » [CM]

Parecer:

Este Berlusconi ainda vai ficar azul.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Proponha-se a Berlusconi que troque o AC Milan pelo Belenenses para ficar a condizer.»

TÍTUEMPRESA PÚBLICA RECORRE AO CONSTITUCIONAL PARA RECUSAR DOCUMENTOS

«A Estamo, do grupo Parpública, tentou impedir no Constitucional a consulta de documentos de uma transacção imobiliária do Estado por um jornalista do semanário Sol. Esta terá sido a primeira vez que uma empresa pública invocou a inconstitucionalidade da Lei de Acesso aos Documentos Administrativos (LADA) em Tribunal, de acordo com a Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos. Esta é a Lei que garante acesso de todos os cidadãos a documentos do Estado. O Tribunal Constitucional recusou o pedido de recurso, considerando que a solicitação da consulta feita pelo jornalista, é um direito que lhe acresce como cidadão e por isso consagrado também nos princípios constitucionais. Este Tribunal confirmou a decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa, em primeira instância, e do Tribunal Central Administrativo do Sul e do Supremo Tribunal Administrativo já em fase de recurso. A Estamo tem agora de dar todos os documentos pedidos pelo jornalista em 2008.» [i]

Parecer:

De que terá medo a empresa?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver o que está escondendo.»

ESCOLAS PRIVADAS CONCORREM COM AS PÚBLICAS

«As escolas privadas com contratos de associação fazem concorrência às públicas? As primeiras dizem que não, as segundas argumentam que sim. Mais: dizem mesmo que os colégios escolhem os melhores alunos. No entanto, reconhecem que são os pais os primeiros a procurar as privadas.

O PÚBLICO falou com quatro escolas públicas e com quatro com contrato de associação, que são vizinhas, para perceber se estes contratos - que permitem a qualquer aluno frequentar um destes colégios, financiados pelo Estado, por não haver oferta pública na região - continuam a fazer sentido. Mais uma vez, as opiniões divergem: as públicas dizem que há escolas vazias que podem receber os alunos dos colégios; estes lembram que têm mais procura. E são também estes que, por regra, surgem melhor classificados nos rankings dos exames nacionais do ensino secundário, quando comparados directamente com as escolas públicas vizinhas com as quais partilham o mesmo território educativo.» [Público]

Parecer:

É evidente que recorrendo a selecção as escolas privadas conseguem melhores resultados e desta forma alimentam o negócio à custa do Estado.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Eliminem-se estas situações.»

PROTEST SPREADS IN THE MIDDLE EAST [Boston.com]

ALEKSANDR DOODKO

sexta-feira, janeiro 28, 2011

A ocasião perdoa o ladrão?

Num país com grandes dificuldades financeiras, onde os contribuintes são sacrificados para assegurar a manutenção de um SNS que assegure o acesso de todos à saúde seria de esperar que todos os profissionais do sector condenassem de forma clara os oportunistas e gatunos. Ontem o MP deteve vários profissionais do sector farmacêutico responsáveis por uma grande fraude envolvendo um medicamento comparticipado pelo Estado.

Seria de esperar que os responsáveis do sector condenassem de forma clara os gatunos, demarcando-se do oportunismo e afirmando a honestidade dos profissionais do sector. Surpreendentemente, o discurso de João Cordeiro, presidente da Associação Nacional de Farmácias, e de Silva Elias, presidente do Sindicato Profissional dos Profissionais de Farmácia, foi no sentido de ignorar a culpa dos criminosos e de responsabilizar a tutela por eventuais falhas de controlo. Isto é, para estes senhores a ocasião faz o ladrão e assim sendo também o desculpabiliza, os criminosos são ilibados e a culpa deve ser atribuída à ministra.

Na generalidade dos países europeus estes dois senhores teriam sido ridicularizados, desde logo pelos próprios jornalistas, os seus associados ter-se-iam sentido indignados, os cidadãos ter-lhe-iam apontado o dedo. Mas por cá as declarações passaram incólumes e só faltou algum jornalista defender que quem deveria ter ficado com termo de identidade e residência era a ministra da Saúde.

O fenómeno não é novo a não ser no facto de vermos representantes corporativos levarem a defesa aos seus ao ponto de protegerem presumíveis criminosos. Já no caso BPN foram muitos os que ilibaram Oliveira E Costa e os seus sócios de organização criminosa e tentaram condenar o Banco de Portugal por falta de controlo. Isto é, a partir de agora todos os criminosos estão perdoados porque se cometeram o crime é porque faltou algo que os tenha impedido. Se um traficante descarregar cocaína numa praia é porque a Guarda Fiscal não estava lá, se um assaltante entrou na minha casa é porque a porta não era blindada e não tinha alarme, se um homicida matar alguém é perdoado porque a vítima poderia tê-lo evitado usando um colete à prova de bala.

Em tempos vi um vídeo real gravado no Brasil onde um ladrão disparou sobre um jovem para lhe roubar os sapatos, nesse momento surge um carro da polícia e os agentes em vez de socorrerem a vítima e prenderem o ladrão limitaram-se a “roubar-lhe” os sapatos que tinha acabado de roubar e foram-se embora. A crer no raciocínio de João Cordeiro e Silva Elias os polícias actuaram bem, a culpa do roubo foi da vítima pois devia ter ido passear descalço e da mesma forma que a ocasião fez o ladrão também é verdade que ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão.

O grande problema da sociedade portuguesa não é nem a crise internacional nem a dívida pública, é a merda de elites que temos e que aos poucos estão transformando um povo que ao longo da história teve dignidade, numa massa amorfa sem princípios.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Chaminé, Castro Marim

IMAGENS DOS VISITANTES D'O JUMENTO

Grafitti, Lisboa [A. Cabral]

JUMENTO DO DIA

João Cordeiro

João Cordeiro, o homem das farmácias, chegou a uma conclusão brilhante, alguns dos seus associados organizaram-se para roubar os seus concidadãos através de um esquema em que defraudavam o Estado, e de quem é a culpa? Para este senhor a culpa é de Correia de Campos! Mais um pouco e ainda vai exigir a amnistia dos seus associados.

Neste país os grupos de pressão começam a actuar sem vergonha na cara e os jornalistas dão-lhes cobertura sem sequer os questionarem. A quanto obrigas receita da publicidade.

«O presidente da Associação Nacional de Farmácias (ANF), João Cordeiro, responsabilizou o antigo ministro da Saúde pelas fraudes que possam existir no sector do medicamento em Portugal, em declarações à TSF.

Segundo João Cordeiro, se existe qualquer tipo de fraude nos medicamentos, a culpa é de Correia de Campos, recordando que a sentença dada pelo antigo ministro ao projecto-piloto da receita electrónica em Portalegre coloca o sistema aberto a todo o tipo de fraudes.» [A Bola]

NATALIA JUSKIEWICZ - UM VIOLINO NO FADO

PERFUME DE LADY GAGA VAI CHEIRAR A SANGUE E ESPERMA

«Lady Gaga deu indicações ao criativo que está a elaborar o seu primeiro perfume para que este cheire a "sangue e esperma", revela o site Fashionista, citando fontes próximas do responsável pela fragrância que deverá ser posta à venda em 2012.» [CM]

SARKOZY E MERKEL NÃO DEIXARÃO CAIR O EURO

«O presidente francês Nicolas Sarkozy rejeitou hoje qualquer especulação sobre o futuro do euro, afirmando que nem ele nem a chanceler alemã Angela Merkel vão deixar o euro cair, quando a moeda única vive a sua maior crise.

"Quer a chanceler Merkel ou eu, nunca, nunca vamos virar as costas ao euro. Nunca vamos abandonar o euro, nunca vamos deixar cair o euro", disse Sarkozy, num discurso no encontro do Fórum Económico Mundial da estância suíça de Davos.» [DN]

Parecer:

além de terem muito a perder os seus bancos só têm a ganhar com os juros que estão sendo praticados.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pela decisão da UE em relação ao fundo de estabilização.»

MAGALHÃES: BRUXELAS ENCERRA PROCESSO CONTRA PORTUGAL

«A Comissão Europeia decidiu hoje “encerrar o processo de infracção aberto contra Portugal” por causa do computador Magalhães.

"Em resultado da intervenção da Comissão, as autoridades portuguesas vão fazer um concurso público e tomar medidas para assegurar que os contratos de fornecimento estarão abertos a todas as empresas necessárias", diz em comunicado.

A decisão foi tomada esta manhã pelo gabinete do comissário Michel Barnier, responsável pelo Mercado interno, depois de um braço de ferro de mais de um ano sobre uma medida que é muito simbólica para o primeiro-ministro, José Sócrates.» [DE]

Parecer:

Quando o processo foi aberto muitas vozes se aproveitaram.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Procurem-se comentários sobre esta notícia.»

CONTINUA A POLÉMICA COM A QUINTA DA COELHA

«As polémicas sobre a casa de férias que Cavaco Silva tem em Albufeira continuam. Em Junho de 1998, o actual presidente pediu ao seu "gestor de negócios", José Eduardo Palma Soares, para ir às Finanças regularizar a taxa de sisa da sua moradia na urbanização da Coelha. Este pedido foi feito um mês antes de se tornar proprietário deste imóvel, no entanto, o Estado optou por não cobrar o imposto por se tratar de uma permuta entre a sua vivenda Mariani e a nova moradia Gaivota Azul, revela a revista Visão.

O Presidente da República pagou pelo imóvel 135 mil euros (um valor muito baixo para os preços praticado naquela zona do Algarve). Um dado que foi revelado pela revista Sábado na semana passada.

Apesar de Cavaco Silva ter comprado a casa por um preço baixo, tentou vendê-la por um preço muito mais elevado.

Cinco meses depois da compra da casa, um jornalista disfarçado de comprador tentou adquirir a moradia e foi ao encontro de Teófilo Carapeto Dias, amigo de infância e ex-assessor de Cavaco Silva, que ter-lhe-á pedido 4oo mil euros pela casa.

Em 2009, numa avaliação patrimonial feita pelas Finanças foi atribuída à Mariani o valor de 39 798, 96 euros, enquanto que a Gaivota Azul registava um valor de 199 469, 69 euros, o que significa que Cavaco Silva, ao permutar directamente a sua antiga casa com a nova moradia, beneficiou de uma vantagem patrimonial de mais de 150 mil euros.

Estes números são postos em causa pelo advogado Ricardo Sá Fernandes que exige uma explicação de Cavaco. "O presidente deve explicar por que razão aceitou uma permuta de bens, atribuindo-lhes valor igual, quando manifestamente existe uma desproporção de valores. Pode haver uma explicação que o justifique, mas enquanto isso não acontecer fica a suspeita de que houve um favorecimento".

Desde o início que Cavaco Silva disse não ter nada que ver com caso, tendo-se limitado a "passar cheques", refere a "Visão" citando o Presidente da República numa entrevista dada à Renascença.

A verdade é que desde o início que a casa de férias de Cavaco foi alvo de várias irregularidades, na medida em que as obras prosseguiram mesmo com a licença de construção caducada e que a família Cavaco Silva já habitava a casa da Coelha desde Agosto quando a licença seria emitida apenas em Dezembro.» [i]

Parecer:

Da campanha presidencial resultaram muitas dúvidas e nenhum esclarecimento.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Cavaco Silva que esclareça todas as dúvidas.»

JÁ NINGUÉM RESPEITA SANTANA LOPES

«O líder da distrital de Lisboa do PSD, Carlos Carreiras, manifestou ter ficado surpreendido com a proposta de reorganização administrativa de Lisboa apresentada por Santana Lopes, numa altura "em que já havia um acordo com o PS". “A proposta apresentada não tem coerência nenhuma, parece que foi feita à pressa”, disse o também vice-presidente da Câmara de Cascais.

Na reunião da Câmara Municipal de ontem, em que foi submetida a aprovação a proposta de reorganização das freguesias de Lisboa, acordada entre o PS e o PSD e que prevê que as actuais 53 freguesias se transformem em 24, Santana Lopes e os restantes quatro vereadores do PSD apresentaram um outro mapa, com 26 freguesias.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

É ridículo ver um vice-presidente da CM de Cascais criticar e tirar o tapete ao que foi o candidato do PSD a Lisboa que já foi primeiro-ministro e presidente deste partido. Este PSD parece mesmo um saco de gatos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

PASSOS COELHO É O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CASCAIS

«O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, confirmou que o social democrata António Capucho decidiu suspender por um ano o seu mandato de presidente da Câmara Municipal de Cascais.

"Creio que há razões de saúde que estão muito envolvidas com essa sua decisão e que eu não posso senão respeitar", declarou Pedro Passos Coelho, questionado pelos jornalistas.» [DN]

Parecer:

É ridículo ver um presidente do PSD, que até é autarca em Trás-os-Montes vir informar que um autarca de Cascais suspendeu o mandato, cheira a confusão entre Estado e partido. Já agora podia ter confirmado as candidaturas de Seara e de Gilberto Madail à Federação Nacional de Futebol.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

UM DIA DESTES VÃO QUERER QUE AS VACAS POSSAM IR À ESCOLA

«"O PAN é um partido de causas, que abraça as três grandes causas – humanitária, animal e ecológico-ambiental -, considerando-as inseparáveis", anunciou Paulo Borges, da comissão coordenadora do partido, que assume como um dos objetivos a luta contra "todas as formas de discriminação e violência contra os animais, combatendo o especismo como parente próximo do esclavagismo, racismo, sexismo e classicismo".» [i]

Parecer:

Não é de admirar.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se um sorriso.»

AGRISS

FABER CASTELL