sábado, fevereiro 12, 2011

Estava só a brincar

A senhor a Merkel deve ter sido informada dos resultados das últimas eleições legislativas em Portugal mas só se deve ter preocupado em saber quem ia ser primeiro-ministro. Imaginem que eu lhe dizia que há na Europa um país que pertence à EU desde os tempos em que esta era CEE e deixou de ser a nove onde 20% dos eleitores ainda acreditam na ditadura do proletariado. Como a senhor nasceu e cresceu na Alemanha de Leste ou desatava a rir à gargalhada ou dava-lhe uma coisa. Bem, mas teria que lhe dizer que não se preocupasse, uma boa parte dos eleitores do BE são gente da classe média e que como dizia o Galvão de Melo quando crescesse um pouco mais votariam nos partidos de direita e muitos outros sabem no que estão votando mas como acham que o PCP não conseguirá ganhar votam neles porque são os que melhor lhe defendem algumas benesses que por cá se designam como direitos adquiridos.

Imaginem agora que eu dizia à senhora Merkel que o país ficou à beira de uma crise política porque um líder trotskista tinha apresentado uma moção de censura só para passar a perna aos estalinistas. Coitada da senhora, perdia a vontade de rir e o mais certo seria perguntar-me sobre qual a posição tomada pelos seus parceiros políticos locais, os do partido liberal que se diz democrata cristão e os do outro partido também liberal que anda há trinta anos a convencer-se de que é social-democrata. Nessa altura ficaria na dúvida sobe o que responder, a senhora já não é propriamente uma gaiata e os acontecimentos lusos não justificam um baque cardíaco da chanceler alemã.

Mas imaginem ainda que eu me lembrava de dizer à senhora que os do CDS ainda iam reflectir e que os do PPD estão divididos entre os que votam qualquer moção de censura, nem que seja apresentada pelo diabo, e os que defendem reflexão. Coitada da senhora, começaria a berrar comigo dizendo que não andava a empatar dinheiro no fundo de estabilização para a direita portuguesa andar a brincar.

Eu não quero mal nenhum à senhora Merkel, antes pelo contrário, mas se a quisesse matar dir-lhe-ia o que António Nogueira Leite disse aos jornais, que o PSD “"conhecer exactamente" o contexto em que o Bloco de Esquerda vai lançar a moção de censura e depois, "com frieza e consciência", tomar uma decisão”. O quê, um provável ministro das Finanças de um partido irmão da direita portuguesa a achar que a moção apresentada por um trotsquista pode ter ter fundamentos para um voto da direita? Um economista a achar que o país pode brincar às crises políticas, agora com um mês de antecedência, enquanto a economia se pode afundar no mercado financeiro?

Não senhora Merkel, esteja descansada, em Portugal ninguém é doido, os partidos da direita são tão responsáveis como os da Alemanha e nunca aceitarão juntar-se aos trotsquisas, os candidatos a ministros das Finanças não são doidos ao ponto de acharem que um país em crise não pode andar desgovernado durante cinco meses (um até mais à moção de censura, mais quatro até à aprovação do programa de um futuro governo saído de eleições antecipadas).

Fique descansada, estava só a brincar, em Portugal doidos só são os que estão no Júlio de Matos.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Cogumelos no Jardim do Campo Grande, Lisboa

IMAGENS DOS VISITANTES D'O JUMENTO

Bote [A. Cabral]

JUMENTO DO DIA

Rui Pereira, ministro da Administração Interna

No passado os governos mudavam e os directores-gerais permaneciam nos cargos, foi o governo do PS que pôs fim a esta situação e legislou no sentido de fazer cair os directores-gerais sempre que muda um governo, incluindo quando na sequência de eleições o governo pertence ao mesmo partido. Aliás, quando o actual governo tomou posse alguns altos dirigentes da Administração Pública não foram reconduzidos com base nesse dispositivo legal.

Esta mudança não tem como única consequência que quando um novo ministro toma posse pode mudar os directores-gerais e subdirectores-gerais colocando nos cargos pessoas da sua confiança, dela resulta também que os ministros passam a assumir a responsabilidade política pelas escolhas que fazem, assumir a responsabilidade e em consequência serem responsabilizados pelas consequências das suas escolhas.

O ministro da Administração Interna não pode dizer que a culpa da trapalhada com os cartões dos cidadãos ocorrida nas últimas eleições legislativas foi de um director-geral e que já aceitou a sua demissão. Esse director-geral foi escolhido e nomeado pelo ministro por este depositar confiança nele, confiança que manteve no momento da organização do acto eleitoral, portanto, o ministro é tão responsável pelo que se passou como o director-geral e se em consequência dessa trapalhada o director-geral foi demitido o mesmo destino deve ter o ministro.

Se assim não suceder isso significa que o governo só mudou a lei para poder colocar amigos em altos cargos do Estado sem ter que assumir responsabilidades políticas por essas escolhas. Rui Pereira, ministro da Administração Interna, só tem uma coisa a fazer ao assumir a culpa do director-geral é demitir, porque a culpa pela derrota nas batalhas não é dos tenentes, é dos generais. Se não o fizer é porque temos um ministro que além de pouco competente é incoerente e pouco corajoso, um pequeno político defensor do princípio segundo o qual "quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão".

A HOMENAGEM DE FRANCISCO LOUÇÃ A CAVACO SILVA

A melhor forma que Francisco Louçã arranjou para homenagear Cavaco Silva pela sua vitória nas presidenciais foi prometer a apresentação de uma moção de censura com o objectivo de derrubar o governo do partido de Manuel Alegre precisamente no dia em que Cavaco volta a ter poderes para dissolver a Assembleia da República.

Melhor do que isto só se Louçã tivesse algum palacete para oferecer a Cavaco por toca com igual valor pelo seu apartamento na Travessa do Possolo.

OS OBJECTIVOS DE LOUÇÃ

Louçã é cada vez mais um líder comunista em decadência que já não segue objectivos políticos mas sim pequenas vinganças, não conseguiu dividir ou deixar o PCP para trás e nunca digeriu a derrota no debate televisivo com José Sócrates. O líder do BE é um homem frustrado, ferido na sua vaidade e lidera um projecto político que parou de crescer arriscando-se a perder o fulgor à medida que os seus jovens militantes crescem e passam a votar na direita ou os mais idosos vão acabando por aderir ao PCP, algo que sempre sucedeu aos movimentos de extrema-esquerda portugueses.

Desesperado, Louçã tinha que voltar a ter a iniciativa e aproveitou-se de no PCP haver regras, o que não sucede no BE onde Louçã pode decidir apresentar um projecto político a meio de um debate parlamentar e sem ter ouvido os seus pares, conta com a hesitação do PSD que tem receio de ir a eleições aposta tudo numa crise financeira.

O facto de em vez de apresentar uma moção de censura prometer apresentá-la daqui a um mês teve por objectivo congelar a estratégia do PCP e colocar o PSD perante a opção de recusar de imediato a moção de censura, ou optar por fazer como sucedeu com o OE e lançar o país e os mercados na incerteza durante um mês. Passos Coelho tem em comum com Louçã a necessidade de terem o protagonismo e é bem provável que o líder do PSD faça o jogo da extrema direita, adie uma decisão lançando o país numa grave crise financeira.

Desde as eleições que Louçã e Pedro Passos Coelho têm tido a mesma estratégia, estiveram juntos em todos os grandes momentos e partilham o mesmo ódio a Sócrates, um ódio movido por complexos de inferioridade ou por vingança.

BEANITO, AUGUSTA, EU E TU

«Tinha dez anos. Era surdo-mudo. A mãe, guineense, trá-lo a Portugal na esperança de que aprenda a falar. No hospital, o menino desaparece enquanto ela anda de guichet em guichet. Faz queixa à PSP, que passa o caso à PJ. Dez dias depois, a criança é descoberta. Numa gaveta do Instituto de Medicina Legal. Está lá desde o dia em que desapareceu, após ter sido colhida por um comboio na linha da Amadora, a muitos quilómetros do hospital onde foi com a mãe. Na PSP, o alerta do desaparecimento, enviado a todas as esquadras, nunca se encontrou com o relatório sobre o menor morto por um comboio; a PJ, onde o caso só chegou quatro dias depois da queixa, garante que indagou junto do IML, mas este retorque: era impossível não se ter referido o cadáver de uma criança. Foi aliás uma funcionária do IML que, vendo na TV a notícia sobre a criança desaparecida, se lembrou do menino morto que ninguém reclamou. Não passa nada, porém: a mãe enterra o filho e regressa à Guiné.

O caso é de Novembro de 1992. Lembro-o muitas vezes como exemplo de tudo o que não deve, não pode suceder. E da monstruosa indiferença disso a que chamamos "os serviços" (e que tantas vezes servem tão pouco), da constatação amarga de que uma morte pode inquietar tão pouco. Lembro-o ante Augusta Martinho, a mulher encontrada morta na sua casa da Rinchoa quase nove anos depois de o seu desaparecimento ter sido comunicado à polícia por uma vizinha e um familiar. Augusta, que faria sábado 96 anos, recebia uma pensão - foi a caixa de correio cheia de cartas da Segurança Social que levou a vizinha a agir; Augusta pagava impostos - tanto que o incumprimento determinou a venda da sua casa em hasta pública. Augusta teria água e luz e talvez telefone - entretanto decerto cortados; Augusta não pagava condomínio desde 2002, nem era vista a passear o seu cão, a ir à mercearia. Ainda assim, nenhuma das instituições criadas para zelar por ela - da polícia à Segurança Social e ao fisco (que nada fiscalizou, limitando-se a confiscar) - saiu da papelada para verificar se aquele nome, aquele número, aquela "utente" tinha algum motivo para não receber os cheques nem pagar as contas, não abrir a porta, não ser vista, em suma, não dar sinal de vida.

Há quem, a respeito de Augusta, fale de solidão. Sim, Augusta vivia só, e talvez (alguém pôs essa hipótese?) quisesse viver assim. Mas não foi por falta de quem se preocupasse com ela que passou nove anos no chão da cozinha: uma boa vizinha fez tudo o que pôde, até descobriu os familiares da senhora. Esta não é uma história de solidão, ou sequer do abandono dos idosos, a suscitar choradinhos sobre a "desumanização urbana" (no campo é que era, etc.). É uma história de incompetência e indiferença institucional. Insofismáveis, intoleráv.eis, obscenas. Mas por isto ninguém se lembrará de pedir cabeças. » [DN]

Autora:

Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A LUTA PRIVADA ENTRE O BE E O PCP

«Depois de o PCP se ter mostrado disponível para apoiar uma moção de censura, chegou-se, ontem, à promessa de uma moção de censura por parte do BE. Por definição, uma moção de censura é arma da oposição para fazer cair o Governo e passar ela a governar. Porém, qualquer das prometidas moções de censura pertence a uma especialidade portuguesa: PCP e BE participam num duelo próprio, não dos que querem governar mas, tão-só, dos que querem ganhar a corrida dos campeões da esquerda em que ambos são - e, segundo eles, só eles - os participantes. Aproveitando o recente e falhado conúbio dos bloquistas com os socialistas no apoio a Manuel Alegre, o PCP adiantou a hipótese de uma moção de censura, tentando, assim, revelar aos olhos do povo a colagem do BE ao PS. A reacção do BE conheceu-se ontem, quando Francisco Louçã não abanou só com uma hipótese mas deu como garantida a sua moção de censura logo no primeiro dia, 10 de Março, em que é possível apresentar uma. Garantir a primazia em relação ao PCP confirma o que atrás ficou dito. E escolher esse dia, véspera da ida do primeiro-ministro ao Conselho Europeu (e, logo, o pior para a moção ter apoio do PSD, o único partido que pode viabilizá-la) revela também a pouca vontade do BE em que a moção de censura vença. A guerra deles, BE e PCP, é outra: a sua guerrinha particular. Um dos grandes e inúteis dados da política nacional. » [DN]

Autor:

Ferreira Fernandes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

BEIJO NA BOCA

«Francisco tinha a puberdade inquieta no avesso da braguilha e apagava sempre o histórico da internet não fosse alguém ler no motor de busca "Teen lesbian amateur". O rapaz enamorava-se de actrizes de novela, anúncios de revista, coleguinhas que não estavam nem aí para as conversas de bola e skates e técnicas de masturbação. Beijava a almofada como quem vai ao ginásio e tinha sonhos molhados que o obrigavam a lavar os boxers no banho, antes da escola, cabeça baixa e pupilas incapazes de focar a mãe ao pequeno- -almoço. Lembrava-se de, aos cinco anos, saltar para uma cadeira, baixar os calções e, maravilhado pela surpresa de uma erecção, ter dito durante um jantar: "Está tão grande..." Pela prática de exibicionismo, ficou de castigo. Desde então tranca a porta do quarto e ninguém o vê nu, nem mesmo nos balneários da Educação Física. No recreio da manhã, a matulona do 9.oC, que já fumava e usava os soutiens da mãe, aproximou-se dele: "Vem lá fora." Entre dois carros estacionados, Francisco sentiu o peito dela junto do coração e uma língua molhada, saliva de pastilha elástica e Português Suave. Durante todo o primeiro período, no intervalo da manhã, ela treinou com Francisco os beijos que queria dar aos rapazes mais velhos. Ele não se importava e, sem ciúmes, celebrava o privilégio de beijar alguém todos os dias. Quando ela decretou o fim dos encontros, ele não chorou porque estava grato. E dessa vez foi ele que a agarrou, seguro nas mãos e nos lábios, feliz por ter descoberto o espantoso engenho de felicidade que são os beijos na boca. » [i]

Autor:

Hugo Gonçalves.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

MANUEL ALEGRE CONTRA A MOÇÃO DE CENSURA DO SEU BENJAMIM

«Manuel Alegre não gostou de ver o Bloco de Esquerda avançar com uma moção de censura contra o Governo.

O ex-candidato presidencial, que contou com o apoio de socialistas e bloquistas até há 18 dias atrás, alerta Francisco Louçã para o risco que corre ao tentar mandar abaixo Sócrates.

"A única alternativa a este Governo é um Governo de direita - seja com o PSD sozinho ou coligado com o CDS", alerta o socialista.» [DE]

Parecer:

Será que Manuel Alegre é tão ingénuo que ainda não percebeu que o único objectivo político de Louçã desde que o PS chegou ao governo é derrubar Sócrates e dividir o PS. É ingenuidade a mais e chega a ser ridículo ver Alegre a aconselhar Louçã.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mandem-se parabéns a Manuel Alegre pela preciosa ajuda que deu a Louçã nos últimos anos.»

TÍPRESIDENTE ALEMÃO QUER VENDER MAIS CARROS EM PORTUGAL

«"Devemos esforçar-nos por conseguir ganhar mais modelos e mais baratos para a fábrica de Palmela e também no sentido de um aumento da quota de mercado na Península Ibérica, com a Seat em Espanha e a Volkswagen em Portugal", disse.

Acompanhado pelo presidente português, Cavaco Silva, o chefe de Estado alemão fez questão de elogiar os trabalhadores portugueses e a atitude dos sindicatos, na criação de condições para a flexibilidade laboral, para uma maior competitividade e para o sucesso do projeto empresarial da Autoeuropa, e defendeu que deveria haver mais automóveis alemães vendidos em Portugal e Espanha.» [DN]

Parecer:

Pois, e os portugueses que os comprarem vão pedir crédito aos bancos alemães.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se à chanceler Merkel se adianta o pilim.»

AGUIAR BRANCO DEFENDE MOÇÃO DE CENSURA IMEDIATA

«Foi candidato a líder do PSD e perdeu. Agora está a ultimar o novo programa do partido e sugere a queda imediata do Governo, sem esperar pelas cautelas de Passos Coelho. Essa deve ser uma actuação partidária determinante, diz.

Numa entrevista concedida antes do anúncio da moção de censura do Bloco de Esquerda, José Pedro Aguiar Branco insiste que "a única remodelação eficaz é a do próprio primeiro-ministro". "Na minha opinião, não havia problema algum em que se votasse uma moção de censura" - e votar "já" é "do interesse nacional". » [DN]

Parecer:

Parece que em vez de dividir o PS o Francisco Louçã vai conseguir dividir o PSD.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

ALGUNS COLÉGIOS QUEREM AINDA MAIS

«Três dezenas de escolas recusaram o acordo alcançado entre o Ministério da Educação e a Associação de Estabelecimentos de Ensino Privado e Cooperativo (AEEP) que vai manter os cortes no financiamento de turmas com contrato de associação. Os dissidentes consideram o acordo inaceitável e mostram-se esperançados nas iniciativas em curso em curso no Parlamento, nomeadamente na apreciação do decreto-lei na próxima sexta-feira. Lançaram ainda uma petição pública para contestar o assunto.» [DN]

Parecer:

A ministra não devia ter cedido a estes gulosos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mande-se um corno e a ponta do outro a estes colégios.»

WORD PRESS PHOTO ENTREGUE A JODI BEIBER

«A fotografia, que fez a capa da revista Time a 1 de Agosto de 2010, revela uma jovem afegã de 18 anos, Bibi Aisha, a quem o marido cortou o nariz e as orelhas por ela ter voltado para a família acusando-o de maus tratos. Bibi Aisha acabou por ser abandonada, mas foi resgatada do Afeganistão por militares norte-americanos e integrada no refúgio para mulheres em Cabul, onde foi fotografada por Jodi Beiber. Actualmente Bibi Aisha vive nos Estados Unidos, onde se submeteu a uma cirurgia de reconstrução facial.

Embora o acto de violência retratado cause choque, para o júri do World Press Photo a fotografia demonstra a dignidade da jovem afegã perante um caso de violência contra as mulheres. A fotografia valeu ainda a Jodi Beiber o primeiro prémio na categoria de retrato nesta 54.ª edição do World Press Photo, o mais cobiçado prémio de fotografia.» [DN]

NOGUEIRA LEITE QUER CONHECER CONTEXTO DA MOÇÃO DO BLOCO

«No entanto, acrescentou, é preciso "conhecer exactamente" o contexto em que o Bloco de Esquerda vai lançar a moção de censura e depois, "com frieza e consciência", tomar uma decisão.» [DN]

Parecer:

Será que Nogueira Leite espera que a argumentação da extrema-esquerda venha de encontro às suas posições.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Louçã se vai dizer na sua moção que tem por objectivo levar o PSD ao governo.»

CGTP BRANQUEIA A SUA HISTÓRIA

«A assinalar o seu 40.º aniversário, a CGTP lançou um livro sobre as suas origens e percurso mais recente. Chama-se "Contributos para a História do Movimento Operário e Sindical" e é constituído por textos da autoria de sete dirigentes e quadros, todos eles já afastados das lides, mas que ocuparam postos da máxima responsabilidade. O prefácio é de Manuel Carvalho da Silva, que apresentou o livro no Museu da Eletricidade.

O texto mais polémico - por incidir sobre o período revolucionário - tem a assinatura de Américo Nunes, um sindicalista comunista que durante anos teve o pelouro da organização.

Sob o título "A Intersindical na Revolução de Abril", o que mais surpreende ao longo das 80 páginas são algumas das omissões e a forma incompleta como são descritos episódios históricos. » [Expresso]

Parecer:

É um velho hábito comunista este de limpar pessoas das fotografias.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicitem-se explicações a Carvalho da Silva.»

QUANDO A PRISÃO PREVENTIVA PODE SER UMA CONDENAÇÃO À MORTE

«O advogado e os médicos que têm visitado Godinho desde que foi preso preventivamente, a 28 de outubro de 2009, falam de um homem que se tornou uma sombra de si próprio, sem condições de se defender numa sala de audiências. E intensificaram nas últimas semanas uma batalha que já dura há um ano para que o Tribunal Central de Instrução Criminal - onde o processo está desde dezembro - reveja a situação do principal arguido do caso 'Face Oculta' e o mande para casa, em prisão domiciliária.

Esta semana, o advogado do sucateiro comunicou ao juiz Carlos Alexandre que o arguido não vai estar presente no debate instrutório, a 16 de fevereiro, naquela que será a última audiência antes de ficar decidido quantos arguidos irão sentar-se no banco dos réus. Artur Marques alega que o seu cliente "não está em condições que lhe permitam participar com lucidez em atos processuais". » [Expresso]

Parecer:

E ainda nem há acusação.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

ANA TUDO A COPIAR NAS UNIVERSIDADES

«Para ter vergonha é preciso ser apanhado? Se a resposta for sim, a explicação da dimensão da fraude académica nas universidades portuguesas pode estar na diferença entre os alunos que admitem copiar e os que são apanhados: 70% já copiaram num exame e apenas 2,4% foram apanhado. Os dados são de um novo estudo sobre integridade académica coordenado por Aurora Teixeira, da Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Para a investigadora, que nos últimos anos tem contribuído para a literatura internacional sobre o tema, os resultados revelam um verdadeiro flagelo no meio académico.» [i]

Parecer:

Sempre assim foi, mas aprece que agora é pior.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Estude-se a competência dos nossos universitários quando chegam ao mercado de trabalho.»

ESTE PUREZA ESTÁ A BRINCAR

«Para não deixar equívocos, José Manuel Pureza sublinhou que o partido não vai abrir caminho "para uma solução de direita" e repetiu várias vezes a afirmação de que a moção é contra as políticas "do PS e PSD conjuntamente" - os dois partidos de poder.

Questionado sobre os efeitos práticos da iniciativa, Pureza disse respondeu apenas: "Defendemos uma solução de governo de esquerda." » [i]

Parecer:

Que se saiba uma moção de censura apenas serve para derrubar o governo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao Pureza que leia a Constituição da República e que se deixe de brincadeiras infantis.»

QUEIROZ PODERA SER TRINADOR DO IRÃO

«O ex-selecionador nacional Carlos Queiroz disse hoje que está a ponderar a proposta da Federação Iraniana de Futebol para orientar a equipa nacional, justificando ter gostado dos jogadores e da formação do país árabe.

"Eles convidaram-me (responsáveis da federação iraniana) a visitar o país, conhecer a equipa e a federação para uma eventualidade e possibilidade de vir treinar a seleção. Tornaram pública essa situação, mas não posso adiantar mais nada", avançou Queiroz em declarações à agência Lusa.» [i]

Parecer:

Quem terá rogado tal praga a Carlos Queiroz.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

LADRÕES AMANTES DA BOLA

«O balneário do Olhanense, no Estádio José Arcanjo, foi assaltado na manhã de hoje, durante o treino da equipa da Liga portuguesa de futebol, que prepara a receção de sábado ao Sporting, da 19.ª jornada.

"O assalto ao balneário deverá ter ocorrido entre as 10:00 e as 11:30, quando os atletas se treinavam no campo. Alguns jogadores foram afetados, tendo sido levado dinheiro e telemóveis", confidenciou à Agência Lusa fonte do clube» [i]

Parecer:

Anteciparam-se ao árbitro do próximo jogo com o Sporting?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se um sorriso.»

LUÍS FIGO NÃO ESTÁ A SER INVESTIGADO

«Luís Figo não está a ser investigado pelo alegado financiamento ilícito do Partido Socialista detectado nas investigações do processo da Taguspark, apurou o PÚBLICO. O antigo jogador não é dirigente do PS e, como tal, está afastado do rol de suspeitos, ao contrário do que escreve a edição de hoje do Correio da Manhã, segundo a qual o antigo internacional português está a ser investigado no âmbito da investigação do Ministério Público ao financiamento ilícito da campanha eleitoral do PS nas legislativas de 2009.» [Público]

Parecer:

Entretanto, o CM já vendeu mais uns jornais e a mensagem passou.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

ADUANEIROS RUSSO PODEM SER DESPEDIDOS POR TEREM GRAVADO VÍDEO DE HIP-HOP

«Funcionários de alfândega russos podem vir a ser demitidos após terem gravado um videoclipe onde aparecem a dançar e a cantar hip-hop no escritório da empresa. Segundo uma reportagem do jornal "Moscow Times", a polémica veio à tona quando as imagens foram publicadas na Internet.

Segundo o Globo.com, no vídeo, de cinco minutos, que foi filmado no escritório de Vladivostok, os funcionários aparecem com roupas extravagantes como se fossem artistas de hip-hop e de acordo com as autoridades, os agentes podem sofrer sanções disciplinares ou mesmo ser alvo de despedimento. Segundo o porta-voz da alfândega, Vladimir Zubkov, além de prejudicar a imagem do serviço, o vídeo viola as regras de segurança do escritório.» [DN]

EGYPT: THE WAIT [Boston.com]

HASAN HIZLI

WIKIPEDIA

sexta-feira, fevereiro 11, 2011

A Legolândia

Enquanto os portugueses suportam as consequências de sucessivas crises, umas internacionais e outras nacionais e com os seus efeitos ampliados pelas primeiras, uma boa parte da nossa classe política assemelha-se a uma turma de creche a brincar aos países com peça da Lego. Fazem e desfazem, não sabem o que querem construir, um começa a construir uma coisa enquanto o outro começa outro e alguns divertem-se a destruir o que os outros constroem.

Ainda ontem Louçã deu um bom exemplo disto, agendou uma moção de censura que diz mais ou menos que os outros podem andar a construir porque daí a um mês ele vai propor que se destrua tudo, para isso basta que hajam mais alguns descontentes que estejam dispostos a construir tudo de novo. Louçã aproveitou a distracção de Jerónimo de Sousa para se exibir como o puto mais traquinas da creche para conquistar a liderança dos putos mais dados a desmontar do que a construir.

Na semana passada eram os que estavam envolvidos na construção que se envolveram em discussão, tiveram de parar a obra para discutir o tamanho da sala de deputados, sem ninguém esperar o Lacão e o Assis desentenderam-se, embrulharam-se numa discussão com puxões de cabelos enquanto o resto da miudagem se divertia com a situação.

Passos Coelho é um daqueles putos que já nascem com ar de gente crescida e gosta de fazer de arquitecto, não põe uma peça mas passa o tempo a propor projectos, primeiro propôs um casa toda nova a partir de um projecto de revisão constitucional que já esqueceu, agora exige que cada novo desenho lhe seja apresentado previamente e entretém-se a fazer o papel de encarregado da obra. O problema é que quando está a ser construída a porta ele discorda do desenho da janela que já tinha sido feita e quando se pensa que se vai passar ao telhado ele propõe mais uma mudança nos alicerces.

Felizes os pequenos pouco se importam com o que estão fazendo ou desfazendo, o seu mundo é a sala onde brincam e não se precisam de se preocupar com o futuro, à tarde o copo de leite do lanche está certo e ao fim do dia vão alegres para casa onde depois da mudança das fraldas e do jantarinho vão para a caminha cansados com um dia de brincadeira.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Sala de audiências do antigo Tribunal da Boa-Hora, Lisboa

IMAGENS DOS VISITANTES D'O JUMENTO

Santiago de Compostela [A. Cabral]

JUMENTO DO DIA

Francisco Louçã, líder da esquerda conservadora

Numa clara manobra contra o BE o PCP suscitou a possibilidade de apresentação de uma moção de censura, com a sua apresentação o PCP afirmar-se-ia como líder da oposição à esquerda do PS. Na ocasião Louçã desvalorizou a moção de censura dizendo que não era uma prioridade:

«"Sabemos que no dia em que estamos a discutir não tem qualquer utilidade prática a apresentação de uma moção de censura", disse Louçã. Que acrescentou: "Apresentaremos sempre alternativas e não nos pronunciaremos sobre moções de censura que não existem ou sobre intenções vagas de apresentação por este ou aquele partido." » [DN 06.02.2011]

Contando apenas com o apoio declarado do CDS deixou de se falar da moção de censura do PCP que, em qualquer caso, só a deveria propor depois da sua liderança a aprovar o que neste partido obedece a regras e leva o seu tempo. Louçã que lidera um partido que se for necessário precisa apenas de uma mesa e de umas imperiais para decidir o futuro do país não perdeu tempo e antecipou-se ao PCP avançando com a sua moção de censura.

Para o BE e Louçã esta coisa do futuro do país é mesmo uma brincadeira de crianças, talvez Manuel Alegre levou uma tareia humilhante nas presidenciais. Talvez por isso mesmo, Louçã que não conseguiu dividir o PS com o apoio a Manuel Alegre tira agora a moção de censura da manga.

É para que Alegre aprenda a conhecer com quem andou metido e quem andou a ajudar durante quase cinco anos.

«Francisco Louçã anunciou hoje, no debate quinzenal no Parlamento, que irá apresentar uma moção de censura ao Governo daqui a um mês, no dia 10 de Março - um dia depois da tomada de posse de Cavaco Silva.

Caso Passos Coelho decida que o PSD vote a favor da moção, isso significará a queda do Governo de José Sócrates e, quase inevitavelmente, a convocação de eleições antecipadas.

O anúncio do Bloco surge dias antes do PCP reunir o Comité Central para discutir a apresentação de uma moção de censura. » [DN]

FINALMENTE ENTENDI OS CRITÉRIOS DO MP

O Ministério Público só investiga quando cheira mal, talvez seja por isso que quando se habitua demasiado não sente o mau cheiro.

A I-CONFISSÃO É BOATO DA APPLE

«Durante 24 horas planou a notícia de que a Igreja Católica tinha mordiscado a maçã do pecado electrónico. Anteontem, o iPhone, da Apple (a da marca com a maçã provocadora), anunciou um novo produto: "Confissão: Uma Ferramenta Católica Romana". Com um software testado por padres e até abençoado por um bispo do estado de Indiana, Estados Unidos. Logo surgiu um boato: para o seu mais secreto ritual, a Igreja abdicava de intermediar, a coisa passava a ser só entre o crente e a máquina. Com a nova aplicação do iPhone (barata, não chegava aos dois dólares), já não se confessava, mandava-se uma espécie de sms? Já não se perdoavam os pecados, fazia-se delete? Já não haveria penitências, bastava recarregar o cartão? Fiéis com a consciência mais pesada já se perguntavam se iria haver no mercado produtos com gigabytes extra de memória... Homens de fé a mais no progresso! Ontem, a milenar Igreja Católica - a sede da firma, em Roma - veio recolocar a confissão no seu habitual lugar, o confessionário. Ninguém se confessa por iPhone: o sacramento continua a precisar do binómio crente/sacerdote. O tal novo produto da Apple, "Confissão", é só uma ajuda no tradicional "exame de consciência." No fundo, um recordar electrónico dos pecados descritos nos Dez Mandamentos. A única novidade passa a ser esta: "E que pecados cometeste, meu filho?" - "Padre, não sei, estou sem bateria." » [DN]

Autor:

Ferreira Fernandes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

AO MENOS ANDAMOS FELIZES

«Um estudo realizado em cinco países da Europa revela que 88% das mulheres portuguesas estão realizadas sexualmente e 81% têm relações pelo menos uma vez por semana.

Um estudo feito pela consultora internacional Stategy One e apoiado pela Pfizer, realizado junto de 2500 mulheres de países como Alemanha, Portugal, Áustria, Espanha e Suécia, todas com parceiro e relações estáveis, indica que 88% das portuguesas estão realizadas sexualmente. Em segundo lugar surgem as espanholas (75%) seguidas das austríacas (74%).

Portugal vence também no campo da frequência sexual. 81% das mulheres portuguesas têm relações pelo menos uma vez por semana, seguem-se as espanholas (68%).

O estudo vem hoje publicado nas páginas do jornal "El Mundo". Clique aqui para ver mais informação.» [DN]

Parecer:

Por enquanto nem todos os prazeres pagam imposto.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

OLIVEIRA E COSTA GANHOU MUITO MAIS

«O negócio, descrito hoje pelo inspector tributário Paulo Jorge Silva, testemunha arrolada pelo Ministério Publico no julgamento do caso BPN, ocorreu a 29 de Dezembro de 2000, envolvendo sociedades 'offshore' com contas no BPN Cayman e na sucursal do BPN em Paris.

Oliveira e Costa recebeu 15,95 milhões de euros da 'offshore' Venice (do grupo SLN) nesta data pela venda de cerca de 7 milhões de títulos da empresa pelo preço de 2,20 euros cada, depois de as ter adquirido horas antes, no mesmo dia, ao preço unitário de um euro. Ou seja, segundo a testemunha, o antigo banqueiro realizou uma mais valia de 8,7 milhões de euros neste negócio relâmpago.

Paulo Jorge Silva precisou que, no ano seguinte, Oliveira e Costa declarou os ganhos obtidos nesta operação na sua declaração de IRS, pagando o imposto à taxa de 10 por cento, num montante de 870 mil euros. "Esta foi das poucas mais valias de que tenho conhecimento que foi declarada", por Oliveira e Costa, relatou a testemunha, que é especialista em auditorias financeiras.» [DN]

Parecer:

Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte ou é estúpido ou não tem arte. De qualquer das formas ganhou mais ou menos a mesma percentagem de que beneficiou o seu antigo primeiro-ministro.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento aos outros accionistas da SLN.»

A INFLAÇÃO ESTÁ DE VOLTA

«A inflação mensal em Janeiro foi de 3,6%, superior 1,2 pontos percentuais ao registado em Dezembro de 2010, indicou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).O índice harmonizado dos preços no consumidor cresceu 0,5% em Janeiro, face a Dezembro, atingindo um crescimento médio nos últimos doze meses de 1,7%. » [DN]

Parecer:

Mais uma perda no rendimento dos portugueses.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Acrescente-se aos aumentos de impostos e aos cortes de vencimento e façam-se as contas.»

O CONGRESSISTA QUE PROCURAVA NAMORADAS

«Christopher Lee apresentou quarta-feira a demissão da Câmara dos Representantes depois de terem sido tornadas públicas fotos suas em tronco nu num portal da Internet de contactos para procurar parceiros.

"Lamento o dano causado à minha família, à minha equipa e aos eleitores que me escolheram. Peço profundas e sinceras desculpas a todos eles. Cometi erros graves e prometo trabalhar o mais duro possível para conseguir o perdão deles", afirmou Christopher Lee no comunicado da sua renuncia.

Christopher Lee, casado e com um filho, é membro da Câmara dos Representantes do Estado de Nova Iorque desde 2008 e foi reeleito no escrutínio de 2010.

"Os desafios que enfrenta Nova Iorque e o país são demasiado sérios para que permita que esta distracção continue, pelo que anunciou que me demito do Congresso com efeitos imediatos", acrescentou.

A demissão do congressista republicano, de 39 anos, aconteceu poucas horas depois de uma página na Internet ter publicado as fotografias de Christopher Lee sem camisa e as mensagens colocadas numa popular página de contactos norte-americana.» [DN]

Parecer:

Estes republicanos gostam muito de ser exemplares.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «E por cá?»

AGORA É SILVA PEREIRA QUE FALA DOS JUROS?

«O ministro da Presidência admite que o juro de Portugal é "elevado" e "não tem correspondência com os fundamentais da economia".

"O movimento de subida dos juros que hoje se verificou da parte da manhã não foi específico para Portugal. Foi um movimento que aconteceu em relação a diversos países europeus", argumentou Pedro Silva Pereira ao falar no final do Conselho de Ministros.

Questionado sobre o avanço do juro das Obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos, que hoje atingiu um novo máximo histórico, nos 7,636%, o ministro da Presidência acrescenta que ""a notícia mais recente é que os juros se encontram já a cair outra vez".» [DE]

Parecer:

Ficamos com a impressão de que desde há algum tempo o ministro das Finanças se eclipsou.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Informe-se Teixeira dos Santos de que os juros estão muito acima dos 7% a partir dos quais ele disse que Portugal recorreria ao FMI.»

PASSOS COELHO COMEÇA A PERCEBER

«O líder do PSD acrescentou, ao falar em Paris, que "se a situação se mantiver, tem de haver acções concertadas da parte portuguesa e europeia" para que os custos de financiamento de Portugal estejam "mais de acordo com o nível de crescimento económico" do País.» [DE]

Parecer:

Já não fala no FMI, percebeu que mesmo que Portugal recorrese ao FMI teria de enfrentar a especulação.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Passos Coelho quem lhe deu explicações de economia, terá sido algum mísero professor?»

PORTUGAL GANHA COM PROCURA DE LÍTIO

«Um estudo hoje divulgado pela empresa de consultoria MarketResearch.com indica que a procura de litío para a construção de baterias de iões de lítio para a indústria automóvel vai quadriplicar ao longo dos próximos 10 anos.

O mesmo estudo inidca que em 2010 o mercado mundial de lítio ascendeu a 11 mil milhões de dólares (€8 mil milhões), mas que em 2020 deverá rondar os 43 mil milhões de dólares (€31,5 mil milhões).

Alguns analsitas do setor extractivo garantem ao Expresso que Portugal tem aqui uma oportunidade única para "marcar pontos" neste importante mercado, pois atualmente já é o 5º maior exportador mundial de lítio, e tem potencial de exploração para mais 70 anos. Estes dados são confirmados, aliás, pelo Departamento de Energia norte-americano. » [Expresso]

Parecer:

À falta de petróleo...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

ISABEL ALÇADA "RENDEU-SE"

«Deixar de apoiar 214 turmas das escolas privadas com contrato de associação era a intenção da ministra Isabel Alçada, mas decidiu agora recuar e financiar metade destas turmas, pelo menos, até ao ano lectivo de 2013/14. E assim termina a guerra que se arrastava há quase dois meses entre o Ministério da Educação e a Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo (AEEP).

O acordo entre ambas as partes chegou ontem à noite com a ministra a anunciar que a redução das turmas vai ser gradual e que os protocolos estabelecidos com os colégios ou os externatos que prestam serviço público serão assinados por "cinco anos", até nova avaliação das necessidades da rede pública.» [i]

Parecer:

Parece que esta ministra foi escolhida para render-se.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamentem-se os sucessivos recuos de Isabel Alçada.»

FINALMENTE SÃO ADOPTADOS APOIOS À EXPORTAÇÃO

«O Conselho de Ministros aprovou hoje uma proposta que permitirá às empresas exportadoras deduzirem, em sede de IRC, 120% dos custos associados a funcionários deslocados no estrangeiro. O benefício fiscal, que terá de ser aprovado pela Assembleia da República, deverá vigorar entre 2011 e 2013.

“Os encargos em causa referem-se a despesas, por período não inferior a três meses, escrituradas a título de remunerações, ordenados ou salários, fixando-se o montante máximo da majoração anual, por trabalhador, num valor equivalente a 14 vezes a retribuição mínima mensal garantida”, precisa o comunicado do Conselho de Ministros.

A medida, enquadrada na Iniciativa para a Competitividade e o Emprego, é acompanhada de três outras que visam reduzir os custos administrativos das empresas exportadoras, no âmbito do programa Simplex Exportações.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Foi necessário o país estar com a corda ao pescoço para se adoptarem medidas que há muito deveriam estar em vigor.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

A QUEM É QUE OLIVEIRA E COSTA VENDEU AS ACÇÕES MAIS BARATAS?

«Paulo Jorge Silva, inspector fiscal que colaborou com a Polícia Judiciária no caso do Banco Português de Negócios (BPN) e que é testemunha do Ministério Público, revelou hoje que, depois de um aumento de capital em Dezembro de 2000, Oliveira Costa vendeu um lote de 250 mil acções da SLN a um particular.

Sem revelar nomes, a testemunha esclareceu que se tratou de acções próprias do antigo presidente do BPN e que estas foram vendidas por um euro. Nem os advogados presentes, nem o Ministério Público inquiriram a testemunha sobre a identidade deste particular.

Mais tarde, em Maio de 2001, Oliveira Costa vendeu um novo lote de acções a outro particular, mas subiu o valor para 2,11 euros por acção. Neste caso, Paulo Jorge Silva revelou o nome do comprador: Armando Almeida.

Recorde-se que se sabe que Cavaco Silva adquiriu acções da SLN no início de 2001 e que, no total e em conjunto com a filha, comprou um total de 250 mil acções pelo valor de um euro, tendo posteriormente vendido os títulos por 2,40 euros.» [Público]

Parecer:

O estranho é que ninguém tenha perguntado.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se à testemunha quem foi o beneficiado pela generosidade de Oliveira e Costa.»

É RPOIBIDO CRITICAR O GOVERNO?

«O ministro da Presidência considerou hoje "absolutamente lamentável" as declarações de Passos Coelho em Paris, que afirmou que a liquidez de Portugal tem sido feita à custa de "taxas insustentáveis" que têm um "custo insustentável a médio e longo prazo".

"A instabilidade e os comentários feitos pelos restantes partidos não ajudam o país, é o pior que se pode fazer num momento em que o importante é passar uma mensagem positiva", afirmou Pedro Silva Pereira, no final da reunião do Conselho de Ministros.» [i]

Parecer:

Passos Coelho disse em Paris duas coisas que são óbvias, que a liquidez do Estado é suportada por taxas insuportáveis e que isso é insustentável a longo prazo, o que o líder do PSD disse é o que dirá qualquer economista, basta fazer as contas, um país que deve quase tanto como produz, que cresce menos de 1% ao ano e paga taxas de 6% está a produzir para os credores.

Disse-o em Paris o que nos dias de hoje não é crime, o que se diz em Portugal é lido em Paris na mesma hora e vice-versa, além disso Passos Coelho estaria em Paris na condições de líder do PSD e de um líder político não se pode esperar que vá a Paris dizer apenas que o seu país tem um excelente clima.

Criticar Passos Coelho por isto é o mesmo que defender que o líder de um partido da oposição está inibido de se pronunciar sobre os problemas do país, por mais graves que eles sejam. Ou o primeiro-ministro ou o ministro das Finanças nunca se pronunciaram sobre a situação financeira do país quando estão no estrangeiro. Mais graves, por exemplo, foram as declarações que em tempos fez Teixeira dos Santos de que Portugal recorreria ao FM quando os juros ultrapassassem os 7%, os especuladores chamaram um figo a estas declarações que custaram muito ao país e o ministro ainda está no cargo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Silva Pereira que se preocupe menos com o que diz Pedro Passos Coelho.»

DIONYS MOSER

LAV