sábado, julho 11, 2015

Já estava à espera

A previsibilidade daquilo a que se convencionou designar por “justiça” é tal que me lembra a anedota do compadre que fez os seu baptismo de voo numa avioneta e que experimentou a sensação de um looping. Quando chegou a terra o piloto perguntou-lhe o que ele tinha sentido durante a experiência. O compadre explicou-lhe que “ quando a avioneta começou a subir eu já sabia eu já sabia que me ia mijar pelas calças abaixo, quando começou a descer borrei-me todo como esperava, mas do que eu não estava à espera era que depois desse uma volta a a merda me caísse em cima da cabeça.
  
Já qui alertei que se a tal “justiça” sabia que Sócrates era corrupto e até já conhecia um preço o próximo passo seria encontrar a decisão pela qual teria cobrado e isso implicava envolver terceiros. Isso significava que até às eleições legislativas seria de esperar a ocorrência de mais umas prisões, desta vez de algum ministro e/ou de algum secretário de Estado que tenham emprestado a assinatura ao primeiro-ministro, já que não é costume os primeiros-ministros envolverem-se em negócios. 
  
Parece que, pelo menos até agora, a “justiça” deixou os governantes de parte, optou por uma pista mais “óbvia”, uns tempos depois de ter constituído arguido alguém ligado ao Vale de Lobo descobriu que o administrador da CGD na ocasião era o Vara, uma espécie de corrupto para todos os serviços. Há muito que Vara leva por tabela e se o primo da China não serviu para entalar Sócrates no passado, temos os amigos ricos e ganhadores que dão mais jeito do que um monge dedicado às artes marciais.
  
Portanto, não me surpreendeu a entrada do tempo da justiça pelo tempo da democracia dentro tal como tinha apostado no passado. Do que não lembrei foi da possibilidade de a merda ter sido atirada pela cabeça do António Costa abaixo. É evidente que estamos perante uma mera coincidência, que a “justiça” respeita a separação de poderes e não se mete em política, bla, bla, bla, que a detenção de vara não ocorreu antes porque só agora repararam que ele tinha sido administrador da CGD. Temos de acreditar que a justiça tem o seu próprio tempo e que não passa pela cabeça de ninguém em utilizar os poderes que a democracia lhe dá pra destruir a democracia.
  
A detenção do vara tinha mesmo de ser naquele dia e o facto de ocorrer antes de uma entrevista do António Costa, mas como sou daqueles que não acreditam em bruxa deixo aqui um conselho aos amigos de José Sócrates ou mesmo dos amigos dos seus amigos, tenham sempre à mão uma mala das que têm as grávidas para o caso de lhes rebentarem as águas de um momento para o outro. Eu próprio já tenho medo de alguma vez ter tomado o café com algum amigo do Sócrates ou nas imediações de uma agência da CGD e garanto que quando o António Costa voltar a dar uma entrevista vou esconder-me em parte incerta.

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _28_zpsntgg0bom.jpg

o "28", Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Sebastião Póvoas, meretíssimo do Supremo

De vez em quando os juízes do Supremo brindam-nos com algumas pérolas preciosas, desta vez ficámos a saber que num país e por respeito à separação dos poderes podem haver duas línguas oficiais, a praticada no país e a que está em vigor nos tribunais pois o governo não pode decidir sobre a língua praticada pelos juízes. Se um dia formos a um tribunal e aí se falar o castelhano não se admirem, algum juíz do supremo pode ter concluído que todas as decisões governamentais em matéria linguística adoptadas desde Afonso Henriques foram uma violação da separação de poderes e por isso a língua oficial dos magistrados é a de Madrid na versão arcaica.

«O vice-presidente do Supremo Tribunal de Justiça Sebastião Póvoas considera que a aplicação da resolução do Conselho de Ministros que obrigou as escolas e todos os organismos do Estado a aplicar o novo acordo ortográfico é inconstitucional e não pode ser aplicada também nos tribunais.

“Independentemente de abordar a constitucionalidade e a legalidade desta resolução, é inquestionável que a mesma não se aplica aos tribunais mas, apenas, e eventualmente à Administração Pública”. Sebastião Póvoas denuncia que o Conselho de Ministros, com esta resolução que é “inconstitucional a título orgânico”, violou “os princípios da separação de poderes”, não respeitou a “equiordenação entre os órgãos de soberania” e a “independência dos tribunais“. Acusa também o Conselho de Ministros de “usurpação de poderes”.

A denúncia foi deixada pelo magistrado da mais alta instância judicial em Portugal numa declaração de voto de vencido a propósito da decisão do Supremo que recentemente confirmou a pena disciplinar ao juiz Rui Teixeira por este ter rejeitado receber documentos com o novo acordo ortográfico. “Nos tribunais, os factos não são fatos, as actas não são uma forma do verbo atar, os cágados continuam a ser animais e não algo malcheiroso e a Língua Portuguesa permanece inalterada até ordem em contrário”, escreveu então Rui Teixeira num despacho.» [Público]

 A vedeta do dia

 photo _vedetas_zpsbytzk3ir.jpg

Jerónimo de Sousa, um político a quem Passos Coelho muito deve e de cujas posições parece continuar a ser beneficiário, apressou-se a chamar para si os holofotes. Pela forma como fala até parece que alguma vez, em democracia, houve algum governo que tenha tido o seu apoio. Como é costume o líder do PCP apressou-se a tomar posição para conseguir tempo de antena à custa de António Costa, gesto que uma comunicação social comandada pela direita até agradece.

 O tratamento digno que Portugal não teve

A Grécia está negociando o terceiro resgate com um Eurogrupo composto pelos ministros das Finanças do Euro e onde está presente a directora do FMI e o presidente do BCE, após o que o acordo será decidido ao mais alto nível, numa reunião de chefes de Estado e de governo. Por cá, foram técnicos de segunda e terceira linha que vieram a Portugal e impuseram a sua experiência. Esta vitória da Grécia não pode ser ignorada.

 A campanha eleitoral está ao rubro

No dia em que estava agendada uma importante entrevistas de António Costa à TVI e TVI24 a PGR decidiu agenda a detenção de Armando Vara.

 Assim escreve um gajo rasca

Este Melo é mesmo muito rasca, um eurodeputado que ignora as estatísticas da OCDE que aponta a Grécia como o país da Europa onde mais se trabalha r prefere a calhandrice para falar de um assunto sério, um vómito:

«Em 2012 os credores perdoaram à Grécia - significa que prescindiram de receber - cerca de metade da sua dívida, num montante de 105 mil milhões de euros, superior à totalidade da ajuda externa concedida a Portugal. As contrapartidas seriam reformas estruturais, num país que espantava o Mundo por casos insólitos, com exemplos em salários pagos a 45 jardineiros pela manutenção de quatro árvores à porta de um hospital, a 50 motoristas para condução de um carro oficial, pensões vitalícias a milhares de jovens mulheres por serem filhas solteiras de funcionários públicos falecidos, milhares de pensões de reforma a pensionistas mortos, subsídios a trabalhadores ferroviários para lavarem as mãos, prémios a sete mil trabalhadores por carregarem envelopes, ou subsídios a filhas de militares, pelo simples facto de o serem, até casarem ou atingirem 28 anos de idade.» [JN]

 A próxima entrevista de António Costa

Quando for anunciada outra entrevista de António Costa a uma televisão a dúvida não vai ser que respostas dará o líder do PS às perguntas que lhe forem feitas, em vez disso o país vai ficar em suspense para saber quem vai ser preso umas horas antes. Resta-nos esperar que a entrevista não seja numa sexta pois o detido de ocasião arrisca-se a ficar o fim de semana na polícia metropolitana de Lisboa a esperar pelo próximo dia útil. Isto começa a roçar o ridículo.

      
 Gregos para perceber
   
«Irlanda e Portugal conseguiram, e nós falhámos". Dita pelo antigo PM Papandreou, num comício pró nai (sim) na semana antes do referendo, a frase leva-me a perguntar para o lado, a uma jovem que foi candidata a deputada pelo novo partido de Papandreou nas eleições de 2015, o que sabe do meu país. Fica boquiaberta quando debito o valor da dívida portuguesa e o quanto subiu nos últimos quatro anos: "Ah, não fazia ideia. Não é o que lemos nos jornais". O mesmo sucede com outras pessoas que me perguntam como está Portugal e a quem recito indicadores do Banco de Portugal sobre o modesto crescimento da economia e o facto de ser baseado sobretudo na procura interna e na compra de bens como automóveis, eletrodomésticos, etc, ao invés de, como o Governo pretende, no crescimento das exportações. "Mas ao menos conseguem financiar-se no mercado", diz um dos entrevistados. Sim, é verdade. E não terá isso muito mais a ver com o mercado e suas perceções e intenções - como desde o início da crise das dívidas soberanas -, e a forma como são propagandeadas nos media, do que com o real estado de cada país e o que cada um fez nos famosos "ajustamentos"?

Perceções, então: a Grécia, repete-se, "não fez o que devia ter feito" e tem um governo "de extrema esquerda" que quer "estragar todo o trabalho, recuando nas reformas estruturais". Bom, para começar, se a Grécia "não fez o que devia ter feito", como é que a culpa seria do governo atual, no poder desde janeiro? Não será de assacar as culpas ao Nova Democracia de Samaras, que governou de 2012 a 2015, ao PASOK de Papandreou (2009 a 2011), mais ao "governo de unidade nacional", que esteve entre os dois?

Depois, em que "reformas estruturais" terá recuado o primeiro-ministro Tsipras? A do fecho da TV pública, será isso? Como Portugal, a Grécia aumentou o IVA para 23%; Tsipras não o desceu. O ordenado mínimo foi cortado de 751 para 585 euros em 2012; Tsipras prometeu aumentá-lo - em 2016. O 13º e 14º mês foram cortados desde 2010 aos pensionistas e funcionários públicos, que sofreram vários outros cortes, muito mais elevados que em Portugal; ainda não lhes foram devolvidos. Aliás, quando o Supremo Tribunal Administrativo (o TC deles) anunciou, a 10 de Junho, que os cortes nas pensões efetuados desde 2012 são inconstitucionais, assim como os nos salários nas universidades, o governo afirmou que iria "respeitar a decisão mas só de acordo com as possibilidades orçamentais" (por qualquer motivo, não vimos o BE nem o PCP comentar estas palavras).

Portanto, expliquem lá: porque é que Portugal é "bom aluno" e a Grécia cábula? É porque o PIB da Grécia encolheu 27% nestes cinco anos a fazer o que lhe mandaram e portanto tem de se sangrar ainda mais a ver se melhora, enquanto a fustigam com o "sucesso" português? O fulgurante sucesso que Passos e Portas inventam a cada discurso, com a mesma desvergonha e despudor com que em 2011 prometeram - tal qual Tsipras - acabar com a austeridade.» [DN]
   
Autor:

Fernanda Câncio.

      
 Chovem candidatos a Belém
   
«Rui Rio tem estado na linha da frente dos potenciais candidatos sociais-democratas às eleições presidenciais. A linha oficial do partido, porém, não se altera: a candidatura a Belém só será assunto já depois das legislativas.

O semanário Sol, porém, adianta queRio está decidido a concorrer a Belém e deverá mesmo apresentar a sua candidatura já este mês, embora opte por não fazer campanha durante o verão.

Desta maneira, o ex-autarca do Porto marca já o seu lugar na corrida a Belém, sem no entanto desvirtuar a linha oficial do partido, que tem nas eleições legislativas a sua grande prioridade.

Ao semanário, fontes próximas adiantam que Rio também se quererá resguardar de um eventual cenário de derrota nas legislativas. Deste modo, não deixaria margem para que o seu nome fosse associado a uma possível sucessão de Passos Coelho, já que a liderança do partido não é a preocupação imediata.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Depois da tristeza que foi o mandato de Cavaco Silva parece que todos se sentem em condições a serem presidentes e concorrem a Belém como se estivessem concorrendo à junta de freguesia do Restelo. Ao que parece até já há quem se candidate para não o obrigarem a ser líder do PSD depois da derrota de Passos Coelho!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Esses alemães são uns gandulos
   
«Quais são os países onde trabalham mais horas?  A OCDE publicou esta quinta-feira a sua base de dados de 2014 e permite concluir que o México lidera a tabela dos mais trabalhadores (2228 horas anuais). Portugal está no 12º lugar  (1857 horas) entre 40 países industrializados, à frente da Espanha (1689 horas) e com larga distância para a Alemanha (1371).

Na Europa, o país que dedica mais horas ao trabalho é a Grécia (4º lugar). A diferença para a Alemanha, o país que fecha a tabela da OCDE, é de 671 horas.

A OCDE adverte que as comparações entre países podem estar enviezadas porque os cálculos baseiam-se no total das horas trabalhadas, tendo em conta o número médio de empregados. Os resultados de países como Holanda ou Alemanha, com níveis elevados de emprego a tempo parcial, ficam distorcidos

Apesar das ressalvas, a estatística evidenciam que o número de horas trabalhadas por funcionário na Alemanha reduziram-se nos últimos anos, o mesmo não se verificanco na generalidade dos países do sul da Europa.» [Expresso]
   
Parecer:

Eles é que deviam ter aumentado os horários de trabalho e cortado nos feriados.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento ao incompetente Passos, se é que não está nalguma sessão fotográfica a exibir as desgraças familiares na esperança de alcançar votos.»
  

   
   
 photo Simona-5_zpsynwxneso.jpg

 photo Simona-3_zpsp4lsmpip.jpg

 photo Simona-4_zpsipa3o2qs.jpg

 photo Simona-1_zpsuprb6y2x.jpg

 photo Simona-2_zpskt8rfulm.jpg
  

sexta-feira, julho 10, 2015

Uma campanha em que vale tudo

Não via a entrevista dada a Judite de Sousa por António Costa, nunca gostei da senhora, nunca consegui distinguir dela a jornalista da activista da direita, não tenho paciência para o seu ar emproado e não me pareceu que das perguntas delas resultasse a possibilidade de António Costa dizer o que os portugueses precisam de saber. Num qualquer serviço de informação vi breves imagens da entrevista em que a senhora perguntava a António Costa se voltaria a visitar Sócrates em Évora o que confirmou que fiz bem em não ter dado credibilidade ao trabalho jornalístico da triste personagem.

Esta é uma campanha em que vale tudo, em que se saneiam as poucas personalidades que incomodam a direita nas televisões, em que o MP vai agendando prisões e interrogatórios de forma a transformar os momentos processuais de uma justiça em que já poucos acreditam em verdadeiros comícios. A direita dá o tudo por tudo por preservar o poder, por manter a proximidade em relação ao OE, por poder continuar uma agenda política que constitui uma vingança em relação aos últimos 40 anos.

OS que imaginavam que a democracia já nos estava na massa do sangue estavam enganados, nesta democracia o presidente há muito que o deixou de o ser, a separação de poderes só funciona para que os políticos não se metam com os magistrados, os jornalistas troca tudo a troco de uma viagem a Las Vegas ou por uns bilhetes de avião pagos por um novo patrão da TAP que gozou com o país ao inventar um esquema de fraude à lei para ter uma companhia aérea europeia.
  
As sondagens são claramente manipuladas o que nem é difícil, escolhem-se os resultados e depois ajeitam-se as opções estatísticas e as respostas ao resultado pretendido. As sondagens manipulam as opiniões e dessa forma ajudam a manipular os resultados. 
  
Os que querem que esta política mude e o país ponha fim a esta contra-revolução liberal têm de assumir-se de fazer tudo para derrotar a direita no poder e impedir um novo governo, nem que isso implique dizer a políticos como Jerónimo de Sousa que não queremos mais governos de direita eleitos com a sua ajuda. Ou Portugal muda de governo ou não mudará de políticas.

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Moura_zpssjvavmjt.jpg

Moura
  
 Jumento do dia
    
Pires de Lima, santinha da Horta Seca

Pires de Lima, um conhecido brincalhão do CDS, sempre disse que não se metia na gestão das empresas, aliás ele não se mete em nada a não ser passear no estrangeiro e vender empresas públicas. Mas parece que a PT é uma excepção e como estamos em tempos pré-eleitorais é necessário impedir os despedimentos ou, pelo menos, adiá-los para depois da eleições.

«Vamos estar atentos às declarações prestadas [por Armando Pereira, presidente da PT Portugal] de que não irá haver despedimentos. É uma empresa que emprega muita gente", afirmou esta quinta-feira António Pires de Lima, ministro da Economia, no lançamento do programa da PT para a Economia Digital.

Foi um discurso cheio de mensagens o que Pires de Lima fez na primeira conferência de imprensa em que esteve presente Armando Pereira, o acionista português da Altice, a nova dona da PT Portugal. O ministro da Economia apelou a Armando Pereira que cumpra a sua palavra e não faça despedimentos na PT Portugal.» [Expresso]

 A comunicação social e as sondagens

Quando a direita está à frente do PS toda a comunicação social informa que a "coligação ultrapassa o PS nas sondagens", quando acontece o inverso a mesma comunicação social informa que "PS etá à frente das sondagens mas longe da maioria absoluta". Isto ée, fica-se com a sensação de que para a direita governar basta estar à frente do PS, mas para este partido ser governo terá de alcançar a maioria absoluta.

 E temos a pior ministra de sempre

 photo piores_zpscmakozsr.jpg

 A Europa e o FMI têm responsabilidades na Grécia

O facto de todos os governos gregos, incluindo o do Syriza, terem responsabilidades na situação em que a Grécia se encontra neste momento isso não pode esconder as responsabilidades dos chamados credores. Hoje é óbvio que a intervenção na Grécia, como em Portugal, não foi uma ajuda, foi antes a sujeição destes países a uma experiência económica conduzida por economistas obscuros do BCE e do FMI que se revelou um fracasso.

O resultado esperado não era um aumento brutal do desemprego, a migração de quadros para os países mais ricos que assim absorveram os grandes investimentos públicos da Grécia e de Portugal na educação e na investigação, a destruição de sectores da economia, o empobrecimento brutal. A famosa desvalorização fiscal como alternativa no quadro do euro a uma desvalorização cambial foi um fracasso.

Poder-se-á dizer que se estava em águas desconhecidos mas isso não é verdade, basta recuar aos primeiros tempos do que se convencionou chamar de "ajustamento" para se ouvirem muitas vozes a discordar do processo e alertando para aquilo que sucedeu.

O que aconteceu em Portugal roçou o criminoso, pois mal se apanharam com um governo dócil os economistas do BCE e do FMI aprofundaram a sua experiência, promovendo alterações sucessivas do memorando nas costas dos portugueses e com o conhecimento apenas do governo e do seu dócil presidente.

É preciso chamar os bois pelos nomes, os economistas do BCE e do FMI foram incompetentes e a sua incompetência foi criminosa pois dela resultou a fuga de milhares de trabalhadores qualificados e de quadros, a morte de pessoas, a destruição de empresas, a desagregação de muitas famílias. Seriam necessários muitos gangues mexicanos e muitos ladrões para roubar tanto e destruir tanto em tão pouco tempo. É preciso chamar essa gente à responsabilidade pois são criminosos de delito comum.
  
 Preciosismo aritmético

 photo preciosismo_zpsvcnf26mr.jpg

Tal como os especialistas em marketing transformara em moda os preços acabados em ,99, passando a ideia subliminar de o produto "custa menos de..:" também o Jornal de Negócios não fez como todos os jornais e em vez de arredondar para 5% informou que a vantagem do PS nas sondagens é de 4,9%o que significa que convertidos em número de deputados isto vai dar menos uma perna de um deputado, isto é, na próxima legislatura o parlamento vai ter um perneta, já que coxos há lá muitos. A acompanhar o título curioso está uma imagem de arquivo onde Costa parece um santo.

Curiosamente, quando divulgou a última sondagem, em que a coligação aparecia à frente do PS, o Jornal de Negócios deixou-se de marketing e aritmética e arredondou os resultados. Ao fazer o arredondamento a direita aparece com 38% e o PS com 37%

Enfim....

      
 António Costa é melhor em tudo
   
«A sondagem Intercampus feita para o Público, TSF e TVI mostra não só as intenções de voto dos portugueses, isto quando estamos a poucos meses das legislativas, mas também nos permite ter uma ideia de como os portugueses percecionam os líderes dos dois principais partidos. E, neste aspeto, os últimos anos de Governo já terão feito o seu desgaste à imagem de Passos Coelho.

Quando se compara o líder do PS com o líder do PSD, Costa sai vencedor em características como ‘Competente’ (32,9% contra os 27,7% de Passos), ‘Conhecedor de Problemas’ (30,9% para Costa, Passos com 27,1%) ou ‘Trabalhador’ (Costa com 30,7%, Passos com 26,7%).

Costa, aliás, triunfa claramente na principal: 'Quem tem melhores qualidades para ser primeiro-ministro?' Entre os 1014 inquiridos, 42,3% escolhem António Costa. Passos Coelho fica-se pelos 31,6%.

As principais diferenças, saliente-se, são na perceção sobre qual dos dois candidatos é visto como o mais ‘Dialogante’ e também qual mostra maior ‘Sensibilidade social’. Entre os inquiridos, 38,7% escolheu Costa, enquanto 30,3% escolheram Passos como a figura mais dialogante. Já na sensibilidade social, a liderança é clara para Costa (37,4%), contra os 24,5% de Passos.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Esqueceram-se de perguntar qual dos dois é melhor a usar os problemas da esposa para ganhar votos. Também podiam perguntar qual é o mais mentiroso ou o mais bajulador da Alemanha,
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «aça-se a sndagem para que Passos ganhe nalguma coisa.»
  
 Lembram-se do destemido juiz Rui Teixeira
   
«Num dia normal, num processo igual a tantos outros, o juiz Rui Teixeira pediu à Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais o relatório social de um arguido para calcular a pena que teria de lhe aplicar. O relatório chegou em Português da nova ortografia e o juiz de instrução do processo Casa Pia recusou o documento oficial com o argumento de que "pelo menos neste tribunal os factos não são fatos, as actas não são uma forma do verbo atar, os cágados continuam a ser animais e não algo malcheiroso e a Língua Portuguesa permanece inalterada até ordem em contrário". 

Ameaçada com uma coima, a DGRSP reescreveu o relatório no português antigo, o arguido foi condenado e o caso relatado ao Conselho Superior da Magistratura (CSM), que aplicou uma pena de advertência ao juiz porque terá recusado acatar a deliberação do conselho, que diz não ser possível que um juiz seja obrigado a escrever pelas regras do novo acordo, mas também não pode obrigar as partes a escrever pelo Português da grafia antiga. 

Agora, o Supremo Tribunal de Justiça, onde foi apreciado o recurso do juiz Rui Teixeira, confirmou a decisão do CSM e manteve a pena de advertência aplicada ao juiz. A decisão não foi pacífica e três dos sete juízes do plenário da secção de contencioso votaram contra a aplicação da sanção a Rui Teixeira. O Expresso tentou contatar o juiz, sem sucesso.» [Expresso]
   
Parecer:

Voltou à breve fama com o acordo ortográfico mas parece que acabou por aprender um princídio do direito, dura lex sed lex.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Manifeste-se desprezo pela criatura de Deus.»

 Gregos divididos
   
«Os gregos recomeçaram a movimentar-se em função dos últimos acontecimentos em Bruxelas. Um grupo associado aos apoiantes do "Sim" no referendo de dia 5 de Julho marcou uma concentração na Praça Syntagma para começar esta quinta-feira às 19h30 de Atenas. O objectivo é montar um protesto constante que dure até domingo, dia da cimeira europeia que decidirá sobre o terceiro resgate.

Segundo a convocatória deste protesto, feita pelo Facebook, o slogan será "Alexis, não voltes até teres um acordo", sendo que os organizadores contam conseguir a presença constante de manifestantes entre quinta à noite e domingo, solicitando para isso voluntários que ocupem turnos de duas horas.

Também um grupo de apoiantes do "Não" decidiu avançar com a sua própria manifestação, lançando igualmente a convocatória pelo Facebook. Neste caso o objectivo será "exigir o respeito pela decisão do povo grego". No texto de justificação da manifestação, os organizadores criticam que "na segunda-feira de manhã", o dia a seguir ao referendo, os líderes europeus tenham "fingido que não nos ouviram e regressaram com novos ultimatos".» [i]
   
Parecer:

Vamos ver qual o resultado da estratégia do Syriza. Dantes as manifestações eram contra o governo, agora são manifestações de gregos contra as manifestações dos outros gregos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se para ver como isto acaba.»

 Greande cabresto!
   
«O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, diz que nos próximos dias a dívida grega vai ser discutida, mas vê “pouca margem de manobra para a reestruturação”.

O governante alemão disse ainda, em tom de brincadeira, que já tinha falado com o secretário de Estado do Tesouro norte-americano, Jack Lew – que tem insistido para uma resolução rápida da situação grega – e lhe disse que estava disposto a trocar Porto Rico pela Grécia. “Nestes dias ofereci ao meu amigo Jack Lew que estávamos dispostos a aceitar Porto Rico na zona euro, se o os Estados Unidos estivessem dispostos a aceitar a Grécia no euro”.» [Observador]
   
Parecer:

Nunca os responsáveis europeus desceram tão baixo na Europa, este senhor sente-se na capital do III Reich.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

   
   
 photo Andreas-Stridsberg-3_zpsoohqqqbz.jpg

 photo Andreas-Stridsberg-1_zpst5llormi.jpg

 photo Andreas-Stridsberg-2_zpse6lwbnpg.jpg

 photo Andreas-Stridsberg-4_zps3kwamjpp.jpg

 photo Andreas-Stridsberg-5_zpsynutzp19.jpg
  

quinta-feira, julho 09, 2015

A nossa ilha grega

 photo Divida-SS_zps9i1cl6vw.jpg

O discurso oficial do governo português quase desde o primeiro dia em que tomou posse apenas depois disso é o de que Portugal não é como a Grécia. E não é, geograficamente temos dois pequenos arquipélagos, as Berlengas, o Pessegueiro e em nenhuma delas se servem garrafas de champanhe a 120.000 € a não ser talvez, nalguma festa do PSD madeirense, temos cagarras para Cavaco apanhar, muitas gaivotas, bananas e pouco mais. Mas como o tema não nem as cagarras, nem o champanhe, mas sim o comportamento dos governos é importante referir que temos por cá uma importante ilha grega, a segurança Social. É uma ilha que tem o estatuto de protectorado do CDS e que é administrada por um tal Lambretas, administrador colonial designado por Passos Coelho.
  
No gráfico fica evidente que desde 2007 que a dívida à Segurança Social quase triplicou, entre 2010 e 2014 passou de  7,2 mil milhões para 11,5 mil milhões, um aumento brutal da ordem dos 60%. Está aqui uma das causas mais importantes do desastre anunciado do sistema de segurança social. A diminuição da TSU das empresas verificou-se mesmo por esta via, beneficiando aquelas que não cumprem as suas obrigações e se apropriam dos descontos dos trabalhadores.

A famosa desvalorização fiscal tem sido feita ao nível da TSU de forma encapotada, escondida atrás da incompetência da SS devidamente protegida e acarinhada pelo ministro da tutela. Só que esta desvalorização fiscal que se traduz na isenção total da TSU das empresas e a apropriação pro estas da TSU paga pelos seus trabalhadores não se destina a favorecer as empresas cumpridoras, antes pelo contrário, funciona como um incentivo às empresas incumpridoras, um estímulo à economia informal.

O descalabro e pouca vergonha é tal que até no ano do perdão fiscal a dívida aumentou em 14%, quando devia ter diminuído substancialmente.

E o que faz o governo? Diminui as pensões e anuncia um corte adicional de 600 milhões!. A filosofia de base é a seguinte: A causa do desastre da SS são os empresários incumpridores, a quem o governo permite tudo, em especial que continuem a não cumprir, como o gráfico demonstra. Quem paga as consequências são os pensionistas. Falta dizer que a segurança social foi gerida, neste governo, pelo Big MAC, primeiro directamente e agora por uma das suas invenções, o Agostinho Branquinho, ambos sob o comando do Lambretas.

Falta dizer que ao mesmo tempo que a dívida da SS disparou, a do Fisco diminuiu. O país possui 2 sistemas de cobrança coerciva do Estado, um que funciona e o outro não. Mas se o do fisco funciona isso não é obra do Núncio Fiscoólico, um rapaz que assumiu o papel de responsável pela comunicação da administração fiscal, gerindo este dossier em proveito próprio e, como se viu com a famosa lista VIP, deixam-se cair os quadros da AT para protecção do secretário de Estado.

Mas há um lado perverso na eficácia da máquina fiscal, esta está orientada fundamentalmente para os trabalhadores pois para as empresas não só há reduções da carga fiscal como se promovem amnistias e perdões fiscais. Ao contrário do que o pessoal do Paulo Portas apregoa o aumento da eficácia fiscal vem detrás, não se devendo nem às iniciativas, nem à suposta competência dos governantes.

Se toda a administração pública fosse gerida como o é a Segurança Social onde, por mais incrível que apreça, os gestores são melhor remunerados do que em qualquer outro serviço do Estado, Portugal não seria apenas como a Grécia, estaria bem pior do que a Grécia. Aquilo que se passa na Segurança Social é um crime contra Portugal, um crime premeditado promovido pela rapaziada do CDS e por gente como o Branquinho e o Big MAC.

Só mais uma pequena curiosidade: porque razão a Segurança Social mantém offline a lista dos devedores à Segurança Social, lista cuja última actualização é de 2013? Quem é que o CDS e o Big MAC estão protegendo, o que é que eles não querem que os portugueses saibam? Quando Paulo Portas voltar a fazer comparações com a Grécia o melhor é ficar calado e ter vergonha na cara.


Artigo de Elizabete Miranda no Jornal de Negócios de Negócios.

 photo SS-artigo_zpspihzeiwg.jpg

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Arraiolos_zpslmtqnhaz.jpg

Arraiolos
  
 Jumento do dia
    
Passos Coelho

Passos Coelho prometeu não usar a doença da esposa para fins políticos e durante muito tempo a comunicação social respeitou essa vontade. Mas com o último livro produzido para o culto da sua personalidade essa promessa foi esquecida de forma pouco digna. Agora é o CM que dá a grande notícia de que a esposa foi com ele a um acontecimento com a cabeça descoberta, é óbvio que o jornal e o tempo dedicado na CMTV só foi possível porque Passos Coelho o permitiu se não o pediu. Lamentável.

 OXI?

 photo Obama-OXI_zpskcpmyko5.jpg

 #Dontpanic

 photo Dont_zpsuc2ihuj1.jpg

Se não quiser o "Crisis Free Cocktail" pode optar por uma garrafa de espumante de 120.000 € nano restaurante Nammos, situado na ilha de Mykonos na Grécia. Se procurar no Google Maps ou no Google Earth vai ver uma praia deserta e um mar sem yates de luxo que vê nas fotografias que estão publicadas no Facebook do restaurante, as imagens foram manipuladas com Photoshop e desapareceram as esplanadas e os barcos.

Enfim, Já estou a imaginar o Louçã e uma solidária Mariana Mortágua bebricando uma garrafa de champanhe Armand De Brignac Methouselah Midas, ajudando ao bem-estar dos adeptos do Tsipras.

 Debates do Estado da Nação

O segredo do sucesso dos debates parlamentares como o do estado da nação está numa boa preparação, no efeito surpresa e na qualidade dos discursos. Desta vez António Costa decidiu anunciar com antecedência as linhas da sua actuação. O resultado foi óbvio, Passos Coelho sabia da graçola dos sete pecados e respondeu com as dez pragas.


 Thomas Piketty: a Alemanha nunca pagou as dívidas
   
««Ce qui m'a frappé pendant que j'écrivais, c'est que l'Allemagne est vraiment le meilleur exemple d'un pays qui, au cours de l'histoire, n'a jamais remboursé sa dette extérieure, ni après la Première, ni après la Seconde Guerre mondiale. [...] L'Allemagne est LE pays qui n'a jamais remboursé ses dettes. Elle n'est pas légitime pour faire la leçon aux autres nations.»

Cette thèse, Thomas Piketty, chroniqueur à Libé, l'a plusieurs fois exposée, décrivant par le menu comment l'Allemagne, et aussi la France, ont fait jouer la planche à billets au sortir de 1945, obtenu des effacements d'ardoise et imposer les hauts patrimoines. D'après les accords européens de 2012, la Grèce se retrouve dans l'obligation «de dégager un énorme excédent de 4% du PIB pendant des décennies afin de rembourser ses dettes», rappelait-il dans notre journal. Une stratégie absurde, «que la France et l'Allemagne n'ont fort heureusement jamais appliqué à elles-mêmes».» [Libération]
   
Parecer:

Lá se vai a admiração de Passos Coelho pela Alemanha.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento a Passos Coelho.»

 O outro lado da violência racial na margem sul
   
«Os serviços de informações estão a investigar agentes e chefes da Polícia de Segurança Pública (PSP) com ligações a movimentos de extrema-direita, como os skinheads ou o Partido Nacional Renovador (PNR). O caso está relacionado com os incidentes ocorridos no Bairro da Cova da Moura, na Amadora, a 5 de fevereiro deste ano.

Esta terça-feira, soube-se que o Ministério da Administração Interna instaurou processos disciplinares contra nove elementos da PSP, entre os quais o chefe da esquadra, na sequência de incidentes ocorridos no Bairro da Cova da Moura. Três já foram suspensos preventivamente. As conclusões conhecidas ontem por parte da Inspeção-Geral da Administração Interna não mencionam estas ligações, mas dão razão às queixas de uso de força.

A Procuradoria-Geral da República já abriu um inquérito para investigar as denúncias de discriminação racial e tortura contra jovens de ascendência africana, num bairro onde a comunidade imigrante é muito grande.

De acordo com o Diário de Notícias, há também suspeitas de falsos depoimentos por parte dos agentes da autoridade. Mais: as Secretas têm razões para crer que existem motivações raciais por detrás dos acontecimentos. Alguns dirigentes sindicais, bem como oficiais desta força de segurança, foram abordados pelos espiões com o objetivo de colaborarem com as secretas na investigação às ligações com a extrema-direita, fenómeno que os serviços de informações receiam estar a consolidar-se.» [Observador]
   
Parecer:

Esta PSP começa a ser um mau exemplo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Investigue-se.»

 Estes desmancha-prazeres...
   
«Na folha trimestral de conjuntura divulgada hoje, o Núcleo de Estudos sobre a Conjuntura da Economia Portuguesa (NECEP), da Universidade Católica, apresenta ainda as estimativas para o segundo trimestre deste ano, antevendo que a economia tenha crescido 0,7% em cadeia e 1,7% em termos homólogos, "em ligeira aceleração face ao trimestre anterior (0,4% e 1,5%, respetivamente)".

"O desempenho da economia nacional em 2015, num contexto doméstico de 'passividade orçamental', está a beneficiar de um conjunto significativo de fatores favoráveis", escreve o NECEP.

Nesse sentido, e "apesar do crescimento do primeiro trimestre ter sido inferior ao estimado inicialmente pelo NECEP", os economistas consideram que o desempenho da economia portuguesa permite "manter uma expectativa de crescimento em 2015 não muito distante dos registos normais para a economia portuguesa".» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Tem sido uma semana de "boas" notícias para o Governo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 OXI, dizia ele...
   
«O governo grego procura um terceiro resgate de 50 mil milhões de euros ao longo de três anos, em troca de três grandes concessões, avança o jornal El País.

Em primeiro lugar, em vez de pedirem apenas um empréstimo, como tinham vindo a fazer, os gregos pedem agora um programa de resgate completo, o que é mais do agrado dos credores. Comprometem-se também a fazer um corte imediato nas pensões e a subir o IVA. Por último, a Grécia deixou de pedir diretamente uma restruturação da dívida: nesta carta, as referências a uma redução da dívida são mais suaves.

O ministro das Finanças grego, Euclides Tsakalotos, pediu formalmente um empréstimo a três anos comprometendo-se a adotar "um pacote de reformas e de medidas que devem garantir a estabilidade das finanças públicas (...) adotando imediatamente, a partir da próxima semana, medidas para reformar os setores dos impostos e das pensões".» [DN]
   
Parecer:

Disse Oxi no referendo para dizer agora Oxi aos credores, fica-se com a sensação de que alguém lhe susurrou sim ao ouvido.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Mais um caso na indústria farmacêutica
   
«A PGR informou que no âmbito da investigação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) "estão em curso 24 buscas", que decorrem em "vários pontos do país", entre os quais as instalações da Bial, companhia farmacêutica que fatura cerca de 200 milhões de euros por ano. 

"Neste inquérito, relacionado com fraude ao Serviço Nacional de Saúde, estão em causa suspeitas dos crimes de corrupção ativa e passiva, burla qualificada e falsificação de documentos", refere o comunicado da PGR. 


A PGR diz ainda que neste processo estão a ser investigadas "matérias relacionadas com pagamentos efetuados a título de estudos científicos mas que se reportariam à prescrição de fármacos".» [Expresso]
   
Parecer:

Quanto terá roubado esta indústria ao país ao longo das últimas três décadas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se uma estimativa.»
  
 Mais um muito vergonhoso, desta vez na Europa
   
«O parlamento da Hungria aprovou na terça-feira um novo pacote de leis que permitirá ao país, segundo a pretensão do Governo, “controlar” o crescente fluxo de imigração dos últimos meses. A assembleia nacional deu luz verde à construção de um muro de quatro metros de altura, ao longo da fronteira com a Sérvia e aprovou uma série de medidas anti-migração.

“A Hungria está a ser confrontada com a maior vaga de migrantes da sua história e as suas capacidades estão sobrecarregadas a 130%”, explicou o Ministro do Interior, Sandor Pinter, citado pela BBC, antes da votação. O objectivo da nova legislação, segundo Pinter, é facilitar a “identificação entre os migrantes que precisam realmente de protecção e os que são tipicamente migrantes económicos”.

A legislação foi aprovada facilmente, com 151 votos a favor e 41 contra, e contou com o apoio do partido no Governo, o Fidesz, e do Jobbik, conotado com a extrema-direita. A medida que está a causar mais impacto é a autorização da construção de um muro de separação com a Sérvia, a Sul, com quatro metros de altura e uma extensão de 175 km. A legislação prevê a expropriação das terras onde a barreira será construída, segundo a agência AFP. O objectivo é impedir a entrada dos milhares de migrantes que percorrem a perigosa rota ocidental Balcânica, maioritariamente Sírios, fugidos da guerra.» [Público]
   
Parecer:

Alguns destes novos membros mais recentes da UE só trouxeram ódios e extrema-direita.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»


  

   
 Ed
   
 photo Ed-3_zpsqkv4vxyi.jpg

 photo Ed-1_zpshydx8obd.jpg

 photo Ed-5_zpswhaiw0ij.jpg

 photo Ed-2_zpsmyjtophq.jpg

 photo Ed-4_zpsucgwdzfv.jpg